Aproximadamente 419 resultados (0,143 segundos)

Coluna À procura da poesia: uma rosa de Drummond para nossos tempos

Por Talles Azigon* Em 1948, devido as atrocidades cometidas durante a Segunda Guerra Mundial, foi proclamada através das nações unidas a Declaração Internacional de Direitos Humanos. Os tempos eram sombrios e era necessário, através de algum dispositivo, tentar manter politicamente, ou simbolicamente, um pouco de dignidade a espécie humana. Três anos antes, o poeta Carlos Drummond […]

Continue lendo

Coluna À Procura da Poesia: Saral, um presente de 46 leitoras e leitores para você

  Por Talles Azigon* Antes de dezembro chegar – e com ele todas as avaliações surgidas com essa forma artificial de contar o tempo através dos anos – afirmo que 2017 tem sido um ano de construção. Revi muitas prioridades e me propus através de todas as formas possíveis, e essa coluna semanal é uma […]

Continue lendo

Coluna À procura da Poesia: Nariz de Vidro, de Mário Quintana.

Por Talles Azigon* Parece – e o Mário Quintana reafirma isso em seu livro Nariz de Vidro – que é necessário experimentar um outro estado de espírito para se viver bem o prazer do poema. Vamos nos debruçar sobre o seguinte poema presente no livro, um dos mais conhecidos de Quintana:

Continue lendo

Coluna À procura da poesia: Manoel de Barros e Poemas Rupestres

Por Talles Azigon* A poesia brasileira é tão imensa quanto nosso país-continente. Muitos sotaques, formas e modos atravessam a poesia. Possuímos uma poética tão diversa quanto às nossas espécies de aves e plantas. Falando de pássaros e árvores, Manoel de Barros, com ave no nome, é uma espécie de doutor. O poeta, nascido em Cuiabá, é […]

Continue lendo

Coluna À procura da poesia: Quando vieres ver um banzo cor de fogo, da poeta Nina Rizzi

Por Talles Azigon* Poemas são bichos selvagens. Aparentemente difíceis de entender. Aparentemente estranhos. Aparentemente impenetráveis. Porém, poemas são fáceis de comer. É possível lamber um poema. É fácil. Você precisa a boca dos olhos, e ler em voz alta com os olhos da boca, nessa pequena receita abstrata está uma das possíveis chaves para ler […]

Continue lendo

Coluna À procura da poesia: No tempo dividido e outros mares de Sophia

Por Talles Azigon* “Meu desejo é o rastro que ficou das aves” Sophia de Mello Breyner Andersen Em 2006, Maria Bethânia oferece ao mundo uma obra dupla, composta por Mar de Sohpia e Pirata. A mesma cantora, declaradamente fã de Sophia de Mello Breyner, que tantas vezes cantou o Mar da Bahia utilizando os versos […]

Continue lendo

Coluna À procura da poesia: As flores do mal – parte II

Por Talles Azigon* “Poesia é o que se perde na tradução” Robert Frost Na primeira parte de nossa conversa sobre Baudelaire fizemos uma proposta de experimentar a poesia, relaxar um pouco dessa perspectiva do texto em prosa na qual sempre buscamos entender os sentidos (ou decodificar as mensagens). No caso do poema, propomos uma leitura […]

Continue lendo

Coluna À procura da poesia: Quem tem medo de Baudelaire?

Por Talles Azigon (da página Poesia Brasileira) Quando o assunto é poesia costumamos escutar alguns nomes recorrente. Rimbaund, Verlaine e, principalmente, Baudelaire. Esses nomes aparecem ligados a um movimento literário chamado Simbolismo. Todos esses nomes têm forte influência para poetas Brasileiros – como Mario Quintana, Cecília Meireles, Manuel Bandeira, Manoel de Barros.

Continue lendo

Coluna À Procura da Poesia: Um livro de Horas, de Emily Dickinson

Muitas são as mentiras escutadas durante nossa vida. Escutadas e repetidas. Dentre ela temos uma: poesia é coisa de menina. É fato, hoje, as mulheres são as maiores consumidoras de literatura. Contudo, durante muito tempo, a nossa cultura machista as legou somente a esse posto: consumidoras. Não estou dizendo que essa é uma colocação menos […]

Continue lendo

Coluna À procura da poesia: Flores de Alvenaria, Sérgio Vaz

Por Talles Azigon (da página Poesia Brasileira) Pode-se ler um livro de poesia sob diferentes modo – pensando na forma, ou seja, como ele é escrito, quais as palavras escolhidas, como ele se organiza, se por estrofes ou numa grande estrofe. Também é possível fazer a leitura através dos conteúdos nele impresso. OU até mesmo […]

Continue lendo