Com mais de 100 gols, Ceará foi o dono do segundo melhor ataque do Brasil em 2014

Magno Alves foi o artilheiro do Brasil, com 38 gols. Foto: Fco Fontenele/O POVO
Magno Alves foi o artilheiro do Brasil, com 38 gols. Foto: Fco Fontenele/O POVO

Mesmo após terminar a temporada sem o acesso à Série A, que seria a ‘cereja do bolo’ no ano do Centenário, o Ceará ficou marcado em 2014 como time que faz muitos gols. Prova disso é que o Vovô foi o segundo clube que mais balançou as redes adversárias em todo o Brasil durante o ano.

Segundo levantamento do site SrGoool, especialista em estatísticas de futebol, o alvinegro cearense foi detentor do segundo melhor ataque do Brasil, atrás apenas do Cruzeiro, campeão do brasileiro. No Nordeste, nenhum clube marcou mais gols que o Ceará.

Enquanto a Raposa marcou 125 gols, o Vovô assinalou 123, contando Campeonato Cearense, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série B. Atrás do alvinegro cearense, Santos, com 114, Paysandu, com 113 e São Paulo, com 112 gols, completam o ‘Top 5′.

O Vovô foi um dos 11 clubes do país a conseguir marcar mais de 100 gols na temporada, contando os 101 times que disputaram as Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro em 2014.

Muito desse feito o clube deve ao atacante Magno Alves. Sozinho, o camisa 11 foi responsável por 38 gols, que lhe renderam o título de artilheiro do Brasil em 2014.

Confira a lista de clubes que marcaram mais de 100 gols em todo o ano

Cruzeiro
Total: 125 gols
Mandante: 78 gols
Visitante: 47 gols

Ceará
Total: 123 gols
Mandante: 80 gols
Visitante: 43 gols

Santos
Total: 114 gols
Mandante: 76 gols
Visitante: 38 gols

Paysandu
Total: 113 gols
Mandante: 66 gols
Visitante: 47 gols

São Paulo
Total: 112 gols
Mandante: 65 gols
Visitante: 47 gols

Fluminense
Total: 109 gols
Mandante: 67 gols
Visitante: 42 gols

Flamengo
Total: 108 gols
Mandante: 65 gols
Visitante: 43 gols

América de Natal
Total: 108 gols
Mandante: 64 gols
Visitante: 44 gols

Internacional
Total: 107 gols
Mandante: 71 gols
Visitante: 36 gols

Atlético Mineiro
Total: 104 gols
Mandante: 60 gols
Visitante: 44 gols

Santa Cruz
Total: 102 gols
Mandante: 65 gols
Visitante: 37 gols

Siga o Blog Gol no Twitter
Siga o André Almeida no Twitter

Futebol cearense termina o ano com artilheiro e maiores públicos do Brasil

Mosaico da torcida do Fortaleza foi destaque na festa da torcida. Foto: Bruno Balacó/O POVO
Mosaico da torcida do Fortaleza foi destaque antes da partida. Foto: Bruno Balacó/O POVO

O ano de 2014 não deu aos torcedores cearenses muitos motivos para comemorar. Após liderar as Série B, C e D, o futebol cearense ficou pelo 2° ano seguido sem nenhum acesso sequer. Pior ainda, com o rebaixamento do Icasa, perdeu um representante na Série B. Mesmo assim, o futebol do estado foi detentor de alguns recordes nacionais.

Sem contar jogos da Copa do Mundo, foi na Arena Castelão que o país registrou os maiores públicos em competições nacionais durante 2014.

O maior público do Brasil pertence ao Fortaleza. Foi no empate em 1 a 1 do tricolor contra o Macaé, nas quartas de final da Série C, que contou com a presença de 63.254 torcedores ao total (62.525 pagantes). Apesar da lotação no estádio, a pressão dos tricolores não evitou a eliminação do Leão do Pici da Série C.

Ceará deteve o recorde de público por muito tempo, mas foi superado pelo rival Fortaleza .Foto: Fco Fontenele/O POVO
Ceará deteve o recorde de público por muito tempo, mas foi superado pelo rival Fortaleza. Foto: Fco Fontenele/O POVO

Maior rival do Fortaleza, o Ceará aparece logo atrás, com o segundo maior público do país. Curiosamente, apesar da casa cheia, a partida também não terminou bem para os mandantes. A Arena Castelão recebeu 60.068 mil pagantes (61.240 no total) para acompanhar a final da Copa do Nordeste, contra o Sport, que terminou em 1 a 1 e garantiu o troféu aos pernambucanos.

Em 2014, Magno Alves ficou na segunda posição na artilharia nacional. Foto: Fábio Lima/O POVO
Em 2013, Magno Alves ficou na segunda posição na artilharia nacional. Foto: Fábio Lima/O POVO

Dentro das quatro linhas, mais recordes. O atacante Magno Alves, do Ceará, confirmou o favoritismo e terminou o ano como principal artilheiro do Brasil.

O Magnata marcou 38 gols em toda a temporada e desbancou grandes nomes do futebol nacional, como Fred (artilheiro da Série A, que marcou 27 gols no ano), Barcos (29 gols) e Ricardo Goulart (20 gols).

O atacante, que no ano passado ficou na vice-artilharia nacional, foi ainda o principal goleador da Série B (18 gols) e da Copa do Nordeste (8 gols).

Confira mais detalhes sobre os recordes cearenses

Fortaleza x Macaé
Quartas de Final da Série C
Público Pagante: 62.525
Público Não Pagante: 724
Público Total: 63.254
Renda: R$ 1.981.117,00

Ceará x Sport
Final da Copa do Nordeste
Público Pagante: 60.068
Público Não Pagante: 1172
Público Total: 61.240
Renda: R$ 1.476.187,00

Magno Alves em 2014
Taça dos Campeões Cearenses – 1 gol
Campeonato Cearense – 7 gols
Copa do Nordeste – 8 gols (artilheiro)
Copa do Brasil – 4 gols
Série B – 18 gols (artilheiro)
Total: 38 gols

Siga o Blog Gol no Twitter
Siga o André Almeida no Twitter

Após liderar as Série B, C e D, futebol cearense fica pelo 2° ano seguido sem acesso

Alvinegros e tricolores terminaram mais um ano sem conquistas nacionais. Fotos: O POVO
Alvinegros e tricolores terminaram mais um ano sem conquistas nacionais. Fotos: O POVO

Uma temporada promissora para o futebol cearense. Assim foi visto o ano de 2014 pelos clubes daqui. Porém, pelo segundo ano consecutivo, a expectativa deu lugar à frustração.

Após chegar a liderar as Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro, o futebol cearense terminou mais um ano sem sequer um acesso. Pior que isso, perdeu ainda um representante na Série B.

Começando pelo Ceará, que terminou o primeiro turno na liderança da competição e caiu vertiginosamente de produção. O Vovô terminou o campeonato apenas em 8° lugar e, novamente, bateu na trave.

O maior objetivo no ano do Centenário sempre foi claro: voltar à Série A. Porém, após os problemas enfrentados no segundo turno (afastamento de jogadores, troca de treinador, pressão da torcida), o sonho foi adiado.

Outro representante do Estado na Série B, o Icasa não resistiu e foi rebaixado. Após um ano de crises e problemas extra-campo, o Verdão do Cariri, que no ano passado brigava pelo acesso até a última rodada, terminou a Segundona no 18° lugar e fará compania ao Fortaleza na Série C 2015.

O Tricolor, por sinal, não ficou atrás dos rivais. Após se classificar com sobras na fase de grupos, chegou ao mata-mata como franco favorito. Encarar o Macaé (que quase não se classifica) seria a chance de ouro para o Leão do Pici selar o retorno à Série B após cinco anos.

A torcida fez sua parte. Lotou o Castelão, (que recebeu mais de 63 mil pessoas, maior público do futebol brasileiro no ano), mas não foi suficiente. O empate por 1 a 1 deixou o tricolor mais um ano na Série C.

O Guarany de Sobral encerrou o ano de decepções para o Estado.  Após uma boa campanha no Campeonato Cearense, o Cacique do Vale até começou bem e chegou a ocupar a primeira posição no grupo 2 da Série D, mas não conseguiu manter o desempenho sequer passou da fase de grupos.

Fica a esperança de que os clubes aprendam com os erros cometidos nesse ano e possam se planejar melhor para 2015. Não da para se contentar com vencer os rivais em campeonatos locais. Em um estado com torcidas vibrantes e fortes, é preciso traçar planos maiores para, com ambições de conquistas nacionais.

Siga o Blog Gol no Twitter
Siga o André Almeida no Twitter

Opinião – 2015 ainda não começou, mas os clubes cearenses começaram acertando

Marcelo Chamusca e Dado Cavalcanti terão missão de realizar sonho de tricolores e alvinegros: conseguir subir de divisão. Fotos: O POVO
Chamusca e Dado terão missão de realizar sonho de tricolores e alvinegros: conseguir subir de divisão. Fotos: O POVO

O ano de 2014 ainda nem acabou e os times cearenses já se preparam para a próxima temporada. Em 2015, a missão será de apagar os recentes fracassos nas competições nacionais. Para isso, tanto Ceará como Fortaleza começaram acertando.

O alvinegro ganhou a disputa com outros rivais e trouxe Dado Cavalcanti. Jovem e considerado um dos melhores técnicos da nova geração, Dado chega com a promessa de um projeto a longo prazo (algo que ele procura a algum tempo e foi determinante em sua vinda) e vai ter toda a estrutura para trabalhar.

Além disso, o clube (ao longo do ano) garantiu a extensão de contrato de peças fundamentais do elenco, como o goleiro Luís Carlos, o zagueiro Sandro, o meia Ricardinho e o atacante Magno Alves. Embora cada um deles possa sair, todos ainda possuem vínculo com o alvinegro.

No Fortaleza, a melhor opção de treinador seria realmente a manutenção de Marcelo Chamusca. Embora tenha batido na trave nas duas competições que disputou (Campeonato Cearense e Série C), Chamusca conseguiu dar uma identidade ao time Tricolor.

Mesmo sem conseguir alcançar os objetivos, foram apenas três derrotas em todo o ano, e Chamusca conseguiu recolocar o time na Copa do Nordeste e Copa do Brasil.

Saldo positivo para o ano tricolor. Prova disso foi a primeira medida do novo presidente Jorge Mota: renovar com o treinador. Mesmo assim, Chamusca sabe que a cobrança agora será maior e os resultados, consequentemente, devem ser melhores.

Outro acerto do novo mandatário foi em garantir a permanência do gerente de futebol, Júlio Manso, um dos responsáveis pela vinda de Chamusca e pela montagem do elenco de 2014.

Júlio é daqueles que não está lá por politicagem, mas por realmente querer o sucesso do clube, independentemente de quem esteja no comando. Jorge Mota percebeu isso e viu que seria bom mantê-lo.

Contratações, renovações, dispensas…tudo isso deverá acontecer nos próximos dias. Não temos como avaliar precocemente e garantir que as apostas foram/serão corretas.

Porém, à primeira vista, tanto Ceará como Fortaleza começaram acertando.

Siga o Blog Gol no Twitter
Siga o André Almeida no Twitter

 

Os dados do Dado…

Dado Cavalcanti tem apenas 33 anos, mas já passou por vários clubes. Foto: Rodrigo Carvalho/O POVO
Dado Cavalcanti tem apenas 33 anos, mas já passou por vários clubes. Foto: Rodrigo Carvalho/O POVO

A contratação do novo técnico do Ceará, Dado Cavalcanti, gerou debate entre torcedores do Ceará. Muitos foram favoráveis, apoiando a decisão da diretoria em apostar em um treinador que, embora jovem, seja promissor. Estudioso, Dado é apontado como um dos melhores técnicos da nova geração brasileira. A revista Placar traz ótima reportagem com mais detalhes sobre Dado Cavalcanti.

Outros, porém, queriam um técnico mais renomado. A volta de Sérgio Soares, por exemplo, era pedida por muitos dos adeptos.

Pois bem. Fato é que Dado já assinou contrato e dirigirá o alvinegro em 2015.

O Blog Gol foi em busca do histórico recente do treinador para mostrar como foi o desempenho do técnico em 2014, durante o período em que passou por Coritiba, Ponte Preta e Náutico. Confira:

Náutico (12/08 – 30/11)
23 jogos
9 vitórias
5 empates
9 derrotas
Aproveitamento de 48,8% dos pontos disputados

Ponte Preta (14/04 – 21/07)
14 jogos
4 vitórias
7 empates
3 derrotas
Aproveitamento de 45,2% dos pontos disputados

Coritiba ( 13/12/2013 – 31/03/2014)
11 jogos
6 vitórias
3 empates
2 derrotas
Aproveitamento de 63,3% dos pontos disputados

Total
48 jogos
19 vitórias
15 empates
14 derrotas
Aproveitamento de 50% dos pontos disputados

Ceará fez campanha de time rebaixado no returno da Série B

Queda do Ceará na Série B coincidiu com a seca de gols de Magno Alves. Foto: Tatiana Fortes/O POVO
Queda do Ceará na Série B coincidiu com a seca de gols de Magno Alves. Foto: Tatiana Fortes/O POVO

A campanha do Ceará na Série B decepcionou. Após terminar o primeiro turno na liderança, o alvinegro teve grande queda de rendimento e terminou a competição na 8ª posição. Isso se deve à péssima campanha que fez no returno. O Vovô foi tão mal na segunda metade da Segundona que teve campanha de time rebaixado.

Nas últimas 19 rodadas, o alvinegro de Porangabuçu somou apenas 22 pontos. Foram seis vitórias, quatro empates e nove derrotas, marcando 25 gols e sofrendo 27. Com um aproveitamento de apenas 38,6% dos pontos, o Ceará teve a 17ª campanha do returno.

Ou seja, a 4ª pior campanha do segundo turno da Série B, na frente apenas de Portuguesa, Vila Nova e América/RN (todos times rebaixados).

Agora, resta à torcida esperar que, no próximo ano, o Vovô possa manter a regularidade até o fim para conseguir o acesso.

Confira o desempenho do Ceará na Série B 2014

1ª rodada: CEA 1 x 0 OES – 4ª posição
2ª rodada: AMG 3 x 0 CEA – 11ª posição
3ª rodada: CEA 2 x 2 NAU – 11ª posição
4ª rodada: CEA 2 x 1 PAR – 5ª posição
5ª rodada: AVA 1 x 1 CEA – 6ª posição
6ª rodada: ARN 0 x 1 CEA – 5ª posição
7ª rodada: CEA 3 x 2 PON – 3ª posição
8ª rodada: CEA 4 x 0 VIL – 2ª posição
9ª rodada: SAM 2 x 2 CEA – 1ª posição
10ª rodada: BRA 1 x 2 CEA – 1ª posição
11ª rodada: CEA 1 x 3 JOI – 3ª posição
12ª rodada: CEA 2 x 1 ICA – 1ª posição
13ª rodada: STC 2 x 3 CEA – 1ª posição
14ª rodada: CEA 2 x 2 BOA – 1ª posição
15ª rodada: ACG 0 x 2 CEA – 1ª posição
16ª rodada: VAS 2 x 0 CEA – 1ª posição
17ª rodada: CEA 1 x 2 ABC – 1ª posição
18ª rodada: POR 1 x 1 CEA – 1ª posição
19ª rodada: CEA 3 x 1 LUV – 1ª posição
20ª rodada: OES 3 x 1 CEA – 3ª posição
21ª rodada: CEA 5 x 2 AMG – 3ª posição
22ª rodada: NAU 2 x 1 CEA – 4ª posição
23ª rodada: PAR 0 x 0 CEA – 5ª posição
24ª rodada: CEA 2 X 2 AVA – 5ª posição
25ª rodada: CEA 2 X 0 ARN – 5ª posição
26ª rodada: PON 3 X 1 CEA – 5ª posição
27ª rodada: VIL 1 X 5 CEA – 5ª posição
28ª rodada: CEA 1 X 1 SAM – 5ª posição
29ª rodada: CEA 1 X 0 BRA – 5ª posição
30ª rodada: JOI 3 X 0 CEA – 5ª posição
31ª rodada: ICA 2 X 1 CEA – 5ª posição
32ª rodada: CEA 0 X 2 STC – 6ª posição
33ª rodada: BOA 3 X 1 CEA – 8ª posição
34ª rodada: CEA 0 X 0 ATL – 8ª posição
35ª rodada: CEA 2 X 0 VAS – 4ª posição
36ª rodada: ABC 1 X 0 CEA – 8ª posição
37ª rodada: CEA 2 X 1 POR – 8ª posição
38ª rodada: LUV 1 X 0 CEA – 8ª posição

Ceará será 13º clube no currículo de Dado Cavalcanti

Dado Cavalcanti terminou o ano à frente do Náutico. Foto: Antônio Carneiro/FOLHAPRESS (VIA O POVO)
Dado Cavalcanti terminou o ano à frente do Náutico. Foto: Antônio Carneiro/FOLHAPRESS (VIA O POVO)

Apesar de ser um técnico em ascensão, em busca de reconhecimento no mercado, como a diretoria do Vovô pretendia, Dado Cavalcanti já tem experiência considerável como treinador. O início foi em 2006, com 24 anos de idade, dirigindo o Ulbra-RO, onde foi bicampeão rondoniense (2006/2007). Desde então foram ao todo 12 clubes na carreira de Cavalcanti. O Ceará é o 13º clube no currículo do treinador.

Ele é jovem, mas não é o treinador mais novo a ocupar o posto em Porangabuçu. Em 1961, aos 27 anos de idade, o então zagueiro e capitão do Ceará, Alexandre Nepomuceno, acumulou a função de treinador, junto às outras duas que já exercia.

“É o segundo jogador que mais vestiu a camisa do Ceará. Assumiu o time pela primeira vez em 1961. Sempre que um técnico era demitido, ele assumia interinamente”, detalha o pesquisador Pedro Mapurunga.

O Icasa está entre os clubes que Dado Cavalcanti treinou, onde ficou menos de dois meses e foi demitido após cinco jogo sem vitória na Série B de 2011. Em 2014, esteve à frente do Coritiba, mas foi demitido após eliminação nas semifinais do Campeonato Paranaense.

O último título conquistado pelo técnico foi o Campeonato Matogrossense de 2012, comandando o Luverdense.

Confira alguns detalhes das eleições no Fortaleza

Jorge Mota foi eleito com 61,32% dos votos válidos. Foto: Camila de Almeida/ Especial para O POVO
Jorge Mota foi eleito com 61,32% dos votos válidos. Foto: Camila de Almeida/ Especial para O POVO

O dia 1 de dezembro de 2014 estará sempre marcado na história do Fortaleza e do futebol cearense. Pela primeira vez na história, um clube do Estado elegeu um presidente com votação de torcedores. Jorge Mota, com 528 votos, comandará o tricolor no biênio 2015/2016.

E o dia das eleições foi marcado por uma série de detalhes que chamaram a atenção. Aqueles que estiveram no Pici puderam acompanhar alguns deles.

- Marcada para 9h, a votação atrasou e só começou por volta de 9h15min;

- Renato Bonfim foi o primeiro torcedor a votar;

- Ao todo, 861 torcedores participaram da votação;

- Os três presidenciáveis (Jorge Mota, Sílvio Carlos e Estevão Romcy) estiveram o dia inteiro no Pici. Não saíram em nenhum momento desde o início da votação até o encerramento. O clima entre eles, por sinal, era de muita cordialidade, até mesmo após divulgação do resultado;

- Todos eles, inclusive, acompanhavam os eleitores de perto. Jorge Mota, o vencedor, passou grande tempo em pé ao lado da escada que dava acesso à sala de votação. Cada torcedor que iria votar passava por ele e era cumprimentado;

- Sílvio Carlos foi o primeiro dos três a votar, por volta de 9h20min. Jorge Mota apenas votou no início da tarde, e Estevão logo em seguida;

- Nenhuma briga ou manifestação foi registrada. Todo o processo ocorreu pacificamente;

- Quem também apareceu na votação foi o trio Osmar Baquit, Daniel Frota e Adaílton Campelo. Presidente, vice e diretor de futebol da atual diretoria, que haviam prometido que não votariam, mudaram de ideia e compareceram ao pleito;

- Outros importantes nomes da história do Fortaleza compareceram ao Pici para votar, como os ex-presidentes Osvaldo Azim e Renan Vieira;

- O processo eleitoral ocorreu de forma organizada e tranquila. Porém, alguns (poucos) torcedores alegaram estar adimplentes, mas não tinham seus nomes na lista de votantes, gerando um pequeno impasse. Entretanto, nenhum deles ficou de fora do processo;

- Pontualmente às 18h, os portões foram fechados. E apenas os torcedores que estavam na fila puderam votar;

- Caixas de som, panfletagem, adesivagem e distribuição de camisas eram algumas das ações dos militantes na frente do Pici;

- Logo após divulgação do resultado final, feito pelo juiz de direito Fernando Barros, que coordenou a eleição, Jorge Mota desceu para a Praça Ney Rebouças, onde centenas de torcedores o esperavam para festejar;

- Jorge Mota foi recebido aos gritos de “Uh! Tá na moda, o Leão do Jorge Mota” e “O campeão voltou”;

- “Vamos evitar o penta do Ceará. Já fizemos isso uma vez e vamos fazer de novo”, disse o novo presidente tricolor;

Em despedida melancólica, Ceará perde para o Luverdense e termina Série B em 8º lugar

Ceará perdeu com gol no fim do jogo. Foto: Fábio Lima/O POVO
Ceará perdeu com gol no fim do jogo. Foto: Fábio Lima/O POVO

Continue lendo

Após terminar primeiro turno na liderança, Ceará só figurou no G4 em quatro rodadas do returno da Série B

Torcedor alvinegro sofreu com tropeços do time na Série B e agora torce por um milagre para conseguir acesso. Foto: Fábio Lima/O POVO
Torcedor alvinegro sofreu com tropeços do time na Série B e agora torce por um milagre para conseguir acesso. Foto: Fábio Lima/O POVO

Dono da melhor campanha no primeiro turno da Série B, o Ceará era visto como um dos favoritos à uma das quatro vagas de acesso à Série A. Durante as 19 primeiras rodadas, o Vovô figurou no G4 em 14 oportunidades, ficando de fora apenas cinco. O excelente desempenho, inclusive, levou o alvinegro à liderança da competição, posição que esteve durante 10 rodadas.

Porém, no segundo turno, o desempenho do Ceará caiu bruscamente. E o resultado disso é que, na metade final do campeonato, aconteceu exatamente o contrário da primeira. Das 18 rodadas disputadas no returno, o Vovô apenas figurou no G4 em quatro delas. Foram 14 fora.

Mesmo assim, o time comandado por PC Gusmão chega na última rodada com chances de classificação. Para isso, tem que vencer o Luverdense, fora de casa, e torcer para que o Boa Esporte seja derrotado pelo Icasa e que Atlético/GO, Avaí e América/MG no máximo empatem seus jogos.

Confira o desempenho do Ceará na Série B 2014

1ª rodada: CEA 1 x 0 OES – 4ª posição
2ª rodada: AMG 3 x 0 CEA – 11ª posição
3ª rodada: CEA 2 x 2 NAU – 11ª posição
4ª rodada: CEA 2 x 1 PAR – 5ª posição
5ª rodada: AVA 1 x 1 CEA – 6ª posição
6ª rodada: ARN 0 x 1 CEA – 5ª posição
7ª rodada: CEA 3 x 2 PON – 3ª posição
8ª rodada: CEA 4 x 0 VIL – 2ª posição
9ª rodada: SAM 2 x 2 CEA – 1ª posição
10ª rodada: BRA 1 x 2 CEA – 1ª posição
11ª rodada: CEA 1 x 3 JOI – 3ª posição
12ª rodada: CEA 2 x 1 ICA – 1ª posição
13ª rodada: STC 2 x 3 CEA – 1ª posição
14ª rodada: CEA 2 x 2 BOA – 1ª posição
15ª rodada: ACG 0 x 2 CEA – 1ª posição
16ª rodada: VAS 2 x 0 CEA – 1ª posição
17ª rodada: CEA 1 x 2 ABC – 1ª posição
18ª rodada: POR 1 x 1 CEA – 1ª posição
19ª rodada: CEA 3 x 1 LUV – 1ª posição
20ª rodada: OES 3 x 1 CEA – 3ª posição
21ª rodada: CEA 5 x 2 AMG – 3ª posição
22ª rodada: NAU 2 x 1 CEA – 4ª posição
23ª rodada: PAR 0 x 0 CEA – 5ª posição
24ª rodada: CEA 2 X 2 AVA – 5ª posição
25ª rodada: CEA 2 X 0 ARN – 5ª posição
26ª rodada: PON 3 X 1 CEA – 5ª posição
27ª rodada: VIL 1 X 5 CEA – 5ª posição
28ª rodada: CEA 1 X 1 SAM – 5ª posição
29ª rodada: CEA 1 X 0 BRA – 5ª posição
30ª rodada: JOI 3 X 0 CEA – 5ª posição
31ª rodada: ICA 2 X 1 CEA – 5ª posição
32ª rodada: CEA 0 X 2 STC – 6ª posição
33ª rodada: BOA 3 X 1 CEA – 8ª posição
34ª rodada: CEA 0 X 0 ATL – 8ª posição
35ª rodada: CEA 2 X 0 VAS – 4ª posição
36ª rodada: ABC 1 X 0 CEA – 8ª posição
37ª rodada: CEA 2 X 1 POR – 8ª posição
38ª rodada: LUV ? X ? CEA – ?ª posição