Pesquisa da ONU revela que o brasileiro tem a menor média de anos de estudos da América do Sul

Os governos estaduais e municipais têm até 2016 para garantir vagas para crianças a partir dos quatro anos. A lei implica reorganização da carga horária de 800 horas, distribuídas em 200 dias letivos. Por que é importante crianças nessa idade na escola? Infelizmente, a maioria das crianças brasileiras menores de 6 anos estão desprotegidas, com pouco acesso a creches, ficando sujeitas a cuidadores e parentes sem treinamento.

Creche_Escola

A cada oito minutos uma criança é abusada sexualmente no Brasil, e a cada 10 horas uma criança é assassinada, segundo a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. A mudança preenche também uma grave lacuna: pesquisa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) – 2013 constatou que o Brasil tem a menor média de anos de estudos da América do Sul – 7,2 anos apenas.

Dados da Unesco colocam o Brasil em 88º lugar no ranking mundial da educação. A gestão ineficiente, o desprestígio do magistério e a má-formação dos professores são alguns dos empecilhos ao salto educacional brasileiro.

Fonte: Estado de Minas

Valeska Andrade

Sobre Valeska Andrade

Formada em História pela Universidade Federal do Ceará e em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará. Especialista em Cultura Brasileira e Arte Educação. Coordenou o Programa O POVO na Educação até agosto de 2010. Pesquisadora e orientadora do POVO na Educação de 2003 a 2010, desenvolveu, entre outras atividades, a leitura crítica e a educomunicação nas salas de aula, utilizando o jornal como principal ferramenta pedagógica. Atualmente, é professora de história da rede estadual de ensino. Pesquisadora do Maracatu Cearense e das práticas educacionais inovadoras. Sempre curiosa!!!

One thought on “Pesquisa da ONU revela que o brasileiro tem a menor média de anos de estudos da América do Sul

  1. Infelizmente o nosso país está mais preocupado com quantidade de deputados e vereadores, do que com creches e educação com qualidade. Enquanto a nossa política for imediatista e assistencialista, o quador de pseudos analfabetos e crianças violentadas não mudará. É preciso ter coragem, aplicar responsavelmente o dinheiro público e caráter, com base nesses princípios o quadro será outro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *