Ribeira dos Icós: o teatro que nunca foi inaugurado

Teatro da Ribeira dos Icós: o palco é inclinado para permitir a visão dos pés dos artistas em espetáculos de dança
Teatro da Ribeira dos Icós: o palco é inclinado para permitir a visão dos pés dos artistas em espetáculos de dança

O Teatro da Ribeira dos Icós é o mais antigo do Ceará, construído em 1860. Mas, até hoje, não foi inaugurado.

Segundo a história oral, no dia da inauguração; a elite de Icó, muito ciosa de sua importância, mandava os empregados ao teatro para ver se alguém havia chegado e que roupa estava vestindo: ninguém queria chegar primeiro e todos queriam brilhar mais. Nessas idas e vindas, o baile programado acabou não acontecendo e o teatro nunca foi inaugurado.

Vejo que o palco do teatro é levemente inclinado, em direção à platéia. Pergunto a Afonso o motivo: foi o modo que o construtor encontrou para, quando houvesse espetáculo de dança, os espectadores vissem os pés dos atores. [Bem pensado!]

Pela disputa que há com Quixeramobim, para ver quem tem o teatro mais antigo, os quixerambinenses admitem que o seu é o segundo mais antigo do Ceará – mas ironizam o Teatro da Ribeira dizendo que este nunca foi inaugurado.

[Para ler todos os posts sobre o assunto clique abaixo em “Roteiro de férias”.]

Plínio Bortolotti

Sobre Plínio Bortolotti

Jornalista. Diretor Institucional do Grupo de Comunicação O POVO, jornal, rádios e TV (Fortaleza, Ceará). No jornal O POVO foi repórter, editor e ombudsman por três mandatos (2005/2007). Integra o Conselho Editorial do jornal e coordenou o Conselho de Leitores (2008/2015). Também é responsável pelo projeto Novos Talentos para estudantes de Jornalismo. Escreve um artigo semanal para a editoria de Opinião e assina a coluna "Menu Político", no caderno People. Na rádio O POVO/CBN é âncora do programa diário "Debates do Povo" e faz comentário diariamente no programa de rádio Revista O POVO/CBN. Diretor da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), entre os anos de 2008/2011. Cidadão Cearense, por título concedido pela Assembleia Legislativa em dezembro de 2010.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *