Botafogo 1 x 2 Ceará – Alvinegro mantém 100% de aproveitamento jogando fora de casa na Copa do Brasil

Eduardo marcou o 1° gol do Alvinegro na partida. Foto: Lancenet
Eduardo marcou o 1° gol do Alvinegro na partida. Foto: Lancenet

No ano do Centenário, o Ceará segue fazendo bonito na Copa do Brasil. Após eliminar o poderoso Internacional com duas vitórias convincentes e se garantir nas oitavas de final da competição, o Vovô estreou com o pé direito na fase que reúne os 16 melhores times do torneio ao bater o Botafogo por 2 a 1 em pleno Maracanã.

O resultado garantiu o 100% de aproveitamento da equipe comandada por Sérgio Soares jogando fora de casa na Copa do Brasil.

Ao todo, foram quatro jogos, com quatro vitórias. Na primeira fase, o alvinegro bateu o Parnahyba por 1 a 0; em seguida, o Vovô foi até Chapecó e triunfou sobre a Chapecoense por 2 a 1; mesmo placar que venceu o Internacional, no Beira Rio, e agora o Botafogo, no Maracanã, pelas oitavas de final.

Com esses resultados, o Vovô é o único time que está na Copa do Brasil desde a primeira fase e possui 100% de aproveitamento jogando longe de casa.

Detalhe: das quatro vitórias longe de seus domínios, três foram contra equipes que estão na Série A do Campeonato Brasileiro, sendo a última delas – contra o Botafogo – atuando com um time misto, o que mostra a força do elenco alvinegro atuando mesmo longe de seu torcedor.

Ceará e Botafogo voltam a se enfrentar após três anos; os dois times já se cruzaram na Copa do Brasil

O último duelo entre Ceará x Botafogo ocorreu na Série A de 2011. Foto: Gazeta Press
O último duelo entre Ceará x Botafogo ocorreu na Série A de 2011. Foto: Gazeta Press

Continue lendo

Vitória do Fortaleza sobre o Águia põe fim a mais um tabu e Leão fica ainda mais perto do mata-mata

Robert marcou o segundo gol na vitória tricolor. Foto: O POVO
Robert marcou o segundo gol na vitória tricolor. Foto: O POVO

O Fortaleza segue mesmo com todo o gás na Série C. Na noite desta segunda-feira (25), o Tricolor foi até Marabá, venceu o Águia por 2 a 0 e deu um grande passo na busca por uma vaga na próxima fase da competição.

O time comandado por Marcelo Chamusca atingiu a marca de 26 pontos em 12 partidas disputadas e manteve a liderança isolada do grupo A da Série C. Além disso, abriu seis pontos de vantagem para o Botafogo/PB (segundo colocado) e oito para o CRB (que ocupa a 5ª colocação e é o primeiro time fora do G4).

Com isso, o Tricolor está muito perto de garantir a classificação para as quartas de final da Terceirona, que pode vir com quatro rodadas de antecedência.

De quebra, o resultado garantiu ainda o fim de um tabu. Essa foi a primeira vitória do Fortaleza no estádio Zinho de Oliveira, onde o Leão do Pici já havia enfrentado o Águia em três oportunidades e todas terminaram empatadas.

O Fortaleza volta a campo no próximo domingo (31), quando enfrenta o Crac/GO, às 19h, no PV, pela 13ª rodada da Série C. Com apenas oito pontos conquistados, a equipe goiana ocupa a vice lanterna do Grupo A. A expectativa da diretoria tricolor é de casa cheia para o confronto que pode colocar o time ainda mais próximo do mata-mata.

Ceará vê dois de seus principais destaques como alvo de gigantes da Série A

Magno Alves e Nikão são dois dos principais jogadores do setor ofensivo do Ceará. Fotos: O POVO
Magno Alves e Nikão são dois dos principais jogadores do setor ofensivo do Ceará. Fotos: O POVO

A semana não tem sido fácil para o Ceará. Após sofrer duas derrotas em sequência na Série B – para Vasco e ABC – o Vovô corre o risco de perder dois de seus principais jogadores para o restante do ano.

Nos últimos dias, tem sido veiculado pela imprensa nacional o interesse de Flamengo e Fluminense em contratar Nikão e Magno Alves, respectivamente.

O negócio se torna mais real tendo em vista que a janela de transferências para quem joga fora do país está encerrada e a maioria dos jogadores da Série A já completou sete jogos no Campeonato Brasileiro – o que os impede de atuar por outro clube do Brasileirão. Com isso, os clubes da elite do futebol nacional estão de olho nas divisões inferiores.

O caso de Magno Alves é considerado mais delicado. Principal jogador e artilheiro do time, com 26 gols na temporada, o Magnata já declarou que sonha em voltar ao clube carioca e admite a possibilidade de deixar o Alvinegro. Já Nikão prefere não comentar o assunto, e se limita a dizer que “a questão será tratada pelos empresários”.

O Ceará, por sua vez, faz jogo duro e não pretende liberar os atletas. Contudo, o Vovô admite que há a possibilidade de que, mesmo assim, os jogadores sejam transferidos. Mas com uma condição: o pagamento da multa rescisão contratual.

Em sua conta no twitter, o presidente em exercício do Ceará, que também chefia o departamento de futebol, Robinson de Castro, foi taxativo ao falar da situação de Magno Alves e Nikão.

“Vou ser curto e grosso! No Ceará jogador só sai se pagarem a MULTA! Recado a quem interessar! Aqui não tem menino! Podem ficar de beicinho”, disparou o dirigente.

Resta aguardar o desfecho dessas negociações, que será conhecido nos próximos dias. Enquanto isso, o torcedor alvinegro espera que as situações extracampo não interfiram no desempenho dos atletas dentro das quatro linhas.

Série C – Mais uma vitória praticamente garante o Fortaleza no mata-mata

Sequência invicta alavanca confiança do Tricolor na Série C. Foto: Tatiana Fortes / O POVO
Sequência invicta alavanca confiança do Tricolor na Série C. Foto: Tatiana Fortes / O POVO

Único time invicto nas séries A, B e C do Campeonato Brasileiro, o Fortaleza vive momento de muita tranquilidade. Líder isolado do Grupo A da Terceira Divisão, após 11 rodadas, o Leão segue com 23 pontos, três à frente do vice líder Botafogo/PB e com 8 de vantagem para o CRB, atual quinto colocado (primeira equipe fora do G4).

Analisando o panorama, os tricolores projetam que mais uma vitória praticamente sela a classificação antecipada ao mata-mata da Série C.

Tiunfo esse que pode vir já na próxima segunda-feira (25), quando o tricolor encara o Águia de Marabá, que, ao contrário do clube cearense, vive momento difícil. Os paraenses ocupam a lanterna do grupo, com apenas 8 pontos em 11 partidas. O duelo ocorre às 21h30min, no estádio Zinho de Oliveira.

Conseguindo mais esse resultado positivo, a classificação definitiva pode vir na rodada seguinte, contra o Crac, no PV. Somando duas vitórias nessas partidas, o time de Marcelo Chamusca chega aos 29 pontos e, dependendo de uma combinação de resultados, já garante a vaga.

Conquistando isso, Chamusca terá a chance de poupar os jogadores que vêm de uma sequência dura de jogos e ainda poderá proporcionar oportunidades aos atletas que não estão atuando. Além, claro, de ajustar o elenco técnica, tática e psicologicamente para a fase eliminatória.

Balanço da rodada: Derrotas de Ceará e Vasco embolam de vez o G4 da Série B

Renato marcou, nos acréscimos, o gol da vitória potiguar. Foto: Fábio Lima / O POVO
Renato marcou, nos acréscimos, o gol da vitória potiguar. Foto: Fábio Lima / O POVO

A terça-feira (19) de rodada cheia na Série B não foi boa para o Ceará. Mesmo jogando no PV, o alvinegro foi derrotado pelo ABC por 2 a 1, com gol nos acréscimos, e sofreu sua segunda derrota consecutiva na competição.

A derrota só não custou mais caro para o Vovô porque o Vasco, que também possui 31 pontos e divide a liderança com o Ceará (mas está atrás pelo número de vitórias: 9 do time cearense contra 8 do clube carioca) foi derrotado pelo lanterna Vila Nova.

Por outro lado, os demais concorrentes por uma vaga no G4 venceram. Jogando no Canindé, o Avaí surpreendeu a Portuguesa e venceu por 3 a 1. Com o resultado, o clube catarinense ganhou uma posição e agora ocupa o 3° lugar na tabela, com 30 pontos, apenas um a menos que o Ceará.

Logo atrás do Avaí, com 29 pontos, aparecem América/MG e Joinville, que venceram Luverdense e Boa Esporte, respectivamente.

Com isso, a vantagem do Ceará para o 5° colocado – primeiro time fora do G4 – que era de 5 pontos até ontem, caiu para apenas 2, e o G4 da Série B está mais embolado que nunca!

VERDÃO TAMBÉM PERDE
Para completar o dia de maus resultados para os cearenses, o Icasa foi até o estádio Durival de Brito e perdeu para o Paraná por 1 a 0. Com isso, o Verdão do Cariri ficou ainda mais perto da zona da degola.

O alviverde cearense caiu para a 16ª posição e está apenas dois pontos à frente do Bragantino, primeira equipe do Z4. Porém, os paulistas possuem um jogo a menos e podem mandar o Verdão para a zona de rebaixamento.

Confira a classificação completa da Série B

Opinião – Sorteio da Copa do Brasil foi bom para o Ceará

Após eliminar o Inter, Ceará enfrentará o Botafogo na Copa do Brasil. Foto: Fábio Lima/O POVO
Após eliminar o Inter, Ceará enfrentará o Botafogo na Copa do Brasil. Foto: Fábio Lima/O POVO

O torcedor do Ceará, enfim, conheceu o adversário do clube nas oitavas de final da Copa do Brasil. Após sorteio realizado na sede da CBF, no Rio de Janeiro, ficou definido que o Vovô enfrentará o Botafogo na próxima fase da competição.

Pode-se dizer que o sorteio foi, de certa forma, generoso com o alvinegro de Porangabuçu. Tendo em vista as possibilidades de confronto (o clube cearense poderia enfrentar equipes como Cruzeiro, Corinthians, Grêmio ou Atlético/MG), a escolha do Botafogo foi vista com bons olhos pelos cearenses.

O clube carioca vive momento difícil na temporada e passa por problemas extracampo, como atraso de salários e insatisfação da torcida com a atual diretoria. Prova disso é que o clube já tem data marcada para eleição de novo presidente.

Atualmente o Fogão ocupa a 12ª colocação na Série A, com 16 pontos. Foram 4 vitórias, 4 empates e 7 derrotas em 15 jogos disputados.

É preciso ressaltar que o Botafogo não é um adversário fraco. Porém, levando em consideração os demais times que estavam no sorteio, é inegável que a definição do alvinegro carioca estabelece um confronto mais equilibrado. Apesar de tudo, o Ceará deve entrar focado e buscar a classificação mostrando o mesmo empenho que apresentou diante do Internacional.

Caso elimine o clube carioca, o Vovô enfrentará o vencedor do duelo entre Grêmio x Santos nas quartas de final.

Balanço do final de semana: times cearenses lideram as Séries B, C e D do Brasileiro

Guarany foi o único cearense a vencer no final de semana. Foto: Edinardo Abreu/Guarany S.C.
Guarany foi o único cearense a vencer no final de semana. Foto: Edinardo Abreu/Guarany S.C.

No geral, o final de semana não foi de bons resultados para os clubes cearense. Ceará e Fortaleza atuaram fora de casa e voltaram pra a capital cearense sem nenhuma vitória. Jogando diante de sua torcida, o Icasa também foi derrotado. O Guarany de Sobral foi o único dos times cearenses a conseguir vencer no final de semana.

A rodada dos times cearenses começou na tarde de sábado (16), quando o Alvinegro enfrentou o Vasco no Rio de janeiro e foi derrotado pelo placar de 2 a 0.

No mesmo dia, um pouco mais tarde, foi a vez do Fortaleza entrar em campo. O Tricolor foi até a Arena Pantanal e empatou com o Cuiabá em 1 a 1.

Também no sábado, o Icasa enfrentou o América/RN, no Romeirão, e se deu mal. Mesmo com o apoio da torcida, o Verdão não conseguiu emplacar a segunda vitória seguida na Série B e perdeu por 2 a 0.

O Guarany de Sobral foi o único clube cearense que se deu bem no final de semana. O Cacique do Vale venceu o Remo fora de casa por 1 a 0 e assumiu a liderança da Série D.

Com isso, apesar de uma rodada sem vitórias de Ceará, Icasa e Fortaleza, os clubes cearenses lideram as séries B, C e D do Campeonato Brasileiro.

O Vovô, mesmo com a derrota, segue com 31 pontos, mesma pontuação do Vasco, que ocupa a segunda colocação pelo número de vitórias (9 dos cearenses contra 8 dos cariocas). Na Série C, o Fortaleza segue soberano. Invicto, o Leão acumula 23 pontos em 11 jogos disputados.

Na Série D, o Bugre lidera o grupo A2, com seis pontos, seguido do Moto Clube/MA, que acumula a mesma pontuação, mas com uma vitória a menos.

Entre o gramado e a bolacha

A partir do dia 27 de setembro, desfilará pelos gramados da Paraíba, o jogador profissional em atividade mais velho do mundo. Pedro Ribeiro Lima, 66 anos, 20 dos quais dedicados a Associação Desportiva Perilima, de Campina Grande, clube que fundou, é presidente, já foi técnico, capitão e camisa 10, e que está de volta ao futebol profissional depois de cinco anos sem jogar partidas oficiais. A equipe vai disputar a segunda divisão do Campeonato Paraibano em 2014.

Pedro Lima se preparar para entrar em campo
Pedro Lima se preparar para entrar em campo. Foto: Ana Oliveira/ Agora Esportes

A trajetória de seu Pedro e da Perilima começou com uma história de amor mal resolvida com o futebol e um casamento bem sucedido com a sorda, biscoito feito à base de farinha de trigo e mel de rapadura. Ainda jovem, o empresário sonhava em ganhar a vida como atleta profissional, mas uma dupla falta de talento e oportunidade o fizeram montar uma padaria, que mais tarde se transformou em fábrica. É lá que cerca de 30 funcionários fabricam o biscoito típico de determinados estados do Nordeste, como a Paraíba.

Anos depois, a saúde comprometida foi o que fez reviver o amor pelo esporte. “Quando cheguei a certa idade fui acumulando umas doenças, problemas de fígado, de rins, problema de junta. Junta tudo e joga no mato”, brinca. Das peladas à profissionalização do clube em 1998, foi um salto, e no ano seguinte, a Perilima estreava na primeira divisão da Paraíba. Os jogadores, em sua maioria funcionários da fábrica, recebiam um complemento no salário pelos serviços prestados ao time.

Pedro Lima acredita que não se pode servir a dois senhores, e com o retorno do clube do coração ao futebol profissional, entregou a administração da fábrica aos filhos e se dedica só à Perilima. Também contribuiu para a decisão o fato da família temer pelo próprio patrimônio. No passado, despesas do clube o obrigaram a vender um carro para quitar dívidas. “A família se preocupa por ver você se envolver com futebol que é um negócio que gasta muito dinheiro. Como eu não prestava contas, achavam que só saia dinheiro e não entrava (no caixa da fábrica)”, relembra. Ele alega em sua defesa que a publicidade com o time ajudou a alavancar o empreendimento, que leva o mesmo nome do clube.

Pedro das Sordas, como também é conhecido, não pensa em parar. “Equanto puder eu vou jogar. Ganho em autoestima e saúde”, avalia. O técnico do clube, inclusive já foi avisado: seu Pedro tem que ser titular e só sair quando pedir. O objetivo é conseguir o sexto acesso da Perilima para a primeira divisão paraibana. Apesar de ser apontado como saco de pancadas em todas as competições que participa Pedro Lima não deixa o amor pelo time morrer. “A Perilima é minha força de viver”, orgulha-se.

Jogadores não recebem salário

Enquanto a segundona não começa, time joga amistoso uma vez por semana. Foto: Ana Oliveira/Agora Esportes
Enquanto a segundona não começa, time joga amistoso uma vez por semana. Foto: Ana Oliveira/Agora Esportes

Quem aceitar jogar na Perilima já chega sabendo que não vai receber um tostão. “Os jogadores vão se mostrar e se vender exibindo seu futebol. As vezes o cara ainda tem uma boa idade para estourar no futebol e usa a Perilima como vitrine. É uma parceria”, explica Pedro Lima.

Jogadores que já passaram pelo clube e estão sem ter onde jogar se juntaram ao projeto do Time da Sorda para 2014. Alguns são bem rodados pelo Nordeste, como o atacante Nêgo Pai, 34 anos, que este ano disputou a segunda divisão cearense pelo Maranguape.

Mas a maioria é formada por jovens que ainda buscam uma oportunidade e se agarram a Perilima como última esperança de se tornar um jogador profissional. A comissão técnica também está na mesma situação. Ninguém recebe ordenado, e em outros tempos, precisavam pagar até a própria inscrição na Federação Paraibana de Futebol (FPF).

Recomeço difícil

A volta da Perilima não foi nada triunfal, mas fruto da perseverança de Pedro Lima. A Federação Paraibana de Futebol (FPF) resolveu dar descontos de 50% nas taxas de administração para os clubes que se inscrevessem para a segundona deste ano, e o craque-biscoiteiro viu aí uma chance de reativar o clube.

Serão ao todo 12 participantes. Nenhum dos concorrentes tem tanta experiência na competição como a Perilima. Ao todo, a esquadra de Pedro Lima já conseguiu cinco acessos e agora tenta a sexta subida de divisão.

O curioso é que o clube jamais venceu título algum. Foi vice da segunda divisão até mesmo quando só havia dois participantes, como em 1998, quando perdeu o título para o seu único oponente, o Serrano.

Financeiramente, a situação é preocupante. O que ameniza é o formato da tabela, que proporciona que as equipes praticamente não se locomovam pelo Estado na primeira fase da competição, baixando assim as despesas operacionais dos clubes.

O sonho de entrar no livro dos recordes

Pedro Lima deseja ser reconhecido pelo Guiness Book, o livro dos recordes por duas razões. A primeira é por ser o jogador de futebol profissional em atividade mais velho do mundo. A segunda razão é por ser o jogador mais velho a marcar gol numa competição oficial.

O feito ocorreu em 2007, último ano em que a Perilima disputou a primeira divisão paraibana. O jogo terminou 5 a 1 para o Campinense, mas o gol de honra da Águia de Campina Grande, marcado por Pedro Lima, em cobrança de pênalti, teve direito a volta olímpica no estádio Amigão em Campina Grande-PB. O artilheiro da sorda contava 58 anos de idade.

Registro do único gol marcado por Pedro Lima.

“Durante muito tempo pensei nisso (ser reconhecido pelo Guiness), mas depois vi que é uma besteira danada. É burocrático demais e também nem sou jogador de tanta bagagem para eles virem atrás de mim”, lamenta. “Mas ainda sou muito ligado nisso”, confessa.

Pedro Lima sabe que todo gol que marcar de agora em diante poderá entrar para a história do esporte, pois não julga existir alguém mais velho em atividade no futebol profissional. Por isso, já cogita deixar o meio-campo, posição em que se sente mais à vontade e jogar no ataque. “Com essa idade, já é bom eu ficar na frente para segurar a zaga adversária e tal, mas jogando no meio eu posso orientar os meninos e eles se alertam mais”, conta.

Saiba Mais:

Números da Perilima: 127 jogos oficiais, 13 vitórias, 15 empates e 99 derrotas

Venceu apenas cinco vezes na primeira divisão da Paraíba:

2002: Perilima 3 Vila Branca 1; Perilima 5 Guarabira 1;

2003: Perilima 2 América de Caaporã 1; Auto Esporte 1 Perilima 3;

2005: Perilima 1 Nacional 0

O time é conhecido por ser o saco de pancadas da Paraíba. Veja as maiores goleadas sofridas pelo clube, todas na primeira divisão da Paraíba entre 1999 e 2007, último ano em que disputou o torneio:

Treze 11 Perilima 0

Atlético de Cajazeiras 9 Perilima 1

Nacional de Patos 9 Perilima 1

Treze 8 Perilima 1

Atlético de Cajazeiras 7 Perilima 0

Campinense 7 Perilima 0

Botafogo 7 Perilima 0

Em 2007, a Perilima estabeleceu o recorde de derrotas consecutivas no campeonato paraibano. Foram 15 derrotas seguidas. O time terminou o campeonato sem vencer um jogo sequer.