Câmara e Senado Federal vão gastar R$ 10 bilhões este ano

Reprodução da coluna “Menu Político”, edição de 13/8/2017 do O POVO.//////

Apenas 4% dos mais de cinco mil municípios gastam mais com saúde do que a Câmara Federal//////

Câmara e Senado Federal vão gastar R$ 10 bilhões este ano//////

Na coluna da semana passada mostrei o pesado custo das carreiras jurídicas no Brasil (Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública). A despesa do Poder Judiciário brasileiro é superior ao gasto, por habitante, de países como a Suécia, Holanda, Itália, Portugal, Inglaterra a Espanha. Grande parcela desses recursos é gasta com recursos humanos, ou seja, usado no pagamento dos altos salários e benefícios a juízes, procuradores e defensores públicos (que frequentemente se valem de artifícios para superar o teto constitucional).

Outra fonte por onde jorra generosamente o dinheiro público é o Poder Legislativo. Levantamento do Jornal Folha de S. Paulo (2003) revela que o congressista brasileiro é o segundo mais caro do mundo, comparando a outros 110 países, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Segundo a Associação Contas Abertas, o maior orçamento é o da Câmara dos Deputados que, além de 513 deputados, tem cerca de 16 mil funcionários. Para a Câmara, a previsão de gastos é de R$ 5,9 bilhões para este ano, sendo que 81% (R$ 4,4 bilhões) serão destinados ao pagamento de pessoal e encargos sociais.

Levantamento do portal Congresso em foco mostra que um deputado federal dispõe de R$ 168,6 mil por mês entre salário e benefícios (auxílio moradia, verba para contratação de funcionários e gastos com o gabinete)
Juntos, os 513 deputados custam, em média, R$ 86 milhões ao contribuinte todo mês; mais de R$ 1 bilhão por ano. Salário e benefícios de senadores são parecidos com o que recebem os deputados.

Levantamento da Contas Abertas mostra ainda que a Câmara dos Deputados dispõe de um serviço médico exclusivo gastando cerca de R$ 100 milhões por ano. O serviço dispõe de 82 médicos de 17 especialidades, mais emergência. Apesar de a Câmara ficar perto dos dois maiores hospitais de Brasília, o serviço tem tomógrafo novos e ambulância. Entretanto, os atendimento mais comuns, segundo informações do próprio departamento, são pressão alta, dor de cabeça, infecções de nariz e laringe e diarreia, problemas que poderiam ser resolvidas em um posto de saúde.

Com base nesses dados, a Contas Abertas verificou que apenas 4% dos mais de cinco mil municípios brasileiros gastam mais com saúde do que a Câmara Federal.

Além disso, deputados e senadores ainda dispõem de plano de saúde. O dos senadores atende também às família e tem despesas médicas reembolsáveis, inclusive odontológicas (até R$ 25,9 mil). O plano dos deputados oferece atendimento gratuito aos familiares no departamento médico da Câmara e garante reembolso de gastos com médicos e odontólogos.

A Contas Abertas informa que o orçamento total previsto para Câmara dos Deputados e o Senado Federal para este ano é de R$ 10,2 bilhões, valor que representa R$ 28 milhões por dia.

Se o Congresso estivesse mesmo pensando “no bem do Brasil”, quando fala em “reforma” e “modernização das leis trabalhistas”, deputados e senadores deveriam dar o exemplo. Poderiam cortar seus muitos excessos e enfrentar a casta privilegiada do serviço público. É muito fácil reduzir o Bolsa Família, debilitar o SUS; promover o desemprego e aumentar impostos enquanto as suas próprias benesses continuam intocáveis, como se fossem concedidas por direito divino.

NOTAS

QUANTO CUSTA UM DEPUTADO
Com salário mais benefícios, um deputado custa ao contribuinte R$ 168.662,44 por mês, equivalente a R$ 2.023.949,28 por ano.

SERVIÇO MÉDICO
O gasto da Câmara com o departamento médico passa de R$ 92 milhões ao ano. Gil Castelo Branco, diretor da Contas Aberta, diz que enquanto o “cidadão comum” é mal atendido no serviço público de saúde, ele paga para que “alguns tenham atendimento de primeiro mundo”. Para Castelo Branco, o atendimento oferecido aos deputados e famílias, deveria ser o “padrão para todo brasileiro”.

CRÉDITO
Contas Abertas: Congresso Nacional custará R$ 28 milhões por dia em 2017, Cidadão é quem paga saúde de primeiro mundo na Câmara; Congresso em Foco: Deputados custam R$ 1 bilhão por ano ao contribuinte.

Plínio Bortolotti

Sobre Plínio Bortolotti

Jornalista. Diretor Institucional do Grupo de Comunicação O POVO, jornal, rádios e TV (Fortaleza, Ceará). No jornal O POVO foi repórter, editor e ombudsman por três mandatos (2005/2007). Integra o Conselho Editorial do jornal e coordenou o Conselho de Leitores (2008/2015). Também é responsável pelo projeto Novos Talentos para estudantes de Jornalismo. Escreve um artigo semanal para a editoria de Opinião e assina a coluna "Menu Político", no caderno People. Na rádio O POVO/CBN é âncora do programa diário "Debates do Povo" e faz comentário diariamente no programa de rádio Revista O POVO/CBN. Diretor da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), entre os anos de 2008/2011. Cidadão Cearense, por título concedido pela Assembleia Legislativa em dezembro de 2010.

3 thoughts on “Câmara e Senado Federal vão gastar R$ 10 bilhões este ano

  1. O judiciário mais caro do mundo, com o legislativo mais caro do mundo, o povo pagando a conta, pergunto até quando isso acontecer, os serviços essenciais não existem, segurança só existe para parlamentares, o povo brasileiro tem que mudar isso.

  2. Fico feliz que concorde ao menos na redução desta parte do Estado, grande gerador de desigualdades e concentração de renda.

  3. Bom dia:
    Como sempre , mais uma análise pertinente e honesta.
    Parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *