Vasco Arruda

About Vasco Arruda

Psicólogo, professor de História das Religiões e Psicologia da Religião.

    Posts do Autor

    Esboço para um possível retrato de meu pai

    Papai, Postado em silêncio diante do computador, eu buscava palavras para iniciar um texto que eu pretendia resultasse num perfil do senhor. Com que palavras iniciar? Foi então que lembrei do Livro da Vida, a autobiografia de Santa Teresa D´Ávila. Na primeira frase do livro Santa Teresa escreve: “Não fosse eu tão ruim, bastaria ter […]

    Continue lendo

    Aparições de Fátima, um insistente apelo à oração

    No verbete Oração, escrito especialmente para a magistral Enciclopédia de Fátima, Manuel de Fátima e Oliveira Morujão afirma: “A oração é um ponto essencial para compreender as aparições e o fenômeno de Fátima. Sem oração, Fátima seria incompreensível, degeneraria em esoterismo ou folclore, num mero fenômeno de massa” (p. 175). O Anjo da Paz, que […]

    Continue lendo

    A vida transverberada pela Beleza

    No parágrafo que abre o livro “História do ateísmo: os descrentes no mundo ocidental, das origens aos nossos dias”,  George Minois, historiador das mentalidades religiosas, indaga: “Uma história da descrença [incroyance] e do ateísmo, numa época em que se proclama por toda parte a ´volta da religião`, a ´revanche de Deus` e o ´reencantamento do […]

    Continue lendo

    Uma jornada em busca do que nos faz humanos

    Ser sonhador é pensar em coisas que não existem e ter certeza de que, em um futuro não muito distante, elas estarão aqui – respondeu o monge. Fábio Tucci Farah [Farah, Fábio Tucci. As aventuras de Pépin, o pequeno peregrino. Ilustrações de Anna Cunha. – Belo Horizonte, MG: Lê, 2012, p. 72.] Para falar da […]

    Continue lendo

    Do escândalo da cruz à ressurreição

    Há alguns dias recebi da coordenadora de um grupo de oração o convite para ministrar uma palestra em um encontro de formação. Propôs um dos seguintes temas: o escândalo da cruz ou a ressurreição. Depois de ponderar um pouco, delicadamente recusei o convite. O motivo principal foi considerar os assuntos propostos grandiosos e complexos demais […]

    Continue lendo

    O vendedor de ilusões poéticas

    Já basta de conversas bobas/prosas inocentes – quem não sabe a veracidade/e ainda não descobriu o seu ser radiante… // Entretanto, não é isso que procuro/por que teima…/Realmente é um absurdo/ o que fazer… requeiro auxílio. //  Cansado dessa extensa jornada…/Aspiro encontrar uma cintilância/Luz Divina para ajudar a alcançar o alvo. // Não desejo jogos, […]

    Continue lendo

    O que diria o Pe. Cícero de sua vida se lhe dessem voz?

    Em realidade episódios dessa natureza ocorreram algumas vezes. Fosse noite ou fosse dia. Para mim nunca foi pesado nem eu poderia considerar aquilo coisa extraordinária. Apenas um simples ato de caridade cristã, praticado, como manda o preceito, de maneira espontânea e por quem nunca se negou de servir ao próximo. Nem me dava conta do […]

    Continue lendo

    Um ano dedicado a Maria e à mariologia

    O teólogo marista Afonso Murad, no primeiro capítulo do livro “Maria, toda de Deus e tão humana: Compêndio de mariologia”, afirma: “Maria é uma figura importante no imaginário católico. Predomina o perfil da santa poderosa e bondosa, a mãe do céu, mas este não é o único. O estudo sobre Maria, que chamamos marialogia ou […]

    Continue lendo

    Um dicionário para bibliófilos

    Anopistógrafo, colaturas, cul-de-lampe, facustol, ozalide, dente-de-cachorro, corandel. Desculpem-me aqueles que leem estas linhas em uma livraria em que os livros permanecem fechados em embalagens plásticas, ou, eventualmente, aqueles que as leem em uma reprodução eletrônica, mas apenas abrindo este Dicionário do Livro: Da Escrita ao Livro Eletrônico, poderão descobrir os sentidos exatos e específicos, relacionados […]

    Continue lendo