Motoristas de ônibus decidem hoje sobre paralisação de greve geral

Sindicato dos motoristas de ônibus tem convocado categoria para atos, mas ainda não decidiu sobre paralisações (Foto: Divulgação)
Sindicato dos motoristas de ônibus tem convocado categoria para atos, mas ainda não decidiu sobre paralisações (Foto: Divulgação/Sintro-CE)

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Ceará (Sintro) se reunirá às 16h30min desta quarta-feira, 28, para definir se a categoria irá paralisar atividades em adesão ao movimento de greve geral convocado para todo o País nesta sexta-feira, 30.

Desde o início da semana, circula nas redes sociais uma carta aberta do sindicato convocando a categoria para o movimento. No documento, a diretoria do órgão ataca “governo corrupto de Michel Temer” e convoca protesto contra reformas trabalhista e da Previdência.

Um dos diretores do Sintro, Tobias Brandão explica, no entanto, que a carta representa mais um “manifesto político” do próprio sindicato. Já a adesão formal da categoria a paralisações ainda será deliberada na reunião desta quarta-feira. “Vamos definir como iremos participar desse movimento”.

Nos últimos dias, membros do sindicato têm visitado terminais para informar decisão do ato e convocar trabalhadores para atos da greve geral. Na última semana, a categoria encerrou campanha salarial e aprovou proposta de reajuste salarial em 5,5%.

Carlos Mazza

Sobre Carlos Mazza

Repórter do núcleo de Conjuntura do O POVO. Jornalismo de dados, reportagens investigativas, bastidores da política cearense. carlosmazza@opovo.com.br

7 thoughts on “Motoristas de ônibus decidem hoje sobre paralisação de greve geral

  1. lá vem problema para nós usuarios,seria interessante si se todas as categorias se unissem e sim parassem pois seria mais que legitimo.mais uma minoria sim e outra não ai agente sai perdendo

  2. A categoria está a mercê dos patrões,baixa porcentagem de aumento salarial e negociação atrasada… Greve geral já! Apoiado!

  3. E a população novamente é que sairá prejudicada. A reivindicação é justa, mas não é certo parar o transporte público da cidade inteira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *