Final nostálgica: Fedal decide Austrália Open 2017

pontodevista_wagnermendes

Era o que ninguém esperava, mas o que todo fã de tênis queria. Um “Fedal” (encontro entre Federer e Nadal) trintão numa final de Grand Slam. Épico, nostálgico. Quando todos esperavam um Murray versus Djokovic duelando na final do Austrália Open, o inesperado aconteceu. O duelo de maior rivalidade na história recente do tênis aconteceu para mais uma final de major. A batalha deste domingo é inspiradora e inacreditável.

Roger Federer, de 35 anos, e fora das quadras durante seis meses para tratar de uma lesão no joelho, chega a uma final de Slam — no primeiro torneio que disputa na temporada — jogando um tênis de primeiríssima linha. Com problemas físicos, Rafael Nadal, de 30 anos, encerrou mais cedo a temporada em 2016. Afastado dos torneios oficiais durante meses tratando de lesão no punho, ele volta e chega a final do primeiro Grand Slam do ano.

Descrente da possibilidade que hoje se tornou real, Federer havia proposto, meses atrás, um jogo com Nadal para evento de caridade. Com o suíço “sem joelho” e o espanhol “sem punho” era o melhor que poderiam fazer, disse Federer em entrevista após se garantir na final do torneio.

Pelos números, Nadal é favorito no Fedal. No confronto direto, são 23 vitórias do espanhol contra apenas 11 do suíço. No piso duro, onde o aberto da Austrália é disputado, o confronto está em 9 a 7 para Nadal. Em duelos no Austrália Open, Nadal segue invicto com 3 jogos e 3 vitórias sobre Federer. Mas o que se sabe é que o favoritismo dos números não se torna realidade dentro de quadra e com duas lendas fazendo final de Slam. Tudo pode acontecer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *