Taxa de desemprego mostra que Portugal deu a volta por cima

pedro-mota-soaresO ministro da Solidariedade Emprego e Segurança Social considera que os dados do desemprego hoje revelados demonstram que “Portugal deu a volta”, ao atingir uma taxa de desemprego inferior à registada em 2011, quando o Governo assumiu funções. 

A estimativa mensal hoje divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que a taxa de desemprego para junho de 2015 se situa nos 12,4%.

Para o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, estes dados provisórios devem ser vistos como “um sinal de esperança e confiança para muitos portugueses que ainda estão numa situação de desemprego”.

Ao comparar com os dados definitivos do mês anterior, o INE diz que a taxa se manteve inalterada mas assinala também uma tendência decrescente desde fevereiro de 2015.

Mota Soares foi mais longe e comparou os dados de hoje com os registados quando o atual executivo entrou em funções: “O Governo recebeu em 2011 um país que tinha um desemprego de 12,7%, tinha a ‘troika’ cá, estava a cumprir um duro memorando de ajustamento e tinha uma recessão. Sabemos hoje que a taxa de desemprego é de 12,4%, isto é, pela primeira vez temos uma taxa de desemprego abaixo do valor do ano de 2011. Isto é a prova de que Portugal deu a volta”, disse à margem de uma visita ao Centro de Formação da Indústria Alimentar, na Pontinha.

Desde janeiro de 2013 até agora foram criados 204 mil postos de trabalho, sublinhou Mota Soares, que entende que os dados de hoje vão “no sentido certo, isto é, no sentido descendente”.

Para Pedro Mota Soares, o “maior desafio de Portugal”, neste momento, é precisamente, “criar emprego e criar oportunidades de trabalho”.

Segundo o INE, a estimativa provisória da população desempregada para junho de 2015 foi de 636,4 mil pessoas, enquanto a estimativa provisória da população empregada foi de 4.492,7 mil pessoas, mantendo-se ambas “praticamente inalteradas” em relação ao mês anterior.

Entre os 636,4 mil desempregados há um aumento de 5% de mulheres (15,8 mil) e uma diminuição de 4,5% de homens (14,5 mil).

Nestas estimativas foi considerada a população dos 15 aos 74 anos e os valores foram previamente ajustados de sazonalidade.

De acordo com o INE, tanto a população desempregada jovem como a de adultos se mantiveram “praticamente inalteradas”.

Lusa/SOL

Graciano Coutinho - Jornalista

Sobre Graciano Coutinho - Jornalista

A comunicação é a arma mais poderosa do nosso tempo, formando um triangulo ideal-mental, em cujo ápice se encontram os três veículos principais da informação, da mensagem e da mobilização de massas: o Jornal, a Rádio e a Televisão. Na base, o Livro, o Cinema e o Teatro, estes três últimos, porém, com muito menor raio de ação e com reflexos não instantâneos na massa amorfa das multidões, sobre cuja sensibilidade atua mais com o “imediato” da noticia e da informação, que o complexo elaborado dos outros instrumentos intelectuais de expressão e de comunicação. ................................................ Essas considerações, de caráter filosófico, aliás, primário, vêm a propósito de um português que se tem destacado na Colônia e nos meios luso-brasileiros por uma atividade constante no jornalismo, na radiofonia e com incidência também na televisão, sempre dando caráter construtivo à sua missão de critica não apaixonada, de informação correta, na ação não divisionária, pois seu objetivo profissional tem o duplo sentido de INFORMAR e de UNIR. Graciano Coutinho, tem sido, assim, um elemento de fraternização e integração, pela inteligência, pela sinceridade e, sobretudo, pela veracidade com que informa e serve aos interesses e ideais da Comunidade Portuguesa e da Família Luso-Brasileira. Muitos e bons têm sido os serviços que presta à Comunidade, sem empáfia e sem carisma de nenhuma espécie. Entra por tudo isso neste friso de pedreiros-intelectuais, dedicados à construção de nossa Comunidade de língua Portuguesa. Graciano Coutinho nasceu em Rocas do Vouga, Concelho de Sever do Vouga, Distrito de Aveiro, filho de Maria Antonia Coutinho. É Jornalista profissional. Desde que chegou ao Brasil, em 9 de maio de l959, teve sempre participação ativa no meio jornalistico, social e associativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *