Ceará e Fortaleza: alvo inicial é a Copa do Nordeste e não o estadual

Lisca e Flávio Araújo conhecem bem a pressão da profissão que escolheram. Torcedores, diretores e imprensa cobram muito e neste início de temporada não é diferente. Desde o ano passado, para citar um dos parâmetros das cobranças, ambos avisaram que  vão preparar seus times para estarem efetivamente bem para a estreia da Copa do Nordeste (13 de fevereiro para o Tricolor contra o River-PI e 14 de fevereiro para o Ceará diante do Vitória da Conquista).

Eles têm razão.

As primeiras rodadas do estadual não podem atrapalhar o planejamento para o primeiro semestre do ano de forma alguma. Escalar os titulares o tempo todo, sem preservação e rodízio, e aumentar o nível de exigência físico e técnico do grupo não faz o menor sentido. É neste momento que a ansiedade do torcedores e dos dirigentes (os famosos inimigos íntimos) precisa ficar de lado. Os treinadores clamam por sossego na preparação e as partidas iniciais antes da Copa do Nordeste têm justamente esse objetivo.

É relevante lembrar que desde 1995 apenas Ceará e Fortaleza são campeões estaduais. Bom para ambos, péssimo para o futebol cearense. Em 2016 isso não vai mudar. Um deles terá o título em maio, mas na temporada há objetivos muitos maiores e relevantes que não devem ser comprometidos por má gestão neste início.

Fernando Graziani

Sobre Fernando Graziani

Fernando Graziani é jornalista. Já cobriu duas Copas do Mundo, Copa das Confederações, duas Olimpíadas e mais centenas de campeonatos. No Blog, privilegia análise do futebol cearense e nordestino.

29 thoughts on “Ceará e Fortaleza: alvo inicial é a Copa do Nordeste e não o estadual

  1. Estaduais são há muito só um cozido doméstico sem importância, sem renda, sem visibilidade (sem civilização, como se viu); cartolas lhe dão atenção por que dão atenção a qualquer troco.

  2. ser Campeão invicto da Copa do Nordeste (2015 ) eliminando times como o Vitoria
    numa semi final e o Bahia numa final (1×0, 2×1 ) NÃO é qualquer time que consegue
    é preciso ter tradição, é preciso ter esse costume de eliminar grandes times do Brasil
    Palmeiras (1994), Internacional (1994, 2014) Flamengo (1995, 2011) Atletico Mineiro (1995,)
    etc… aqui no nosso Estado o Ceará tem esse velho costume de eliminar os maiores do Brasil
    aqui no nosso Estado o Liaum tem o velho costume de ser eliminado no MATA-MATA da
    Série C, por “GRANDES” como o Oeste (2012). Macaé (2014), Brasil de Pelotas (2015)
    eis um dos motivos porque a CBF coloca o Ceará na 21a posição do seu Ranking. eis um dos motivos porque a CBF coloca o Liaum na 44a posição do seu Ranking..

    1. Carlos Lima você devia ser mais adulto.O Desempenho de um clube de footbool depende muito de seus dirigentes. Se o Ceará tivesse a infelicidade de pegar um Osmar Baquite como presidente, com certeza estaria na mesma situação do Fortaleza.Isso é questão de objetivo da pessoa que assume a Presidência de um clube.Osmar Baquite se reelegeu ,alcançou seu objetivo principal, o Fortaleza e sua torcida foi um meio encontrado para repor os votos perdidos de uma campanha para outra.

  3. “ALVO INICIAL” tem de ser o ESTADUAL, pois GARANTE VAGA logo de cara em duas competições em 2017: NORDESTÃO e COPA DO BRASIL, além do fato de darmos CONTINUIDADE naquela contagem do: SÓ QUEM PODE SER PENTA AGORA, É O LEÃO DE AÇO(tá 1 X 0).

    ESTADUAL é IMPORTANTE, pois, além da condição citada acima, começar a temporada com um titulo dá mais moral aos jogadores para a sequencia na temporada; OBSERVAÇÃO de jogadores; ritmo de jogo, principalmente para os garotos da base(que são muitos), como também de preparação para as competições subsequentes.
    Toda COMPETIÇÃO é importante. Até mesmo essa de hoje a noite(Copa dos Campeões do estado).

    A questão dos CAMPEONATOS CONQUISTADOS pelos dois maiores é uma CONSEQUÊNCIA.
    É como se a gente fosse comparar o nosso futebol Cearense com o futebol da maioria dos times de outros estados(times da Azona por exemplo), que conseguem ser melhor preparados dado as vantagens financeiras recebidas com patrocínios, cotas de TV e outros.

    O resto é torcer pra que nosso futebol um dia, chegue a um patamar mais elevado, e que, CONSIGA permanecer tempo suficiente pra conseguir alguma coisa FINANCEIRAMENTE falando.
    Só assim poderemos disputar, pelo menos em melhores condições técnicas.
    Sair fora, também, passará a ser uma CONSEQUÊNCIA.

  4. se não fosse a injustiça na Copa do Nordeste de 2013 na Arena Castelão, quando o Ceará
    mereceu vencer de goleada o Asa de Arapiraca, e levou um gol no finalzinho ,o Ceará teria
    chegado na FINAL das ultimas três Copas do Nordeste (2013,2014,2015) isso não é para quem quer, mas para times de tradição..afinal o que seria do Futebol Cearense, se não fosse o Ceará ?
    um dos únicos times do Nordeste junto com o Sport de Recife, que nunca jogaram na Série C.
    o 21 colocado no Ranking da CBF.. o Liaum é o 44 no Ranking..e vai jogar no ano de 2016, pela décima quarta vez na Terceira Divisão..(1987,1990,1995,1996,1997,1998,1999,2010,2011,2012,2013,2014,2015,2016 )

  5. Belo texto Graziani. O estadual deve ser visto assim mesmo, como prepatório para a temporada e para utilização dos garotos da base. Já não tem mais relevância nenhuma. Deveria ser muito mais curto e servir para experiências de gestão e adm do futebol como negócio, por exemplo.

  6. Essa estória de que o Estadual é deficitário é papo furado. Pelo menos para os dois grandes, o nosso o Stella e o adversário, o VOZÃO temos cota da Tevê Diário, patrocínio do Governo do Estado e da Prfeitura de Fortaleza, cota do Timemania, patrocínio das camisas e por último a renda do jogo, cujo público do meu time, o Stella, é na média de quatro mil torcedores. Sem contar com o sócio-torcedor. Portanto viva o Estadual.

  7. A importância dos estaduais é a revelação de jogadores (inclusive nos times de menor expressão), a criação de novos torcedores através da rivalidade sadia entre os garotos incentivados pelos mais velhos, principalmente os pais. Além de funcionar como pré-temporada para os campeonatos mais importantes. Se não estão aproveitando estas oportunidades aí é questão de organização e trabalho dos dirigentes. Se não fossem os estaduais teríamos na capital uma legião de torcedores televisivos de times do Sudeste ou da Europa. Vejam nas cidades do interior do Estado onde não existe trabalho dos times grandes do Estado o que está acontecendo.

    1. 6.880 por que estão contando inclusive os inadimplentes e os animais de estimação dos sócios, se não fosse assim os números seriam ainda piores.

      Daqui a pouco vai faltar até o do sal pra botar no ovo.

      Tsc, tsc…

      Saudações Tricolores.

  8. Fala Graziani, bom retorno ao blog !

    Sobre os estaduais, já dizia Murici Ramalho que eles só não atrapalham apenas quem ganha o título. Prova disso é a quantidade de técnicos demitidos durante os estaduais.

    Apesar da saudável rivalidade local, o fato é que o Estadual está perdendo cada vez mais importância, exceto para alguns clubes que declaradamente o colocam como “prioridade”, e nem assim o ganham.

    Evidentemente, os estaduais ainda tem seu lugar no gosto do brasileiro, mas é fato que os grandes clubes estão cada vez menos interessados em campeonatos nesse formato.

    Fortaleza EC acerta em eleger o regional como prioridade: mais público, mais renda, maior premiação, maior exposição e adversários tecnicamente mais qualificados.

    A única cautela é lembrar que a participação no Nordestão e na Copa BR 2017 passam necessariamente por um desempenho satisfatório no manjadinho.

    Saudações Tricolores.

  9. Belo texto Graziane. O campeonato cearense tem sua importância principalmente para os times considerados pequenos e para os considerados incompetentes como por exemplo o Frustaleza que depende muito desse tipo de certame para não ser extinto do calendário oficial. Já o CEARÁ precisa investir mais nos campeonatos de maior importância à nível nacional como por exemplo, copa do Brasil e série B.

  10. Nem ligo prá essa porcaria chamada manjadinho, só serve prá promover esses puxas sacos da CBF e dar prejuízo aos clubes, o vozão deveria mesclar o time com a maioria do sub-20, time grande tem q disputar é CB, CN, Bzona, Azona, sul americana e libertadores.

  11. O Estadual deveria ser “preparatório” para as competições mais importantes. Na teoria é sempre assim, mas a nossa imprensa aqui (você sabe bem disso), especialmente um programa acolá, não pensam assim e descem a crítica, ignoram o aspecto do rodízio (vide a situação do Dado Cavalcanti ano passado…) e contaminam boa parte da torcida mais desavisada.
    Infelizmente, se o Ceará (vale para o fortaleza tb) não vencer bem os jogos do manjadinho, não há quem segure Lisca e Cia…

  12. SOLUÇÃO PARA SALVAR OS CLUBES MÉDIOS E PEQUENOS DO NORDESTE DA FALÊNCIA.

    Graziani um amigo lá no blog do Vozão sugeriu uma copa do nordeste com uma série A com pontos corridos como substituto dos estaduais deficitários.

    PRESTE BEM ATENÇÃO NA IDEIA DELE:

    Ela iniciaria em Fevereiro e terminaria em Maio dando aos clubes o mes de Janeiro completo para uma boa pretemporada inclusive com alguns amistosos de teste dentro ou fora do estado como esse entre Vozão x Fla.

    Ela teria no minimo tres séries com acesso e decesso com tres clubes de cada estado por série perfazendo nove clubes por cada estado.

    Assim contemplaria a todos os clubes. Grandes médios e pequenos. Ninguém ficaria fora.

    A escolha dos clubes seria no primeiro ano por convite da liga do Nordeste que obedeceria ao rankie de cada estado ou federação estadual.

    A série A da copa do Nordeste seria disputada em pontos corridos com uma final entre o campeão da primeira volta com o campeão da segunda volta.

    As séries B e C seria em mata mata nos moldes da série C do brasileiro também de fevereiro a Maio.

    Poderia se pensar depois numa última série denominada de série D mas só se existisse demanda. Um caso a se pensar num futuro a longo prazo.

    Os tres clubes particiapantes em cada uma das séries defenderiam a permanência na sua série inicial ou o acesso a série superior se houvesse. Ou cairiam de série dentro do critério pre acertado de numero de clubes que subiriam ou cairiam.

    Os estaduais seriam disputados somente pelos pequenos clubes da capital e interior com prêmios. O campeão teria o acesso a série C da copa do nordeste na vaga do último de cada estado. O vice teria uma vaga para a copa do Brasil.

    Os participantes que não contarem com estádios em condições satisfatórias exigida pela liga mandariam seus jogos no PV ou em Horizonte.

    Seria um motivo a mais para prefeitos cuidarem mais dos seus estádios.
    Demandaria melhores hoteis e restaurantes nessas cidades.

    Toda semana caravanas de torcedores chegariam dos mais diversos pontos do Nordete num intercâmbio cultural que gera renda. Uma festa que movimentraria a economia do município.

    Sei que você é contra a extinção do estadual mas já faz décadas que os estaduais morreram e continuam embalsamados fora do sepulculo por um curto espaço de tempo enquanto pensam noutra forma de salvar os clubes da falência (vide Icasa).

    Os estaduais já mataram o América, Calouros do Ar, Gentilândia, Nacional, Ferroviário.
    Vai matar em breve o Horizonte, Icasa, Quixadá etc.

    Só não mataram ainda Ceará e Fortaleza porque esses dois clubes se endividam e vão aos bancos nos estaduais, mas as duras penas conseguem pagar as dividas aos bancos na copa do Brasil, na copa do Nordeste e no campeonato brasileiro.

    Quanto o Horizonte faturou em rendas e em visibilidade para seus jogadores em sua cidade na copa do Brasil que disputou levando inclusive o CRF, Guarani-SP e outros clubes para jogar em Horizonte? Muito dinheiro e prestigio para seus jogadores.

    O que você acha Graziani?
    Saudações alvinegras.

  13. Os torcedores do Fortaleza só falam do número de sócios. E os 07 anos de terceira divisão compensa esse número de sócios? Porque se assim for, tá valendo. Saudações alvinegras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *