Ceará: as contas para o time não ser rebaixado

Faltam 25 rodadas para o fim da Série B. Com apenas uma vitória em 13 partidas o Ceará é o último colocado da competição. O time tem oito pontos, frutos de uma vitória, cinco empates e sete derrotas. São 11 partidas sem vencer na Série B – 12 no total – e o elenco alcançou a pior série histórica do clube desde que o torneio é disputado em pontos corridos.

Restam seis partidas para o fim do primeiro turno e é urgente que a equipe consiga somar pontos em sequência. Independente disso a hora é de fazer contas, projetar possibilidades, acompanhar históricos recentes.

A situação do Ceará é delicada. O atual aproveitamento é de 20,5% dos pontos. Basicamente, o time conquista um ponto a cada cinco disputados. Com essa projeção terminaria com apenas 23 pontos, rebaixamento certo uma pontuação que seria completamente lamentável sob todos os aspectos.

Na história da Série B com pontos corridos – desde 2006 – já ocorreu de um time se salvar com 43 pontos – o mínimo – e cair com 47 – o máximo. O quadro abaixo, elaborado pelo estatístico Thiago Herculano, mostra de maneira clara:

quadro

Na edição atual o aproveitamento das equipes que estão entre as piores é muito baixo. Hoje, um time com 13 pontos – um ponto por jogo – estaria fora da zona de rebaixamento, tanto que a previsão deste momento aponta que até com 38 pontos uma equipe estaria salva. A tendência, porém, não é essa. Quando estudamos as mudanças de aproveitamento histórico de um turno para o outro é fácil notar uma melhora, o que aumenta o número de pontos necessários para fugir da Série C.

Se considerarmos a média de 46 pontos para uma equipe se salvar com alguma tranquilidade, o Ceará deve conquistar mais 38 pontos dos 75 que restam. Isso corresponde a 12 vitórias e dois empates nos 25 jogos pela frente. Há outras alternativas, como 10 vitórias e seis empates mas, efetivamente, o péssimo aproveitamento atual de 20,5% precisa ser praticamente triplicado.

A missão do técnico Geninho e do elenco não é desesperado, mas está bem longe de ser confortável. Não há mais muito espaço para tropeços em casa e derrotas. Com o novo treinador a equipe empatou três vezes na Série B, melhorou o posicionamento defensivo, mas do ponto de vista ofensivo a situação é extremamente delicada. Falta qualidade, criatividade, poder de improvisação, competência. De empate em empate a equipe não vai se salvar e é fundamental que a postura e os resultados mudem o quanto antes porque a pressão tende a aumentar rodada após rodada.

3
Fernando Graziani

Sobre Fernando Graziani

Fernando Graziani é jornalista. Já cobriu duas Copas do Mundo, Copa das Confederações, duas Olimpíadas e mais centenas de campeonatos. No Blog, privilegia análise do futebol cearense e nordestino.

16 thoughts on “Ceará: as contas para o time não ser rebaixado

  1. Graziani,
    Só n entendo como tal situação / “missão” pode não ser desesperadora (acho q foi isso q vc quis dizer no texto).
    Talvez não fosse se estivessem aí as mesmas peças da Copa do Nordeste, a confiança (do time e da torcida) da Copa do Nordeste…
    Nesse momento, qualquer simples empate (ou pior, uma derrota) para o Mogi pode resultar em jogador ameaçado em aeroporto, estádio vazio e falta de dinheiro pra bancar uma folha inchada – já q o EL não é da prática de se endividar…

    Oi Tiago. É que desesperadora em campo eu considero se o time tivesse 12 jogos pela frente, por exemplo, e precisasse ganhar 10…ainda há, digamos, uma folga, pequena, mas ainda há. Só que a situação é muito perigosa. Valeu.
    FG

  2. É desesperadora,sim. Tem que encarar assim..há 5 rodadas,fala-se que estavam em início de campeonato. E olha como estamos no quase fim do turno… o que mais me preocupa é o simples fato de todos vencerem…todos ganham,seja em casa,ou fora,ou depois de 3 jogos…Mas 11 jogos? Não…isso é inédito pra todos que torcem Ceará de uma geração mais recente como a minha…
    Prevejo

  3. Prevejo consequências nefastas em caso de mais um tropeço próximo jogo… Vai ser um jogo de nervos,onde sair na frente vai ser fundamental,coisa que não acontece desde a longínqua última vitória… E mais tenso ainda vai ser conseguir segurar o placar,porque do jeito que está,se sair na frente,até o Evandro e o Robinson vão pra zaga defender…

  4. Concordo com o Graziani, acho que a situação é perfeitamente reversível, pois temos muito dinheiro em caixa, o Ceará arrecadou mais de 7 milhões este ano, não me venha com desculpas que não temos mais dinheiro para contratações. A competição ainda não está nem na metade, portanto ainda há muito jogo pela frente. A diretoria tem que parar de pensar em política e começar a olhar pro time que foi desfeito e está entregue às baratas.

    1. Enquanto houver incompetência em termos de contratação,não adianta ter dinheiro em caixa. Dinheiro muito mal utilizado . Nem cabe fazer análise pois é óbvio e já está redundante falar nisso…

  5. A turma da série c q n consegue sair do inferno fica só na torcida contra o grande alvinegro mais querido do Brasil.
    Tenho certeza q o Vozão vai dar a volta por cima
    E o nosso presidente n podemos criticar apenas ele foi infeliz em algumas contratações
    Mais vaidar td certo
    Ceará tua glória e lutar..

  6. A turma da série c q n consegue sair do inferno fica só na torcida contra o grande alvinegro mais querido do Brasil.
    Tenho certeza q o Vozão vai dar a volta por cima
    E o nosso presidente n podemos criticar apenas ele foi infeliz em algumas contratações
    Mais vai dar td certo
    Ceará tua glória e lutar..

  7. Olá Graziani,

    Dizem que o Ceará tá querendo contratar o equatoriano CAICEDO, que é pra acabar logo com essa angústia. kkkkkkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *