O melhor do Mano é o Ney

Ney Franco foi a mais acertada decisão de Mano Menezes desde que o gaúcho assumiu a Seleção da CBF. Depois do título Sul-Americano, a Seleção sub-20 da CBF, mesmo sem Lucas e Neymar, conseguiu o título do mundial ao bater Portugal por 3×2 neste sábado, na Colômbia. Todos os gols brasileiros foram marcados por Oscar, dois sem querer (não há golaço sem querer, convenhamos). Os tentos dos portugueses foram de Alex e Nelson Oliveira.

Mesmo que não ganhasse o título, os meninos comandados por Ney Franco já teriam um trabalho vitorioso. Do ponto de vista tático, são obedientes e competentes. A Seleção sub-20 tem um jeito de jogar e líderes atuantes, não falsos líderes omissos como no time de Mano. E do ponto de vista técnico, são jogadores com enorme potencial para a construção de bonitas carreiras.

Pelas informações de agora, o técnico nas Olimpíadas de Londres (o time será o sub-23 com três reforços acima dessa idade, caso seja opção da comissão técnica) será Mano Menezes, caso ele permaneça na entidade. Neste momento, me parece a pior opção, tendo em vista o potencial de estragar o que tem sido bem feito. E tem outra: caso vença, conquista algo inédito e ganha fôlego para continuar até 2014. Em caso de derrota, não resiste até a Copa no Brasil.

E para registrar, o time campeão jogou com Gabriel; Danilo, Bruno Uvini, Juan e Gabriel Silva (Allan); Fernando, Casemiro, Philippe Coutinho (Dudu) e Oscar; Henrique e Willian José (Negueba).

Henrique ganhou o prêmio de melhor jogador da competição e de artilheiro, com cinco gols.

Compartilhar

2 comentários sobre “O melhor do Mano é o Ney

  1. Graziani,

    Ney Franco já vinha demonstrando sua habilidade no comando técnico e profissionalismo em muitos clubes no Brasil, principalmente no Coritiba no ano passado, onde deixou uma equipe montado e bem extruturada para a campanha do Paranaense e posteriomente no Copa do Brasil.

    Porém, na “Seleção principal” predominam os olofotes e o aspecto dos patrocinadores mor, e não se sabe ao certo se o mesmo teria o mesmo domínio demostrado a frente das seleções de base.

    O ponto de vista é salutar, porém, acredito que a solução passa aquém do que imagina nossa vã filosofia.

    Um Abraço.

  2. Graziani, concordo com esse título, mas o Ney Franco quase coloca tudo a perder com uma substituição no intervalo: tirou o lateral-esquerdo Gabriel Silva para colocar o fraquíssimo lateral-direito Allan; o lateral-direito titular, Danilo, foi jogar de volante; o volante Casemiro foi jogar de quarto-zagueiro (um desperdício para quem tem habilidade e chega bem ao ataque, até marcando gols); e o quarto-zagueiro Juan (outro fraquíssimo, que acha que é mais homem do que os outros por conta da violência e que deveria ter sido expulso logo após levar um cartão amarelo no segundo tempo) foi jogar de lateral-esquerdo e levou um baile daquele português Nelson Oliveira, craque de bola, que só não fez mais gols porque jogou por ele e mais uns três e acabou exaurido, sem nenhuma condição física. Se fosse para entrar um novo gênio do futebol mundial até valeria a pena fazer uma mudança tática dessa.
    Creio que dessa safra vão sobrar para a seleção principal jogadores como Danilo, Henrique (esse é artilheiro, tem cheiro de gol) e Casemiro (joga muito como volante, sabe marcar, tem bom passe e chega bem ao ataque). Não aposto no Oscar. Já o P. Coutinho parece que tem o mesmo perfil do Pato e Robinho: muito estrelismo e pouco futebol objetivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>