A Essência do Coração Budista

O Sutra da Essência ou também chamado Sutra do Coração e ainda denominado no Budismo Mahayana (Grande Veículo do Budismo) o Sutra da Prajana Paramita da Essência (O Supremo Tesouro da Essência) nos revela em profundidade nossa possibilidade essencial quando podemos perceber refletindo esta escritura milenar do Budismo que estamos atrelados nesta Roda de Sansara (roda de nascimentos e mortes) iludidos aos apegos e aversões de nossa mente que na sua inconstância nos demonstra sua instabilidade sujeita aos desejos deste plano, dos nossos “quereres” dos nossos “poderes”esquecendo o que essencialmente “não somos” ou “somos” , sendo que as coisas simplesmente são ou estão, bastando-nos a observar a impermanencia destas coisas, sabendo que essencialmente tudo tem um significado bem longe da sua aparência ou forma.

O SUTRA PRAJNA PARAMITA DA ESSÊNCIA

Quando o Bodhisatva  (1) estava cultivando profundamente a Prajna Paramita(2) Ele percebeu que os cinco skandas(3) são sunyata (4)e assim conseguiu transceder todo o sofrimento.

Ó Sariputra: a forma não é diferente do sunyata,sunyata não é diferente da forma. A forma em si mesma é sunyata, sunyata também é forma,
shakyamuni2O mesmo acontece com o sentimento, a percepção, a vontade e a consciência.

Ó Sariputra o sunyata é a natureza de todos os Dharmas(5),eles não podem ser criados, nem aniquilados.

Não são impuros nem puros e eles não crescem nem diminuem.

Assim no Sunyata não há forma, sentimento, percepção, ação da vontade ou consciência.Não há olhos,ouvidos, nariz,língua, corpo ou mente.

Não há formas, sons, odor, sabor,tato ou dharmas. Não há campos da visão e nem mesmo o campo da consciência.

E nem a ignorância nem o fim da ignorância, assim como nem a velhice e morte, ou fim da velhice e morte.

Nem sofrimento, nem acumulação, nem extinção, nem caminho.

Nem a ignorância, nem a obtenção de alguma coisa. Porque não há nada a ser obtido.

O Bodhisatva que pratica Prajna Paramita terá sua mente completamente aberta sem impedimentos e preocupações.

Porque não há impedimentos e preocupações ele não teme, abandonando seus falsos pensamentos e ilusões alcançará o último Nirvana(6)

Todos os Budas dos três períodos alcançaram a completa iluminação, cultivando a Prajna Paramita.

Por isso devemos saber que a Prajna Paramita é o mantra mis miraculoso, o mantra mais iluminado, o mantra mais inigualável.

Pode remover todo o sofrimento, é verdadeiro e não é falso. Por isto é que o mantra da Prajna Paramita foi falado. Recitando-o assim:

GATE GATE PARAGATE PARASANGATE BOBHISVAHA (mantra do sutra)

1)Bodhisatva: aquele que retarda a sua iluminação para que primeiro o outro se ilumine com a sua ajuda.

2)Prajna Paramita: O supremo tesouro da essência.

3)skandas: ou cinco agregados a saber: a) matéria ou forma
b)sensação c)percepção d)ação da vontade e) consciência

4)sunyata: alguns traduzem como o “vazio”. Todas as coisas existentes no universo foram formatadas e combinadas através da relação entre causa e efeito, por isto as coisas formatadas estão em constante mutação e evolução. Nada é imutável,tudo é impermanente.

O texto acima do Sutra foi extraído do Livro de Rituais do Templo Tzong Kwan de São Paulo, da Escola Terra Pura da China (traduzido do chinês).

Compartilhar

3 comentários sobre “A Essência do Coração Budista

  1. boa tarde muito proveitoso o email;O pensamento Budista tem como foco principal a teoria do Karma;como fica posicionado em relaçao a teoria bert helinger ssobre a constelaçao familiar ,onde carregamos fardos tambem de nossos familiares (inconscientemente),nao por Karma em si?

  2. Edir,

    Respondi a sua carta através do meu outlook. Espero que tenha recebido.

    Muita Paz!

    Nello

  3. Tenho a mesma dúvida do Edir, poderia me encaminhar a resposta? Obrigada

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>