Ceará: com Givanildo, time não perdeu, mas só ganhou do Uniclinic

Escolhido no fim de fevereiro para substituir Gilmar Dal Pozzo, Givanildo Oliveira comandou o Ceará em seis partidas. Foram quatro empates e duas vitórias, com 10 gols marcados e cinco sofridos. Dos 18 pontos disputados, o time conquistou 10.

A invencibilidade foi construída assim: o Ceará empatou com os reservas do Flamengo (0x0), com o terceiro time do Grêmio (1×1), diante do Uniclinic (2×2) e Guarani-J (0x0). As duas vitórias foram contra o Uniclinic, nas quartas de final (4×1 e 3×1). Dos 10 gols com o novo técnico, nove foram marcados contra a pior defesa do Brasil em 2017. E dos cinco gols sofridos, quatro foram diante do mesmo adversário.

Os números isolados, entretanto, não mostram a falta de evolução da equipe. Pouca coisa mudou em desempenho, ainda que o atual treinador tenha feito algumas alterações táticas em relação ao antecessor. O Ceará segue com muitos problemas na criação no meio-campo e seu ataque depende exclusivamente das jogadas individuais de Magno Alves. É ótimo ter um jogador como ele no elenco, mas não é nada bom depender apenas de suas forças.

O JOGO CONTRA O GUARANI-J

No empate sem gols em Juazeiro, nesta quarta-feira, primeiro (e péssimo) jogo dos três garantidos das semifinais, as únicas boas oportunidades do alvinegro no 0x0 saíram dos pés de Magno, em iniciativas próprias de dribles e finalizações. No mais, muita lentidão, erros de passes curtos e longos, falta de aproximação dos setores do campo, bolas rifadas e atuações individuais ruins, em que pese a necessária observação em relação ao estado do gramado, bem prejudicial para o toque da pelota.

A não escalação de Ricardinho desde o início não se justifica. O próprio meio-campista avisou que estava pronto para começar. As atuações de Felipe Menezes não combinam com sua titularidade. O esquema com três atacantes têm sido prejudicial, até porque Lelê ou Maxi Biancucchi passam sumidos praticamente o tempo todo. Falta qualidade no setor e a diretoria sabe disso melhor do que ninguém.

Em relação ao sistema defensivo, foi uma postura correta do time, nota positiva. O Guarani tomou mais a iniciativa e foi controlado por Raul e Richardson no combate inicial. Os zagueiros, laterais e o goleiro Everson não comprometeram.

Fernando Graziani

Sobre Fernando Graziani

Fernando Graziani é jornalista. Já cobriu duas Copas do Mundo, Copa das Confederações, duas Olimpíadas e mais centenas de campeonatos. No Blog, privilegia análise do futebol cearense e nordestino.

28 thoughts on “Ceará: com Givanildo, time não perdeu, mas só ganhou do Uniclinic

  1. Evolução no Ceará só vai acontecer de 2 formas .A primeira e mais necessaria : com a saida do presidente no fim do ano . Após isso,com contratações!

    O jogo de ontem não surpreendeu aqueles que são minimamente envolvidos com o clube .

    So que não deixa de ser espantoso um clube de tradição e maior poder financeiro como o Ceará,encarar o Guarani de juazeiro como se eles fossem o Bayer! Esse era o discurso antes do jogo por jogadores e até o Giva. Essa postura medrosa também aconteceu em campo. Respeito pelo adversario deve-se ter sempre. Mas cada qual no seu quadrado. O Ceará,em momento algum,mostrou postura de grande. Isso é decorrencia da mentalidade pequena de jogadores mediocres em sua maioria…

    Outro fato : Givanildo também não vem escalando bem e substituindo bem! Ok. Tem uma carreira vitoriosa. Mas a nossa carencia em conquistas não pode de forma alguma fazermos pedir a benção sempre. Não entendi a retirada de um atacante por um lateral. Muito menos a entrada do Pedro Ken faltando 1 minuto para o fim…

    Enfim,tudo como antes…Letargico. Um time bagunçado e sem proposta de jogo quando no ataque. Quando encara adversarios fechados,pior ainda…

    Mas óbvio. A culpa menor é do Giva! Não da pra querer muita coisa com Victor Rangel jogando como alguém como mau de parkison e Felipe Menezes e sua habitual sonolencia e displiscencia! Não da!

    Vamos pra final,de forma sofrida,mas vamos! Mas olha…A torcida ja está saturada de tanta coisa feia em campo…Tem que mudar muito pra SÉRIE B!

  2. A chegada de Givanildo, “técnico boleiro”, vencedor, criou uma grande expectativa em toda torcida do CSC. Mas o que se viu até o momento, e olhe que Givanildo não pode reclamar de falta de tempo, está dando dor nos olhos. Não levar Wallace Pernambucano, que foi contratação supostamente com seu aval e só colocar Pedro Ken em campo aos 47 do segundo tempo, quando Vitor Rangel não vinha produzindo nada durante toda a partida, são escolhas inaceitáveis. Além do que o jornalista já citou, Ricardinho no banco do improdutivo Felipe Menezes, é brincar com a sorte.

  3. Outra atitude medíocre da diretoria do Ceará SC, mudar um treinador somente por causa de uma partida. Não sou fã de Dal Pozzo, mas é nítida a queda de rendimento do time depois que Givanildo assumiu.

  4. O problema do Ceará já sabemos a muito tempo se chamar Robson Pirulito que vive de mudar treinador para enganar a torcida , mais os seus perebas não muda nem a pau, sai Ano entra Ano e os perebas do Robão continuam, e ainda tem quem se iludam com o Robão, se querem pelo menos um time Razoavel só com a saida do Robson Pirulito quem quiser que continue se iludindo culpando jogadores e treinadores enquanto o verdadeiro culpado sempre se fazendo que não é o Pai da criança.

    1. Cara, ver se te manca, a gente vai lendo as msgs do post, de repente vem essa tua opinião porra louca. Tá ganhando qnt do robao? só posta babação pra diretoria.

      Indo sempre contra a maré, das opiniões dos outros. Critica ao menos uma vez, tira o cisco dos olhos cabra.

      SA

  5. Eu acho que a família do Vítor Rangel não deve estar pegando no pé dele como ele falou certa vez. Porque meus amigos, o que esse cidadão faz em campo é de lascar. Precisamos urgentemente de um cara que jogue bola lá na frente com o MA porque se for pra depender de Vítor Rangel e esse argentino “paraguaio” nóis tamu é lascadus!!!!
    Outra coisa, eu estou quase concordando com a maioria no que diz respeito ao retorno do jogador-torcedor. Pelo menos, como ele diz, o cara que é torcedor do time e tem a oportunidade de ajudar esse time dentro de campo é melhor do que esse bando de pernas de pau enganadores, né não???
    Também acho que já está passando da hora de repatriar o BILL BILL BILL BILL, esse pelo menos tem raça.

    1. Bil ta quebrando a bola no figueirense. Jogou uma partida boa e 5 não,pelo Ceará ano passado. É lento,cachaceiro,velho…passou seu tempo…acorda meu caro! Tu é o que do Robson de Castro!?

      Com uma boa garimpagem,conseguimos algo melhor. Os principais estaduais chegaram ao fim…O problema é que falta competencia no clube. Os empresarios e as panelinhas internas no clube estão fazendo a festa…

    2. E concordo que é sempre bom ter no elenco um jogador -torcedor,desde que se tenha a qualidade necessaria e em completa aptidao fisica! No caso alvinegro,Mota seria o nome para um cearense da vida…Para 38 rodadas de uma SÉRIE B,NÃO! Não vamos nos empolgar por uma boa apresentacao diante de nada,o time da C…Menos…Menos…!

  6. O problema do Ceará é notório que nao é tecnico, e sim TÉCNICA.
    Como um time pode jogar bem, com uns 4 titulares que nao produzem nada, nao conseguem fazer um jogada sequer (Romario, “biancuti”, Menezes e Rangel)?
    E aí, no banco de reservas, ha outro tanto….
    Assim nao pode
    Resta esperarmos por novas contratações e alguns dispensas pra ver no Camp Brasileiro.

  7. No final do cearense do ano passado o Presidente veio a público dizer que estava tudo errado e ele tomaria atitudes. E quais foram? Contratou o Felipe Menezes, o Lele, o Nathan, o Baggio, trouxe de volta o Alex Amado…. Fora Robinson de Castro, a única solução para os problemas do Ceará.

  8. O Sr. colunista enfatiza sempre os adversários do Ceará jogando com escalações mistas, terceiro time, coisa e tal; mas não cita que no jogo de 0x0 contra o Uniclinic, o Ceará jogou com o time reserva. É de lascar essa de sempre querer diminuir as coisas que o Vozão faz.

    Verdade, até porque o time reserva do Ceará é pior do que o titular do Uniclinic.
    É de lascar.
    FG

  9. Caro Graziani
    Pior jogo do ano até aqui. Triste. Time sem nenhuma criatividade. A linha composta por Max, Felipe Menezes e V Rangel falta qualidade. Laterais inoperantes. Sandro desaprendeu.Tá dificil. Ricardinho, Pedro Ken, Luiz Otávio devem ser titulares. Ao lado do Magnata talvez Lelê, que é fraco mas tem velocidade. Abraço.

  10. Esses José Elis dos Santos é insano, um revoltado com a vida.
    Agora quer culpar o Graziani da porcaria do time dele, o Bayern do Canal.
    O jornalista tem que ser assim como o FG, cara. Criticar e elogiar qualquer pessoa, lugar, organização ou time.
    Se quiser ouvir só elogios vá lá no babalorixá preto véi vozim ou na mãe de Santo vozinha do canal.
    Saudações Tricolores!

  11. Vamos aproveitar a oportunidade para falarmos de uma coisa que deixa muita gente que gosta de futebol irritada:
    1)Falta próximo à aérea, já é por si uma infração que visa obstruir o gol,momento melhor do futebol.
    2)longa espera para ser cobrada
    3)Distância da barreira ao local da falta nunca é obedecida,apesar de ter melhorado com o uso do spray, que no Brasil apaga-se muito rápido e as vezes nem marca direito
    SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA
    1)Usar um spray de qualidade,que marque mesmo.
    2)Jogadores que ficarem na barreira, por hipótese alguma, poderiam pisar na linha no spray,caso isso fosse observado o juiz, DOBRARIA a distância onde a barreira ficaria novamente.
    3)Fica a sugestão para os cartolas levarem a quem de direito.

    OBS:- no jogo de ontem, Guarani x Ceará o último lance foi uma falta a menos de um metro para a linha da grande aérea e a barreira do Ceará andou de forma absurda pelo menos uns 3 metros de onde deveria ficar,prejudicando o adversário

  12. Preocupante! muito treino e pouca produção, jogadores que insistem em não render. esse V. Rangel é uma maquina de perder jogadas… o time ofensivamente fez uma partida horrorosa, talvez a pior nesse campeonato.

    A cada jogo o futebol cearense mais se aprofunda nessa depressão técnica. reflexo da grande incompetência de quem está a frente das entidades(especialmente a FCF). os mesmos nomes, os mesmos erros aprimorados… pergunto: até quando? será que não temos pessoas capazes de gerir o nosso futebol de uma maneira digna? lamentável ver o nosso potencial ralo abaixo.

  13. Quanta mediocridade nesses comentários injuriosas dessa turma do siara. Em tudo ponham a culpa no Dr. Robson de Castro. Sou Leão do Pici, e preferia um Robson que tenta navegar, que um Jorge Mota que só age depois que afunda. A torcida do Fortaleza também é revoltada com o JM e aí? aqui temos duas das maiores torcidas do Brasil, com uma população enorme, mas sem respaldo nenhum com suas diretorias.
    Abraços.
    Salve o Tricolor de Aço!

  14. Não dá para esconder a verdade: o Ceará fez um jogo pavoroso em Juazeiro. Ruim demais. Por isso concordo com o artigo: a equipe efetivamente não evoluiu – técnica e taticamente – com a chegada do Givanildo. Continua medíocre. Mas, sejamos justos com o Givanildo. O elenco, com raríssimas exceções, não ajuda mesmo. É sempre difícil tirar “leite de pedra”. O resultado de tudo é um time com um jogo muito feio, tecnicamente bastante sofrível e taticamente pobre. Ou os jogadores decidiram não jogar o que sabem (teríamos que saber as razões para tanto) ou as contratações se concentraram em trazer apenas profissionais tecnicamente muito ruins, com raríssimas exceções.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *