Lançamento do 2º álbum e entrevista: Selvagens à Procura de Lei

1012109_481873145223081_1376839210_nSelvagens à Procura de Lei fez muito barulho em 2012 mostrando que sabem fazer rock da melhor qualidade. Ano passado, foram indicados como Aposta MTV e também tocaram ao lado de nada menos que Capital Inicial, no Prêmio Multishow de Música Brasileira. E isso, era só o começo. Hoje, os rapazes dos Selvagens vem para Fortaleza (terra natal) para lançar o 2º álbum intitulado com o nome da banda.

Vez por outra estamos falando deles aqui no Respirando Música, justamente porque admiramos o trabalho dos Selvagens, como também somos fãs level 1000 a ponto de fazer cartaz da letra da música na hora do show. Pois é!

Os cearenses Gabriel Aragão, Nicholas Magalhães, Rafael Martins e Caio Evangelista hoje rodam o país divulgando o 2º álbum, primeiro pela Universal. Na ocasião, entre tantos compromissos dos meninos, tivemos um papo bacana com o Caio (baixista) sobre a repercussão e a nova vida da banda em São Paulo.

Confira a entrevista:

RM: Selvagens à Procura de Lei chegaram com 2º álbum intitulado com o nome da banda. Isso facilita para a divulgação do trabalho?

Caio Evangelista: Como foi o primeiro álbum de lançamento nacional, decidimos “dar a cara a tapa”. Por isso a capa é um desenho dos rostos dos quatro, o nome do disco é o nome da banda. Isso facilita na identificação tanto do nome quanto da imagem dos quatro Selvagens.

RM: No papo que tivermos com vocês em março, a grande expectativa da banda era a mudança definitiva para São Paulo. E agora, como é o dia a dia do grupo?

Caio Evangelista: Estamos morando juntos em SP, então nossa rotina é inteiramente voltada para a música. Dividimos o dia em estudos, reuniões, ensaios, entrevistas etc. Estamos começando a fazer shows pelo Sudeste e, em três meses morando aqui, já sentimos um crescimento do público em São Paulo.

RM: O lançamento do clipe da canção “Brasileiro” foi no momento delicado do país, onde as manifestações era o foco da sociedade. Como foi a reação do público?

Caio Evangelista: A reação foi muito boa. O lançamento de Brasileiro coincidiu com as manifestações. Durante as manifestações vimos fotos de várias pessoas levando cartazes com frases da música em várias cidades do Brasil. Em São Paulo o clipe foi rodado em debates sobre as manifestações. Ficamos  satisfeitos com o resultado do clipe e orgulhosos com o significado que a música trouxe para várias pessoas.

426699_467660626644333_1824920263_nRM: Nesse segundo álbum, a banda está com características do rock da década dos anos 80, tanto nas composições, quanto nas melodias. Quem foram os maiores influenciadores para esse trabalho?

Caio Evangelista: A maior influência dos anos 80 foi quanto à ideologia, sempre gostamos muito de como as bandas brasileiras dos anos 80 se portavam alem de como pensavam e construíam suas músicas. Gostamos muito de Paralamas, Legião Urbana, Barão Vermelho etc. Ouvimos bastante música dos anos 70, também, o que influenciou bastante na nossa forma de gravar e nos timbres dos instrumentos. Vale lembrar também dos Novos Baianos, Tim Maia, Belchior, Caetano, Gil, dentre outros artístas brasileiros que mergulhamos em seus discos durante a realização do “Selvagens à Procura de Lei”

 RMVocês estão sendo frequentemente comparados com as bandas dos anos 80 do rock brasileiro, existe algum lado negativo nisso?

Caio EvangelistaQuem compara nosso trabalho com o das bandas dos anos 80 são, em sua maioria, críticos musicas e outros músicos, normalmente pessoas que viveram esse período. Isso deixa transparecer que transmitimos alguma coisa que as bandas do período passavam às pessoas. O público mais jovem vê semelhança no nosso som com o de bandas atuais como Strokes, Arctic Monkeys etc, o que significa que acham nosso som moderno. Essa mistura de elementos é uma característica dos Selvagens à Procura de Lei.

946917_466207960122933_687167655_n 

RM: Hoje em dia, muitas bandas preferem ser independentes e divulgarem seus trabalhos por si só. Vocês já viveram os dois mundos. Qual a maior vantagem de ter a banda numa gravadora?

Caio Evangelista: A Universal é uma grande parceira nossa. Ela é uma grande vitrine onde nosso trabalho está sendo exposto. O pensamento continua como de banda independente, nos estamos sempre pensando em formas de melhor divulgar nosso trabalho, de fechar shows pelo Brasil e de já iniciar um próximo disco. A Universal potencializa nossos esforços. A relação com a gravadora é muito boa.

 Fortaleza é nossa casa, nosso tema e a nossa cara. Caio Evangelista

RM: A canção Despedida, Nicholas (baterista) canta algumas partes com seu vozeirão que caiu perfeitamente bem. De quem foi à iniciativa para participação dele na música?

Caio Evangelista: O Nicholas estava ouvindo muito Tim Maia na época, cantava quando estávamos ouvindo música e sempre gostamos da voz dele. O Rafael tinha escrito despedida até o refrão, daí pensamos que poderia cair muito bem na voz dele. Acho que essa música não poderia ser feita de outra forma.

RM: Na música “Música de Amor Número Um” fala de Claudia (namorada do Gabriel), existe outra canção nesse álbum que tenha inspiração pessoal?

Caio EvangelistaO disco inteiro é quase uma narrativa do que vivemos nesse período de assumir a música como nossa profissão e início da fase adulta. Massarrara nos apresenta, Juventude Solitude expõe as incertezas que todos passamos, Despedida nos remete muito à mudança  pra SP, Crescer Dói, Enquanto Eu Passar Na Sua Rua e O Amor Existe, são temas pessoais.

 RM: Dinho Ouro Preto elogiou e cantou com a banda na apresentação do Prêmio Multishow em 2012. Qual a relação dos Selvagens à Procura de Lei com o Dinho hoje?

Caio Evangelista: O Dinho é um grande amigo que torce muito pelo crescimento dos Selvagens. Desde que viemos para SP encontrei ele uma vez na sua casa. Nem sempre as agendas das duas bandas podem se encontrar, mas em breve vocês poderam ver um novo encontro entre a gente, quem sabe?! haha

1016222_477347532342309_653183159_nRM: Os fãs de Fortaleza estão extremamente ansiosos para o show de lançamento do álbum.  Qual a expectativa dos Selvagens para o show?

 Caio Evangelista: Nossa expectativa é a melhor possível. É um show que marca uma nova fase da banda e esperamos que fique na memória dos fãs. Fortaleza é nossa casa, nosso tema e a nossa cara. Nada melhor do que fazer o primeiro show de lançamento na nossa cidade. No show apresentaremos as músicas novas e as antigas que o público já conhece. Será o primeiro show em Fortaleza depois do lançamento do álbum, estamos ansiosos para conhecer a reação do público com as músicas novas e vai ser muito bom matar as saudades de casa. Que venha Fortaleza!

 

Confira o clipe da música “Brasileiro”:

Lançamento do disco novo:

Dia: 26 de julho no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura 

*Ingressos à venda: Bilheteria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Nordwest do Shopping Benfica.

R$ 15 (meia) , R$ 30 (inteira) – apresentar carteirinha de estudante
CENSURA LIVRE

Horário de Funcionamento da Bilheteria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura : Terça a domingo ( 14:00-20:00hrs)
Informações: 3488-8602

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *