Portugal vai gastar 75 milhoes de Euros para promover vinhos

O Governo vai gastar 75 milhões de euros até 2013 para promover o vinho português lá fora, anunciou o ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, António Serrano.

«Temos dinheiro para alavancar esse investimento promocional», salientou António Serrano, que falava no Porto, antes da inauguração oficial da sétima Essência do Vinho, evento que tem lugar no Palácio da Bolsa e se prolonga até domingo, avança a Lusa.

«Temos grande qualidade para vender e há mercados que podem comprar muito mais do que compram hoje», reforçou ainda o ministro.

O Governo decidiu apostar numa «marca-chapéu» para os vinhos nacionais, denominada Wines of Portugal (Vinhos de Portugal), tendo em vista a criação de uma imagem única e apelativa. Com este trabalho, o Governo acredita que será possível «ter um incremento anual de 10 por cento nas exportações deste produto, mais 60 milhões de euros face aos cerca de 600 milhões de euros de vinho português exportados anualmente».

Vinhos

Graciano Coutinho - Jornalista

Sobre Graciano Coutinho - Jornalista

A comunicação é a arma mais poderosa do nosso tempo, formando um triangulo ideal-mental, em cujo ápice se encontram os três veículos principais da informação, da mensagem e da mobilização de massas: o Jornal, a Rádio e a Televisão. Na base, o Livro, o Cinema e o Teatro, estes três últimos, porém, com muito menor raio de ação e com reflexos não instantâneos na massa amorfa das multidões, sobre cuja sensibilidade atua mais com o “imediato” da noticia e da informação, que o complexo elaborado dos outros instrumentos intelectuais de expressão e de comunicação. ................................................ Essas considerações, de caráter filosófico, aliás, primário, vêm a propósito de um português que se tem destacado na Colônia e nos meios luso-brasileiros por uma atividade constante no jornalismo, na radiofonia e com incidência também na televisão, sempre dando caráter construtivo à sua missão de critica não apaixonada, de informação correta, na ação não divisionária, pois seu objetivo profissional tem o duplo sentido de INFORMAR e de UNIR. Graciano Coutinho, tem sido, assim, um elemento de fraternização e integração, pela inteligência, pela sinceridade e, sobretudo, pela veracidade com que informa e serve aos interesses e ideais da Comunidade Portuguesa e da Família Luso-Brasileira. Muitos e bons têm sido os serviços que presta à Comunidade, sem empáfia e sem carisma de nenhuma espécie. Entra por tudo isso neste friso de pedreiros-intelectuais, dedicados à construção de nossa Comunidade de língua Portuguesa. Graciano Coutinho nasceu em Rocas do Vouga, Concelho de Sever do Vouga, Distrito de Aveiro, filho de Maria Antonia Coutinho. É Jornalista profissional. Desde que chegou ao Brasil, em 9 de maio de l959, teve sempre participação ativa no meio jornalistico, social e associativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *