Rio Open: Teliana e Bellucci caem, Ferrer e Nadal seguem; Guga recebe homenagem

Assim como em 2015, Bellucci caiu na estreia do Rio Open. Foto: Rio Open/Divulgação
Assim como em 2015, Bellucci caiu na estreia do Rio Open. Foto: Rio Open/Divulgação

Assim como nos jogos de estreia, a chuva apareceu no Jockey Clube brasileiro neste segundo dia de Rio Open adiando e interrompendo confrontos. Infelizmente as partidas de primeira rodada não foram assim tão satisatórias para os brasileiros.

Favorita para vencer o torneio, Teliana Pereira acabou sendo derrotada logo na estreia contra a croata Petra Martic com parciais de 6/3 e 7/5. A brasileira jogou bem, mas não o suficiente para sair com a vitória diante de uma adversária sólida no fundo de quadra e aplicando golpes bem mais eficazes e potentes que a pernambucana. Se serve de consolo, Teliana não perde pontos no ranking WTA (onde é a atual 43ª), pois no ano passado também caiu na primeira rodada da competição.

“Primeira rodada sempre é mais difícil, mas não acho que joguei mal. Ela fez um ótimo jogo e sacou melhor que eu. Mesmo assim, foi uma das minhas melhores partidas no ano, pois não fui bem na Austrália”, analisou a pernambucana que ainda não venceu partidas oficiais em 2016.

João Souza, o Feijão, não resistiu ao argentino Diego Schwartzman e sofreu mais um revés, dessa vez por parciais de 6/3 e 6/2. Sacando mal, João acabou cedendo vários breaks e saiu de quadra com pouco mais de uma hora de duelo. O resultado, ao contrário de Teliana, deixa Feijão com pelo menos 42 posições a mais no ranking, já que havia feito quartas no ano passado. Um começo de temporada nada animador.

“Um ano atrás eu estava sentado aqui depois de ganhar a primeira rodada e depois ganhei mais uma. Estava em outra sintonia, são cosias que acontecem com qualquer um. Está faltando um sequência maior de vitórias. É uma soma de fatores pequenos que estão fazendo com que eu não esteja ganhando os jogos. Tenista vive de confiança e preciso correr atrás dela”, analisou o paulista de Mogi das Cruzes.

A luta foi grande, uma verdadeira batalha que também teve como protagonista a chuva interrompendo o confronto por algumas horas entre Bellucci e Dolgopolov. O brasileiro estava vencendo o jogo por 7/6(3) e empatava o segundo set em 5/5 quando a chuva parou o jogo. Ao retornar, Thomaz logo foi quebrado (5/7) e perdeu também o terceiro set por 2/6, com uma série de 6 games a favor do ucraniano. Esse é o terceiro confronto entre os dois, com nenhuma vitória do paulista.

“Ele jogou melhor do que eu e foi mérito dele. No terceiro ele entrou com uma proposta mais agressiva de tirar o meu tempo e isso me dificultou muito mais”, justificou o número 1 do Brasil.

Mas o dia não foi só de resultados ruins para o País. Após furar o qualifying, Paula Gonçalves passou à segunda rodada após vencer na estreia Julia Glushko com parciais de 6/3 e 6/1. “Estou feliz e me sentindo abençoada por essa vitória na cidade maravilhosa. É uma semana especial, ainda mais por ter passado o quali. Não fiquei nervosa por estar jogando na quadra central. Conhecia bem a Julia e entrei tranquila, sabendo bem o que tinha que fazer em quadra”, afirmou a paulista.

O cearense Thiago Monteiro, convidado do torneio para entrar na chave principal, teve seu jogo adiado com o francês Jo-Wilfried Tsonga para 14h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira, 17. Outro jogo interrompido e adiado para esta quarta, também em razão da chuva, foi o das brasileiras Bia Haddad e Teliana Pereira. Elas perderam o primeiro set para Anastasia Rodionova e Stephanie Vogt por 7/5(5). O jogo foi paralisado quando acabou a primeira parcial.

Principais resultados da rodada:

Atual semifinalista do torneio, Rafael Nadal venceu debaixo de chuva o seu jogo de primeira rodada contra o compatriota Pablo Carreno Busta por 6/1 e 6/4. David Ferrer derrotou Nicolas Jarry por 6/3 e 7/6(3). Fabio Fognini também derrotou seu adversário Aljaz Bedene por 7/5 e 6/3.

Homenagem

A quadra central do Rio Open passou a se chamar “Guga Kuerten”, em homenagem ao tricampeão de Roland Garros. A solenidade foi realizada na noite desta terça-feira, 16. Guga recebeu das mãos do presidente do Jockey Club, Carlos Eduardo Palermo, uma placa oficializando a homenagem ao brasileiro, ex número 1 do mundo.

Tricampeão de Roland Garros, Guga Kuerten foi homenageado no Rio Open.
Tricampeão de Roland Garros, Guga Kuerten foi homenageado no Rio Open. Foto: Rio Open/Divulgação

Guga relembrou grandes tenistas brasileiros da história, como Alcides Procópio, Maria Esther Bueno e Jaime Oncins. “Hoje eu vejo o Thomaz (Bellucci), o Marcelo (Melo) e o Bruno (Soares) batalhando. E nós temos que aprender a valorizar um pouco mais esse esforço. A gente tem que realçar a nossa história”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *