Inteligência artificial detecta se uma pessoa é gay

Algoritmo detecta traços faciais para revelar orientação sexual (Foto: Reprodução/Universidade Stanford)

Criado por pesquisadores da Universidade Stanford, em Palo Alto, Califórnia, um sistema de inteligência artificial é capaz de determinar a orientação sexual de uma pessoa analisando uma fotografia da face. Segundo os pesquisadores, os resultados avançam o entendimento sobre as origens da orientação sexual e os limites da percepção humana.

De acordo com o estudo, publicado nesta semana no “Journal of Personality and Social Psychology”, a máquina tem precisão de 81% entre homens e 74% entre mulheres, mas “a precisão do algoritmo aumenta para 91% e 83%, respectivamente, se forem dadas cinco imagens da pessoa”.

Cientistas alimentaram uma rede neural profunda com 35.326 imagens faciais. A partir delas, a máquina foi capaz de distinguir por traços físicos, como formato do nariz e gestuais, gays e heterossexuais.

As fotos foram retiradas de um site de relacionamento público. O estudo levanta questões sobre as origens biológicas da orientação sexual, a ética das tecnologias de reconhecimento facial e o potencial da inteligência artificial sem violar a privacidade das pessoas.

A pesquisa indicou que alguns gestos e apresentações são mais passíveis para a homossexualidade. Entre os homens, os gays teriam mandíbulas mais estreitas que os héteros, narizes e frontes maiores em relação também. Já as mulheres, mandíbulas e frontes menores são sinais de homossexualidade.

 

Walber Freitas

Sobre Walber Freitas

Jornalista em formação. Trabalha no portal O POVO Online. 3 anos de carreira no Rádio e TV. Redes Sociais: Facebook.com/walberdefreitas; Instagram: @walberfreitasoficial; Snap: walberdefreitas; Twitter: @walberfreitas10; E-mail: walberdefreitas1@gmail.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *