Aproximadamente 2435 resultados (0,133 segundos)

Rachel de Queiroz conta Leonardo Mota

Na edição de sábado passado e neste [24/4/2010] a crônica de Rachel de Queiroz no O POVO falou sobre Leonardo Mota, o pesquisador do folclore cearense, que morreu em 1948. Leota, seu nome para os amigos, é pouco conhecido das novas gerações. A crônica de Rachel ajudam a traçar o perfil desse homem, o primeiro […]

Continue lendo

Com “O cabo Militão” completo as 11 histórias de Leonardo Mota “No tempo de Lampião”

Com este conto encandeante de Leonardo Mota concluo a série de 11 histórias que publiquei neste blog reproduzidas do livro “No tempo de Lampião”, que contém uma segunda parte com o entretítulo “Anedotári, adagiário e notas sobre a poesia e a linguagem populares”. Espero ter levado aos possíveis leitores um pouco do que foi este […]

Continue lendo

Lampião e seus perseguidores

Esta é a 10ª história sobre o cangaço do livro “No tempo de Lampião”, de Leonardo Mota, no próximo domingo, conclui-se a série. Saiba mais sobre Leonardo Mota e as hisórias que venho publicando: O príncipe; Para tirar a raça; O castiçal; Quem escreveu a patente de Lampião; A morte do Jararaca; O troféu; Brincadeira […]

Continue lendo

ABC Editora e seu acervo de clássicos cearenses e nordestinos

Quem tem paciência de acompanhar este blog, sabe que eu venho publicando alguns textos de Leonardo Mota, referência nas pesquisas sobre a cultura popular nordestina. Divulgo as onze histórias sobre o cangaço que ele recolheu e enfeixou em No tempo de Lampião, livro escrito em 1920.  Leonardo Mota é nome de rua no Dionísio Torres, o que o […]

Continue lendo

Um precursor de Lampião

A nona história,  das onze incluídas no livro “No tempo de Lampião”, de Leonardo Mota [1891-1948], o cearense de Pedra Branca que dedicou sua vida a registrar o romanceiro popular. Já publicadas: O príncipe Para tirar a raça O castiçal Quem escreveu a patente de Lampião A morte do Jararaca O troféu Brincadeira de Homem A prisão […]

Continue lendo

A prisão da Antônio Silvino, em "No tempo de Lampião"

Esta é a oitava história do livro “No tempo de Lampião”, de Leonardo Mota [1891-1948], o cearense de Pedra Branca que dedicou-se a estudar as coisas do sertão nordestino, publicando seu trabalho em vários livros. “No tempo de Lampião” foi escrito em 1930, os contos que eu reproduzo aqui são da segunda edição, de 1967, que eu […]

Continue lendo

"Brincadeira de homem"

Publico a sétima história sobre o cangaço, reproduzida do livro “No tempo de Lampião”, de Leonardo Mota [1891-1948 ], cearense de Pedra Branca que dedicou-se a pesquisar as coisas do sertão nordestino. Estou editando as publicações aos domingos, tendo já publicado: O príncipe Para tirar a raça O castiçal Quem escreveu a patente de Lampião A […]

Continue lendo

"O troféu", de Leonardo Mota

Esta postagem é a sexta história sobre o cangaço que reproduzo do livro “No tempo de Lampião”, de Leonardo Mota [1891-1948 ], cearense de Pedra Branca que dedicou-se a pesquisar as coisas do sertão nordestino. São 11 contos no total. Estou editando as publicações aos domingos, tendo já publicado: O príncipe Para tirar a raça […]

Continue lendo

A morte do Jararaca

Este é a quinta história sobre o cangaço que reproduzo do livro “No tempo de Lampião”, de Leonardo Mota [1891-1948 ], cearense de Pedra Branca que dedicou-se a pesquisar as coisas do sertão nordestino. Estou editando as publicações aos domingos, tendo já publicado: O príncipe Para tirar a raça O castiçal Quem escreveu a patente […]

Continue lendo

Quem escreveu a patente de Lampião

“Não mexe em nada do que o teu pai escreveu. Orlando, Orlando… O que o Leota fez está feito e é sagrado”, de Luís Câmara Cascudo, a Orlando Mota, filho de Leonardo Mota, que organizava um livro do pai a partir das anotações que ele deixara. Orlando perguntou a Câmara Cascudo se devia fazer algum […]

Continue lendo