“Hoje tudo é feminismo”, reclama a funkeira Tati Zaqui

Tati Zaqui faz show nesta sexta-feira, 9, na Boate Level. Ingressos custam de R$ 25 a R$ 90

Pela segunda vez em Fortaleza, a MC Tati Zaqui, de 23 anos, é direta: “Nada me marcou mais (na Capital cearense) do que a comida”. Elogiando o público e o camarão da cidade, Tati retorna depois de dois anos, quando estourou com o hit Parara Timbum, com outros singles na conta, incluindo o “hino”, como ela mesma classifica, Água na Boca. Ela também prepara seu primeiro EP, ainda sem título.

De lá pra cá, Zaqui lançou canções grudentas que a mantiveram popular no mundo do funk. Dentre elas, a mais nova, Placa no Chão. Tati conta que o mais recente single nasceu para mostrar que, “ao invés de se mutilar e dar pause na vida se lamentando por um término de relacionamento”, as garotas podem simplesmente sair e se divertir.

Assim como seus outros vídeos, este também é uma parceria com KondZilla, de quem Tati é fã. Mesmo sob o comando do diretor, a funkeira afirma que sempre dá seus “toques especiais” nos clipes. Sem previsão para seu EP de estreia, ela garante músicas novas até o fim do ano. E, quem sabe, mais parcerias.

Tati Zaqui traz seu baile funk para Fortaleza nesta sexta-feira

Parara Timbum

Tati começou cedo cantando versões de músicas conhecidas no YouTube, e afirma que o reconhecimento veio por ter “insistido muito na música certa”. Seu primeiro single, Parara Timbum foi proibido de ser reproduzido por ter como base Heigh-Ho, uma das mais populares canções de Branca de Neve e os Sete Anões. Tati diz não tocar mais seu primeiro hit nos shows. Segundo ela, “os fãs nem lembram”.

Tati vive em um momento em que muitas mulheres fazem seu nome no funk. Dentre elas, Dani Russo e MC Carol, além de Ludmilla, que tem feito a transição para a música pop. “É importante (a presença feminina) não só no funk, como em qualquer outro gênero musical. Ninguém é impedido de nada. Só tem que ter coragem pra dar a cara e aguentar o mimimi”, avalia. “Acho importante levar pra música o que temos para expressar. Mas hoje em dia tudo é feminismo, negócio chato”, reclama. “Não sou feminista nem machista. Eu sou eu”.

Serviço

Baile da Tati Zaqui
Nesta sexta-feira, dia 9 de junho
Boate Level (rua Dragão do Mar, 218 – Praia de Iracema)
Ingressos: R$ 25 (pista / individual), R$ 40 (pista / clonado) e R$ 90 (camarote com direito as foto e cinco fichas de bebida). Todos os valores são referentes à meia entrada.
Ingressos à venda nas lojas Clikks (dos shoppings Iguatemi Fortaleza, Benfica e Parangaba) e pelo site Sympla.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *