Site Médico chama Método de Fisioterapia de “uma mentira perigosa”.

POR:  www.centromedicodacoluna.com.br.

Colocamos a publicação na íntegra  e reafirmamos nosso compromisso, esse espaço é democrático, dessa forma está aberto a todos.

Dizer que se vai reconstruir implica a existência de uma destruição presente. Numa destruição, as partes estão incorretamente montadas ou relacionadas. Dizer que se vai fazer uma reconstrução músculo-articular, significa dizer que existem músculos e articulações que estão destruídos e que serão remontados e corretamente acoplados.

Esta linguagem é comum na cirurgia ortopédica, quando fazemos, por exemplo, a troca de uma articulação do quadril (figura) por uma prótese. Isto sim é uma reconstrução!

Uma reconstrução só pode ser feita através de procedimentos cirúrgicos. Reconstruir uma articulação sem agir cirurgicamente é como mover pedras com a força do pensamento. É um total absurdo!

Mais absurdo ainda é a tentativa de “reconstruir” a anatomia da mais complexa estrutura anatômica do corpo humano: a coluna vertebral.

O fato é que o pomposo termo RECONSTRUÇÃO MÚSCULO-ARTICULAR DA COLUNA VERTEBRAL ( RMA da Coluna Vertebral) encerra uma mentira perigosa. Uma mentira com uma ideia descaradamente falaciosa para atrair pessoas desavisadas e assustadas por dores agudas e fortes.

O fato é que estas dores agudas e fortes, em sua maioria, são benignas e passariam mesmo sem nenhuma ação “terapêutica”. Nas situações em que as dores persistem ou são muito intensas, é claro que devemos agir, mas devemos agir dentro dos princípios do bom senso, da ética, e baseados em evidências científicas fortes, evitando as “invencionices” e falsos milagres. Para isto existem a fisioterapia séria, a medicina com seus remédios, a cirurgia com suas técnicas precisas. Só não precisamos de mais uma mentira com finalidades comerciais fantasiada de anjo.

A função da medicina é alertar para as boas práticas diagnósticas e terapêuticas, e aqui fica o alerta, diante de mais um risco para pacientes em desespero, e que aceitam qualquer coisa para obter alívio e as vezes nem percebem que a cura pode estar em não fazer nada, ou nada de “invencionice”.

Fonte: http://centromedicodacoluna.blogspot.com/

Compartilhar

10 comentários sobre “Site Médico chama Método de Fisioterapia de “uma mentira perigosa”.

  1. Não é tão verdade assim, pois eu cheguei a ler mais sobre a técnica e ela me pareceu muito boa, pois é um protocolo que alia fisioterapia, mesas de tração e flexão e pilates. Quer dizer, tudo o que é bom para uma coluna saudavel.
    A pessoa que escreveu esse artigo simplesmente disse que fisioterapia e pilates não funcionam.

  2. Temos feito duras críticas em nosso BLOG ao uso das mesas de tração dentro ou fora do protocolo de RECONSTRUÇÃO MÚSCULO ARTICULAR DA COLUNA VERTEBRAL. Muitos defensores deste método alegam que lancei uma campanha difamatória contra ele.? Não há esta intenção. O fato é que, simplesmente, mostro a inefetividade e as incoerências deste método, que pode ser plenamente abolido sem qualquer prejuízo para o tratamento dos pacientes.

    FORTEMENTE BASEADO EM TRABALHOS PRESENTES NA LITERATURA MÉDICO-CIENTÍFICA, DESAFIO PUBLICAMENTE OS DEFENSORES DESTE MÉTODO SABIDAMENTE INEFICAZ, QUE É A “RECONSTRUÇÃO MÚSCULO-ARTICULAR DA COLUNA VERTEBRAL” A DEBATER ABERTAMENTE EM EVENTO CIENTÍFICO DE SUA ESCOLHA SOB MODERAÇÃO DE REPRESENTANTES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA.

    SERÁ A OPORTUNIDADE DE ESCLARECER FATOS TÉCNICOS, UMA VEZ QUE OS DEFENSORES DESTE MÉTODO REPETIDAMENTE FOGEM DE ARGUMENTAÇÕES BASEADAS EM EVIDÊNCIAS, BASEANDO SUAS PREMISSAS EM SUPOSIÇÕES SEM FUNDAMENTOS PLAUSÍVEIS E EM MANOBRAS DE MARKETING COMERCIAL SEM SUSTENTAÇÃO EM QUALQUER VERDADE PROVADA PELO MÉTODO CIENTÍFICO.

    SEGUE A PAUTA DE MEU ATAQUE:

    1. O método de tração dá a entender que promove uma reconstrução de músculos e articulações da coluna vertebral. ISTO É MENTIRA, POIS SÓ SE CHEGA A ESTE FIM COM UMA CIRURGIA DE RECONSTRUÇÃO! UM MÉTODO SIMPLÓRIO COMO ESTE NÃO TEM ESTE PODER MÁGICO.

    2. O método de tração diz que se trata de algo pioneiro. ISTO TAMBÉM É MENTIRA, POIS O USO DE MESAS DE TRAÇÃO E GINÁSTICA EM TRATAMENTOS DE COLUNA JÁ USADO HÁ SÉCULOS EM PROTOCOLOS COMO O DE PRAVAZ.

    3. O método de tração diz poder tratar hérnias de disco como uma alternativa a uma cirurgia. ISTO É MENTIRA, POIS NAS SITUAÇÕES ONDE EXISTEM REAIS INDICAÇÕES DE CIRURGIAS, COMO NO CASO DE SÍNDROME DA CAUDA EQUINA E NAS MIELOPATIAS CERVICAIS, ESTAS MACAS PODEM ATÉ TRAZER DANOS MEDULARES E DEIXAR PACIENTES ALEIJADOS.

    4. O método de tração propõe a realização de 20 ou mais sessões como tratamento das dores nas costas. ISTO É UMA MENTIRA, POIS NESTE LONGO TEMPO OS PACIENTES MELHORARIAM MESMO SEM FAZER QUALQUER TRAÇÃO. JÁ EXISTEM MUITOS TRABALHOS QUE DEMONSTRAM ISSO.

    5. O método de tração se diz revolucionário e dá a entender que é superior aos métodos convencionalmente usados na fisioterapia. ISTO É MENTIRA, POIS ELE NÃO TEM NADA DE REVOLUCIONÁRIO NEM É MELHOR QUE OS OUTROS MÉTODOS. PELO CONTRÁRIO, ELE É PIOR QUE A HISTÓRIA NATURAL NAS LOMBALGIAS E CIÁTICAS.

    6. O método diz que age através da descompressão de estruturas nervosas. ISTO É MENTIRA, POIS HOJE, SABE-SE QUE A COMPRESSÃO NÃO É O FATOR PRINCIPAL DO PROBLEMA – É PRINCIPALMENTE O FATOR IMUNE E INFLAMATÓRIO – E QUE NÃO HÁ PROVAS DESTA DESCOMPRESSÃO ALEGADA.

    7. O método de tração se diz altamenete eficaz e seguro. ISTO É MENTIRA, POIS SUA INEFICÁCIA JÁ FOI COMPROVADA EM VÁRIOS TRABALHOS, TANTO NAS CIÁTICAS E NAS LOMBALGIAS E ELE PODE CAUSAR PIORA DOS QAUDROS DE DOR COM A PRODUÇÃO DE DORES NEUROPÁTICAS DE DIFÍCIL TRATAMENTO.

    8. O método de tração alega ser um tratamento de doenças degenerativas discais. ISTO É MENTIRA, TALVEZ SUSTENTADA PELO TOTAL DESCONHECIMENTO DA GRANDE COMPLEXIDADE METABÓLICA DOS PRINCÍPIOS MECANOBIOLÓGICOS EXISTENTES NO DISCO. O DISCO DEGENERADO TEM UMA CASCATA BIOQUÍMICA E METABÓLICA DISFUNCIONAL E NÃO SERÁ UM TRAÇÃO QUE VAI NORMALIZAR ISSO. MUITO PELO CONTRÁRIO, A TRAÇÃO ACELERA A NECESSIDADE METABÓLICA E AGRAVA A DEGENERAÇÃO.

    ESTÁ LANÇADO O DESAFIO!!! NÃO FUJAM!!!

    Quem lança o desafio:

    Dr Henrique da Mota, MD, AFSA
    Ortopedia e Cirurgia da Coluna

    Especialista Diplomado em Ortopedia e Traumatologia pela Université Claude Bernard – Lyon 1 – França.
    Residência em Ortopedia no Pavillon T do Centre Hospitalier Universitaire Edouard Herriot – Lyon – França.
    Residência em Cirurgia da Coluna Vertebral no Centre Medico-Chirurgical Des Massues – Lyon – França.
    Membro da Societé Française de Chirurgie Orthopédique et Traumatologique – SOFCOT.
    Especialização em Cirurgias Ligamentares e Artroplastia da Coluna Vertebral. Clinique Saint Martin – Pessac – França.
    Especialização em Cirurgias Mini-invasivas com uso de Laser e Radiofrequência. CHU Pellegrin – Université de Bordeaux – França.
    Fellow-Research em Biomecânica da Coluna Vertebral. Centre Des Massues – Lyon – França
    Especialização em Medicina Intervencionista da Coluna. Hôpital Civil – Université Louis Pasteur – Strasbourg – França.
    Especialização em Neuroestimulação Medular. Université de Lyon – Hôpital Neurologique et Neurochirurgical Pierre Wertheimer – Lyon – França.

  3. Caro Diogo,

    Os procedimentos terapêuticos – seja microfisioterapia, cirurgia, remédios, trações ou quaisquer outros – para comprovarem a suas reais efetividades, devem ser submetidos a testes sistematizados que excluam a possibilidade de efeito placebo, efeito Howthorne, efeitos sugestivos, auto-regressão de sintomas e muitos outros viéses que podem estar envolvidos, e que podem passar despercebidos pelos que ignoram a lógica científica e expressam opiniões pessoais. Somente após serem submetidos a este método científico, é que podemos efetivamente considerá-los dentro da medicina científica e baseada em evidências.

    Ao longo da história da medicina, vários métodos terapêuticos, sendo submetidos ao crivo da ciência, mostraram-se ineficazes quando comparados aos viéses e, desta forma, se continuam a ser usados por profissionais que agem fora da ciência, isto configura uma ação deliberadamente errada ou movida por uma dissonância cognitiva, quando o profissional tem ideias que não correspondem aos fatos. Ter ideias não correspondentes às evidências é um problema que deve ser combatido com veemência, para que possamos escapar da má-fé de alguns aproveitadores e para defender os princípios de segurança e de evolução harmônica da medicina.

    As terapias com mesas de tração eletrônicas já foram submetidas a estudos deste tipo e não estão baseadas em nenhuma evidência, mínima que seja, de efetividade. Do ponto de vista formal, é um grande embuste.

    Seria interessante se você tivesse a disponibilidade de se aprofundar na história das terapêuticas de Hipócrates e Avicena, que usavam macas de tração como estas. Outros trabalhos de Pravaz e diversos outros que entraram na história da ginástica e exercícios, e tentaram esta lógica furada que foi abandonada pela percepção de ineficácia real.

    Devemos basear nossas opiniões profissionais dentro de graus de evidências, e o grau de evidência é geral e não pessoal. Dizer que o tratamento lhe pareceu muito bom é muita leviandade e infantilidade profissional. Devemos sempre escapar da falácia relativista e de relatos anedotais de pacientes que contam suas experiências. Isto não é ciência, meu caro amigo. Assim você vai começar muito mal a sua profissão.

    Você pode estar sendo mais uma vítima do que chamamos, na filosofia, de “falácia post hoc”. Na falácia post hoc, conclui-se, erroneamente, que se um evento ocorre após outro, há uma relação direta de causa efeito. Os supersticiosos e ignorantes são particularmente vulneráveis a esta armadilha do pensamento lógico, deixando-se enganar por uma falsa impressão.

    Reafirmo, desta forma, que as mesas de tração não tem nenhum amparo científico e continuam saendo usadas por puro interesse comercial.

    Aguardo suas considerações.

    Dr Henrique da Mota, MD, AFSA
    Ortopedia e Cirurgia da Coluna

  4. O fato é que 87% dos pacientes tratados por esta técnica estão satisfeitos ou muito satisfeitos com o tratamento. Sem mais…

  5. Caro Marcelo Gioia,

    O trabalho (Gionis, Thomas, and Eric Groteke. 2003. Spinal decompression, Orthopedic Technology Review, 6: 36–39) que trazia este dado falso de 86% de satisfação, de autoria de um tal de Thomas Gionis, que inclusive teve sua licença médica suspensa e esteve 30 meses preso por outros crimes, já foi desmascarado e hoje se sabe que não passou de uma fraude primária. Publicado em um jornal sem qualquer expressão só pode ser citado por pessoas sem compromisso com a verdade e com interesses estranhos à boa prática médica. Informe-se antes de dizer asneiras, mentiras e irresponsabilidades a um público desavisado e sujeito a embustes se não forem corretamente esclarecidos.

    Segue referência: http://www.livescience.com/4647-truth-space-age-cure-pain.html

    Cuidado, pois há sempre alguém atento à ação dos mentirosos.

    HdaMota

  6. Dr Henrique da Mota , gostei da sua explicação o que prova que é realmente um especialista preocupado com resultados dos pacientes , raro hoje em dia , gostaria de uma orientação sua , sobre qual melhor tratamento para hernia de disco obrigado

  7. Também gostaria de saber a sua proposta para um tratamento de hérnia de disco, foi prescrita fisioterapia porém quero sua opinião, porém não gostaria de usar nenhum medicamento, pois já fiz uso e estes aliviam a minha dor apenas momentaneamente, e meu caso não é cirúrgico.
    Att

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>