Ceará vai receber bolada com a repatriação

Com caixa mirrado, o Governo do Ceará vai receber um presentinho de final de ano. É que 10 de novembro é o prazo estabelecido para o Ministério da Fazenda repassar aos Estados a parcela da repatriação, recursos que milhares de brasileiros mantêm não declarados no exterior.

O providencial reforço chegará aos governadores por meio da divisão do Imposto de Renda e das multas que incidirão sobre os recursos repatriados. Os Estados têm direito a 21,5% da arrecadação do IR.

Em um cálculo bastante modesto, o total distribuído para os estados será de no mínimo R$ 5,3 bilhões. Vão valer as mesmas regras que definem o bolo e a distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

Pela ordem, Bahia, Ceará e Maranhão são os estados com maior cota no rateio do FPE e, portanto, da repatriação. Considerando o valor acima, a Bahia vai receber cerca de R$ 450 milhões. Caberá ao Ceará aproximadamente R$ 390 milhões.

Porém, esse valor pode ser bem maior caso a repatriação alcance montantes que eram previstos quando a lei foi aprovada. Já se falou em R$ 50 bilhões. O resultado acima se baseia em uma adesão que gere um bolo de R$ 25 bilhões.

3 thoughts on “Ceará vai receber bolada com a repatriação

  1. espero que o ministério publico e o poder judiciário não queiram aumentar seus salários !!!!!
    pois o servidor estadual estar com pires na mão

  2. Se o negócio é receber recursos a qualquer preço, deviam cobrar contribuições de traficantes e assaltantes também. Não há a mínima diferença entre o dinheiro desses últimos e o provenientes de sonegadores. Ou agora legalmente existe o bandido bom e o bandido ruim?

  3. Em um país, que o congresso dos representantes do povo, aprovam um assassinato à constituição dita ” cidadã “, onde se coloca os gastos dos desmandos administrativos seculares nas costas apenas dos que trabalham, o que se pode esperar mais de mal……sim….pode, pois os nossos políticos sempre tem mais no seu saco de maldades. Então notícia de recursos não tem mais nenhuma importância para quem já tem por lei, os minguados salários congelados por 20 anos. Diga se passagem que a correção pela inflação oficial é um mito, não precisa ser economista para se saber que a inflação real está bem para além da divulgada. Um país que cria teto para todos os Estados não vai crescer pelos próximos 20 anos, pelo contrário irar encolher ao tamanho de uma republiqueta dominada pelo capitalismo internacional. Como podem dizer a título de jogar as massas contra os funcionários públicos, principalmente o ódio gritante contra os professores da educação básica, que todos são iguais, ( mentira ninguém é igual, nem física nem moralmente, muito menos nesse país, que os que estão a falar em igualdade formam a casta dividida em classe alta, classe média alta, empresários e esganadores investidores banqueiros. Os funcionários públicos participam de concurso de provas e títulos, não é boquinha ir enfrentar a fúria dos excluídos do capital nas periferias das cidades onde tudo é permitido em nome de ganhar o voto dos incautos. A autonomia dos Estados, modelo, por exemplo dos norte americanos, aqui foi por águas abaixo, os defensores do municipalismos desapareceram. Agora quem determina é apenas um ditador golpista colocado no poder para fazer maldades pelo grande capital internacional. Colocaram de volta à senzala os milhões de trabalhadores. Eles que sustentam as obras faraônicas, as mordomias do judiciário, do legislativo, do executivo. Lamentável sobretudo ver a imprensa brasileira atrelada a esses sanguinários elogiando-os a cada nova maldade anunciada. Retrato de um governo que não foi eleito pelo voto popular, mesmo que se saiba que votamos levados pela mídia que tem compromissos com o grande capital. Que até valores são dados pelos marqueteiros para os que querem ser de vereador de pequenas cidades até a presidência, mostrando que o voto “popular” é mera ilusão enganadora das massas que nada valem. Aqui no Ceará o governo pune quem é professor básico e estuda mestrado e doutorado, criando uma carreira onde se exige apenas a graduação, afinal é apenas, a educação, agora sem partido, ela sempre teve partido pelos empobrecidos. Desse modo o piso nacional luta de mais de 20 anos desceu pelo ralo, junto com o sangue dos professores. Os mestres do Estado receberam antes do congelamento, 5% apenas na regência de classe, com o encolhimento nos próximos vinte anos, estaremos ao final, quem sobreviver, recebendo o suficiente para comprar a cesta básica. Como haverá melhora na educação? Lógico que não, o objetivo da PEC 241 é uma barbárie sem tamanho. Enquanto isso bastaria cortar pela metade o número de parlamentares do congresso nacional, das assembleias estaduais e das câmaras municipais, com suas milhares de mordomias que sobraria dinheiro para liquidar a dívida interna, externa, e dar infraestrutura a esse miserável país. Afinal se eles não outro papel a não ser confirmar o que presidente determinar, para que assembleias estaduais e câmaras municipais????? Se o município pequeno ficará cada vez menor e os grandes encolherão? Se existe um Deus, que interfere na história como afirma o grande filósofo Hegel, Ele haverá de intervir imediatamente agora, sob pena de ver milhões e milhões de trabalhadores(a) morrerem não só de fome, mas também de humilhação, exploração física e mental e sobretudo morrerem se assistência médica, já que o SUS, que é mostrada a toda hora com milhares deitados nos solos dos hospitais morrendo sem atendimento, imaginem agora, que não será mais para todos e não terá recursos???? Chegamos afinal ao fundo do poço. O culpado não é o PT, pelo contrário, nos acostumamos pensarmos que éramos gente com as administrações do PT. Todos elogiam JK, 50 anos em 5, construção de uma capital mais moderna do mundo no meio do deserto? onde não havia nenhuma necessidade disso. Quem irá pagar as contas? Os trabalhadores. A previdência foi reconhecida como altamente lucrativa por uma grande estudiosa do assunto, o problema é que o trem da alegria dos anos dourados dava salários enormes a qualquer concurso a nível primário, os militares tinham e tem salários altos, me refira as forças armadas e vitalícios, de pai para filhos e filhas. Quem irá pagar esse rombo da previdência? Os infelizes que ainda não morreram os pobres que estão a nascer.
    Q

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *