Acupuntura: quem pode exercer?

Acupuntura é um ramo da Medicina Tradicional Chinesa um método de tratamento considerado complementar de acordo com a nova terminologia da OMS – Organização Mundial da Saúde.

Os Cinco Elementos
Os Cinco Elementos

A história da acupuntura iniciou-se com o aquecimento de pedras em certas partes do corpo. O homem de Pekin há mais de 10.000a.c e seu sucessor o Upper man utilizavam utensílios de madeira, ossos, pedras e espinhas de peixes, para realizar estímulos em certos pontos do corpo (Acupontos). È durante as Dinastias Xia, Shang , Zhou (2.000 a.c), que surge a escola naturalista com os princípios de Yin e Yang e cinco elementos. Mestres deste período nomearam meridianos e pontos de acupuntura. A visão tradicional da medicina chinesa está profundamente ligada a teorias baseadas no Taoísmo, sobre a dualidade Yin/Yang, sobre meridianos e outros conceitos bastante “exóticos” para a ciência médica ocidental. O Yin e o Yang são aspectos opostos de todo movimento no universo. É um conceito hoje considerado quântico que os médicos chineses antigos conseguiram adaptar para a medicina.  No corpo do homem existe um equilíbrio que pode ser alterado por diversos tipos de influências, como alimentar, comportamental e muitas outras.

Yin e Yag
Yin e Yag

 O Yin e o Yang são aspectos opostos de todo movimento no universo.  O ocidente deve a George Solie de Morant um francês que foi para china em 1908 e estudou esta magnífica arte da cura. No Brasil na década de 40, o professor Frederico Spaeth de origem européia naturalizou-se brasileiro e dedicou a sua vida ao estudo e ao ensino da acupuntura.

professor Frederico Spaeth
professor Frederico Spaeth

Após décadas de misticismo e incertezas com relação a sua eficácia, a  pratica tornou-se alvo de intensa briga pela reserva de mercado. Em 1985 a acupuntura foi reconhecida oficialmente por intermédio da Resolução COFFITO 60 1985, do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, que concedeu autonomia para praticar o método. Quem pode praticar a acupuntura no Brasil? Este questionamento, antes feito por pouquíssimos, começa a rodear o pensamento de várias pessoas. Muito já se fala sobre a necessidade da formação em medicina para o exercício desta milenar técnica. No entanto, parece que esqueceram de explicar como ela é praticada nos demais países do mundo.

 A Organização Mundial de Saúde publicou em 2001 um amplo levantamento sobre a situação das medicinas alternativas no mundo, e verificou que somente em dois países a acupuntura é restrita a médicos: Arábia Saudita e Áustria. Tal constatação se contrapõe frontalmente aos radicais que tentam creditar esta técnica milenar como um ato exclusivamente médico. Em mais de 50 países, porém, todo indivíduo com a devida formação em acupuntura pode praticá-la. O mais importante não é afirmar quem pode ou não quem pode praticar, o fundamental é definir critérios claros sobre como se deve praticar à acupuntura pelos mais diversos profissionais.  A OMS defende que a acupuntura seja multi-profissional e recomenda o estabelecimento de competências especificas para cada categoria. Faz-se necessário ainda intenso debate não só junto ao COFFITO como também aos deputados e senadores para que os fisioterapeutas acupunturistas e demais acupunturistas tenham seus direitos preservados.

Por: Dr. Ewertom Cordeiro Gomes

20 comentários sobre “Acupuntura: quem pode exercer?

  1. Muito interessante a matéria de Dr.Ewerton Gomes sobre a prática da Acupuntura. Acho importante também mencionar que a acupuntura, como especialidade da Fisioterapia re conhecida pelo COFFITO somente deve ser praticda por profissionais. Infelizmente, muitos cursos estão abertos para acadêmicos de fisioterapia que ainda não concluíram a sua formação básica. Então eu deixo a pergunta: Isso é especialização?

  2. Caro Luís,

    O artigo relata que apenas Profissionais podem exercer a acupuntura. Hoje estes são os especialistas em Acupuntura que possuem seu título reconhecido pelos órgãos de classe e os profissionais de nível técnico em Acupuntura.

    Nenhum acadêmico pode cursar curso de pós-graduação. Isso vem sendo combatido pelo sistema CREFITOS-COFFITO.

    Ainda sobre a ilegalidade, desde 2007, o Ministério da Educação – por meio do Conselho Nacional de Educação (CNE) – tem decisão firmada referente a essa ilegalidade. O Parecer CNE/CES 02/2007 expõe o posicionamento unânime da Câmara de Educação Superior repudiando tal prática.

    Sugiro a leitura do link: http://www.coffito.org.br/publicacoes/pub_view.asp?cod=1693&psecao=7

  3. Caro Ewerton

    Sou especialista em acuputnrua desde 2001 com reconhecimento feito pelo COFFITO e venho declarar que isso que vc relatou “Nenhum acadêmico pode cursar curso de pós-graduação. Isso vem sendo combatido pelo sistema CREFITOS-COFFITO.” embora concorde sem questionar não vem sendo praticado, pelo menos na minha região do CREFITO 6. Sou professor de uma Faculdade Privada em Fortaleza e tive alunos d 3 ano realizando a formação oficial em acupuntura. Se vão conseguir o reconhecimento do COFFITO quando terminarem, eu não sei, mas que estavam matriculadose assitindo aula nesses cursos estavam.

  4. Caro Luís,

    Neste caso cabe denúncia dos acadêmicos ao CREFITO 6 e da Escola ao MEC. Porém é válido salientar que algumas escola de Acupuntura são autorizadas pelo MEC a ministrar cursos técnicos, o que inviabiliza a denúncia, uma vez que podem alegar que trata-se de um cusro técnico e não de pós-graduação.

    No que diz respeito a Acupuntura, o aspecto oós-graduação antes do fim da graduação apresenta este entrave, visto que a mesma ainda não é regulamentada no Brasil.

    As pessoas que cursam pós-graduação antes de concluir a graduação e estão apresentando seus diplomas junto ao CREFITO, estão tendo seus pedidos de reconhecimento de especialidade indeferidos.

    Precisamos parar de achar e afirmar que nossas autarquias não fazem nada e começar a apoiá-las, seja através de denúncias, seja através de qualquer outra ação que contribua com o fortalecimento da nossa profissão.

    O brasileiro de uma forma geral ainda é muito acomodado e discrente quando os assuntos são: direitos, denuncias e e justiça, pois de uma forma geral vemos a ipunidade a cada esquina, contudo temos que mudar essa mentalidade e buscar mais qualidade de vida em todos os sentidos.

    Sejamos surdos aos pessimistas e unidos para que juntos possamos tornar a Fisioterapia e o Brasil, profissão e país melhores.

    Abraços.

  5. Caro Wewrton
    Parabéns pela matéria e incentivo aos fisioterapeutas e acupunturistas.
    Quanto a formação gostaria de levantar o seguinte questionamento: Se existem cursos de especialização e técnicos em acupuntura, ambos habilitando para a prática da Medicina Chinesa, qual o mérito que um profissional da área de saúde obtém com um título de especialista em Acupuntura? É certo que alguns planos de saúde e o SUS exigem, por enquanto, que o profissional seja da área de saúde, mas como foi levantado na sua matéria, como explica a prática da Acupuntura clássica em países tradicionais que não têm formação ocidental, ou mesmo nos que a têm? A medicina chinesa não se baseia em nenhum teorema médico ocidental e apenas a anatomia ocidental é válida para auxiliar sua aplicação, conteúdo que uma formação técnica pode proporcionar.

  6. Caro Rafael,

    Obrigado pelas congrutalações!

    Para você o que é mais válido enquanto profissional de nível superior, agregar um curso de pós-graduação ou um curso técnico? Para mim é agregar pós-graduação. Claro que cada cabeça é um mundo, e os profissionais de nível superior podem optar por dar baixa em sua inscrinção no conselho de classe e passar a atuar no nível técnico, para mim isso é um retrocesso, porém como afirmei previamente cada pessoa pensa de modo diferente.

    Outro detalhe, para atuar como acupunturista e fisioterapeuta em concomitância é necessário o título de especialista reconhecido pelo COFFITO e, em futuro breve, pela Associação de Fisioterapeutas Acupunturistas – AFA-Brasil. Ou seja, se você é fisioterapeuta e desejar abrir consultório para atuar com Acupuntura você não poderá apresentar diploma de curso técnico no momento em que for registar seu consultório junto ao CREFITO da sua região.

    Na China, país onde originou-se a Acupuntura, a Medicina Tradicional ocupa hoje talvez menos espaço que a Medicina Ocidental. Boa parte dos investimentos por lá são direcionados a medicação Alopática.

    Não discordo que o Acupunturista necessita de pouca informação ocidental(a história da MTC é mais antiga que os tratados de Anatomia e nem por isso a Acupuntura tornou-se obsoleta sem sem eficácia, uma vez que a localização dos pontos possuem sistema de localização próprio; a forma com que se estuda no Ocidente é que transformou a localização mais didática para facilitar a compreensão e aprendizado) ou talvez nenhuma para seu exercício, porém muitos conceitos são válidos se agregados, uma vez que a Acupuntura não é soberana e em muitos casos outras terapias possuem igual ou melhor eficácia que a mesma.

    Quanto ao SUS e os planos de saúde acho pouco provável que os mesmos venha a aceitar profissionais de nível técnico no que concerne a Acupuntura. No caso dos planos porque que os comanda são médicos e no caso do SUS pela própria história do sistema.

    Tivemos, no II Congresso Brasileiro de Acupuntura AFA-Brasil, que o correu em Recife em maio do corrente ano, a presença da Dra. Carmem di Simone do Ministério da Saúde e uma das mães das Política Nacional de Práticas Integrativase Complementares – PNPIC e a mesma disse que nem seria necessário debate do porquê os Educadores Físicos não foram inseridos na PNPIC, então a gente pensa se são tão categóricos quanto a uma classe profissional de nível sueprior quanto mais do nível técnico.

    Claro, tudo isso pode mudar muito caso um dos PL’s sobre a regulamentação da Acupuntura seja aprovado.

    Abraços.

  7. Amigo Ewerton,
    Acredito que a acupuntura não se enquadra nem em nível de pós graduação nem nível técnico, mas sim em termos de Medicina Oriental. Não acredito que uma formação de 1200 horas ou menos torna o profissional apto a atender seguramente um paciente segundo os princípios milenares chineses e da atualidade científica, a nível clássico e moderno, incluindo todos os recursos da medicina chinesa como ventosa, moxa, sangrias, sementes, ervas, fitoterapia, aparelhos de eletroacupuntura ou laser. Sou a favor de uma graduação em Medicina Oriental que venha a tornar o profissional apto com qualidade de desenvolver uma medicina chinesa em todos seus aspectos curativos e preventivos, em seus recursos e práticas. Acredito que assim a população terá acesso a riqueza milenar do método de cura oriental e a acupuntura irá ganhar muito mais credibilidade, confiança e respeito tanto da população quanto das classes de profissionais da saúde, que irão trabalhar em conjunto, multidisciplinarmente e complementarmente.

    Infelismente temos nossa visão ocidental em dividir o ser humano em especialidades que nos torna limitados. A acupuntura não é uma especialização, mas sim uma ciência que tem visão holística e completa.

  8. Caro Rafael,

    Tudo depende do que cada profissional deseja, isso em qualquer profissão. Sempre existirão profissionais e profissionais em todas as classes.

    Tive professores em minha especialização que tinha formação técnica, mas que dão banho e muitos profissionais de saúde e acupuntura, ou seja, seus conhecimentos em MTC são muitos bons e seus conhecimentos em ciências ocidentais muito supeiores a vários profissionais de saúde.

    Na própria China os níveis de formação vão desde o técnico ao profissional de nível superior. Na própria China existem referências em MTC e existem lugares que nem de longe são referência.

    Não podemos agir de forma “preconceituosa” neste aspecto.

    Como já falei previamente: a OMS recomenda a prática multi-profissional da Acupuntura em seu documento “Directrices sobre capacitación básica y seguridad en la acupuntura”, sugiro a leitura.

    Em todas as profissões o aprendizado não é único e sim algo contínuo. 1200 horas são o imput, cada profissional deve continuar capacitando-se e reciclando-se.

    Abraços.

  9. É preciso salientar que as 1200 exigidas pelo COFFITO como descreve o texto:
    Art. 1º: – O Art. 1º, da Resolução COFFITO-97 (D.O.U. n.º 090, de 16.05.1988, Seção I, Pág. 8.506), passa a vigorar com a seguinte redação, verbis: “Para os efeitos previstos na Resolução COFFITO-60, o certificado de conclusão de curso de acupuntura, somente será aceito e registrado no COFFITO, se o curso for ministrado por entidade de reconhecida idoneidade científica e educacional, comprovar carga horária mínima de hum mil e duzentas (1.200) horas, sendo 1/3 (um terço) de atividades teóricas e com duração mínima de 2 (dois) anos, sendo que as instituições promotoras de cursos de Acupuntura dirigidos a profissionais Fisioterapeutas, com fins de garantir a validade dos títulos concedidos junto ao Sistema COFFITO/CREFITOs, deverão submeter seus projetos pedagógicos, dentro das novas exigências, a prévia análise e aprovação do COFFITO”, uma complemntação na formação do profissional Fisioterapeuta para que o mesmo possa ser considerado ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA.

    Acho que o que vc deficiu como “Especialista” não se enquadra dentro do real sentido da palavra, pois, antes de ser Especialista é necessário um conhecimento amplo de uma profissão para que então se dedique a uma determinada área de estudo. Se não for dessa maneira, aquele profissional será “excelente técnico” que difere de Especialista. Seria como um acadêmico de direito desejasse somente trabalhar com divórcio, daí faria uma “formação” somente para trabalhar com divórcio.
    Hoje 7 conselhos federais consideram a “Acupuntura” como especialização, a criação do profissional que vc mencionou, contradiz todas esses reconhecimentos. A quiropraxia, por exemplo, é considerada como especialização pelo COFFITO, mas nos EUA ela é profissão. Aqui no Brasil a “criação dessa profissão” foi vetada pelo nosso conselho.
    Embora eu lecione formalmente uma disciplina intitulada BASES DE MEDICINA TRADIONAL CHINESA no CURSO DE FISIOTERAPIA numa entidade de nível superior, é bem verdade que a interpretação diagnóstica energética poderia ser mais explorada em nossos cursos tradicionais, mas, não podemos esquecer que a “nossa cultura” não pode ser simplesmente abandonada na interpretação de patologias comuns a nossa população. Acredito que “somente” a interpretação energética bloqueia o processo evolutivo da educação para profissionais da saúde no Brasil

  10. Caro Ewertom
    Concordo completamente com suas colocações e confirmo que o profissional Acupunturista deve ter um aprendizado continuado em vista da amplitude que a visão da Medicina Chinesa aborda. Os melhores acupunturistas que conheci, que realmente trabalham com a correta sequencia de pontos, baseado na fisiologia e fisiopatogenia energética possuem mais de uma formação em acupuntura e ainda assim reconhecem que precisam aprender muito. Recomendo a todas as pessoas que forem se submeter a acupuntura questionarem a formação e o conhecimento em Medicina Chinesa do seu acupunturista, pois podem estar sendo enganados por “espetoterapeutas” que se utilizam de protocolos e “receitas de bolo” para aplicar esse conhecimeto. Isso é muito perigoso, pois em alguns casos a acupuntura pode não ter efeito e em outros podem piorar o quadro do paciente. Agradecido.

  11. Dr. Luís Henrique Sousa Cintra

    O conhecimento é ilimitado e a Medicina Chinesa é muito mais abrangente que uma técnica específica, embora o conselho reconheça essa especialização. A Quiropraxia, assim como o RPG são técnicas específicas e restritas a certos tipos de patologias musculoesqueléticas e tratam de forma bem específica. Na China como no Japão existem populações que possuem grande número de pessoas centenárias que vivem segundo sua cultura e os preceitos da Medicina Chinesa. A física quântica vem fazendo descobertas que os mestres chineses já conheciam e utilizavam a milênios. Para entendermos a acupuntura é necessário tomar conhecimento dessa carga de conteúdo e que é necessário uma vida de estudos.
    Claro que para os concelhos COFFITOS e CREFFITOS é interessante ter a acupuntura como especialização pois aumenta a adesão aos concelhos e evita evasão por parte dos que optarem em se aprofundar no estudo da Medicina Chinesa.
    Acredito que o profissional de saúde é a pessoa mais indicada para estudar a Medicina Chinesa, pois possui melhor bom senso para guiar uma patologia, mas como foi relatado existem profissionais de outras formações ou técnicos que sabem muito mais que profissionais de saúde. Devemos trabalhar multidisciplinarmente, pois o conhecimento é muito amplo. Assim como um médico não deve prescrever o tratamento de fisioterapia, o fisioterapeuta não deve prescrever fisio-acupuntura, isso é possível?? Na minha opinião o Fisioterapeuta deve tratar fisioterapia e o Acupunturista deve fazer a Medicina Chinesa, ambas as áreas não são estensão uma da outra mas sim complementares. Nas técnicas de Quiropraxia e RPG utiliza-se alongamentos e manipulações musculoesqueléticas, estensão das técnicas aprendidas durante a faculdade de fisioterapia, mas é possivel praticar fisio-acupuntura? Acredito que não e futuramente a acupuntura exigirá uma graduação técnica mais abrangente que as especializações. Abraço amigo

  12. Rafael,

    em um post, aqui neste mesmo blog, voce diz em um comentario:
    “Muito importante sua observação quanto as especializações. Apenas com profissionais bem preparados e especialistas é que teremos cada vez mais a confiança e o respeito da população.”

    Em outros comentarios assinado por voce neste post, podemos ler:
    “Infelismente temos nossa visão ocidental em dividir o ser humano em especialidades que nos torna limitados.”

    Em um voce fala da importancia e em outro denigre as especializações. O que entende por elas?

    O que voce chama de “graduação técnica mais abrangente que as especializações”?

  13. Meudo Filho,
    Um especialista, é uma pessoa que se ocupa exclusivamente de um ramo particular de uma ciência, de uma arte, etc. O Título é dado a profissionais que concluem curso de pós graduação Latus Sensus nas referidas áreas. Também pode ser chamado de profissional que se empenha em uma matéria. Entendo que a especialização é algo complementar a uma graduação e isso não se enquadra quanto a Acupuntura dentro da Fisioterapia, pois a graduação em Fisioterapia em nada tem em relação a Medicina Chinesa. Dentro da abrangente ciência que é a Fisioterapia se fazem necessárias especialidades, pois existem ramos definidos de uma ciência maior. A Acupuntura não faz parte do ciência Fisioterapia sendo uma ramificação da Medicina Chinesa. Um acupunturista deveria obter uma formação em Medicina Chinesa que abrangesse de forma geral todos os aspecros dessa ciência para depois se especializar dentro da própia Medicina Chinesa. Em alguns países como o Japão a Medicina Chinesa se enquadra em uma graduação de nível superior. Uma formação de fisioterapeuta Acupunturista, na minha opinião é uma visão limitada que beneficia apenas os Conselhos. É importante termos uma visão global do paciente e entendermos as limitações de cada especialização. Sou a favor de nos especializarmos dentro daquela área em que temos formação generalista, no caso Fisioterapia e não Medicina Chinesa.

  14. Senhores,

    Sou acupunturista, registrado no Conselho Regional de Terapia Holística (CRT).

    Gostaria de saber qual a BASE JURÍDICA para que planos de saúde só aceitem acupunturistas que tenham formação superior em medicina ou fisioterapia?

    DÚVIDAS:
    1) O MEC reconhece o curso de acupuntura?
    2) Existe norma legal expedida pelo MEC reconhecendo tal curso?
    3) O curso é reconhecido como de nível técnico?
    4) Já vi entendimento judicial de que a acupuntura só poderia ser exercida por MÉDICOS.
    5) O que a Agência Nacional de Saúde – ANS diz sobre o profissional que atua na área da acupuntura?
    6) Porque tem planos de saúde que só aceitam como credenciado MÉDICO ACUPUNTURISTA?

    Obrigado.

    Carlos Alvares
    berodriguess@yahoo.com.br

  15. Sou formado BIOLOGIA, e tenho uma especialização em GERONTOLOGIA, e estou pretendo fazer o curso de acunpuntura,a pergunta e depois posso atuar na aerea, cursei o 4o periodo de fisioterapia e trabalho a 20 anos na aérea da saúde, eu fazendo esse curso vou sair com o curso de TECNICO EM ACUPUNTURA OU ACUPUNTURISTA,e nesse caso tenho que me inscrever no CONSELHO DE MEDICINA HOLISTICO (CRTH).

  16. Ola. Alguem pode me informar, por que, os planos de saúde só aceitam acupuntura praticadas por médicos?
    Vou um pouco mais longe. O que os conselhos que reconhecem a prática da acupuntura estão fazendo?
    O que podemos fazer ?
    Tenho licencitura plena em Educação Física, Bacharel em Fisioterapia, especialista em acupuntura(pós).

  17. é por isso que a fisioterapia não vai pra frente! Ao invés de estarem aí brigando com os academicos por causa de besteira,porque isso é uma besteira, já que ex iste curso tecnico em acupuntura. Deveriam era se unir mais para um piso salarial mais digno! Vão caçar o que fazer seus desocupados!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>