Vanguart abre primeira noite do Ponto.CE

Foto: Felipe Ludovice

A história começa no quarto do jovem Hélio Flanders, em Cuiabá. Era lá que ele compunha suas canções acompanhado de violão, teclados e um computador. Aqueles registros solitários se transformaram no embrião do que viria a ser o Vanguart, banda que estreou em disco em 2007. De lá pra cá, já vieram outros três discos de estúdio, dois DVDs ao vivo (um deles lançado pelo Multishow) e um hit nacional impulsionado na trilha de uma novela (Meu Sol).

Os anos de estrada e a aproximação com a grande mídia, por outro lado, não fizeram do Vanguart um sucesso popular como, por exemplo, as bandas de rock dos anos 1980. Para eles, permanece o desafio diário de conquistar novos ouvintes. “Todo dia a gente recebe mensagem de gente dizendo que conheceu a banda. Isso só dá mais vontade de continuar. Me lembra de meus primeiros contatos com o público. Pra mim, como letrista, ainda faz muito sentido dizer coisas. É como se tivesse dizendo pela primeira vez”, avalia Hélio, por telefone.

O Vanguart é uma das bandas escaladas para a primeira noite do XI Ponto.CE. O festival começa hoje no Dragão do Mar, numa noite que tem ainda Mafalda Morfina (CE), Vivendo do Ócio (BA) e outros. Neste fim de semana, a programação vai até domingo e se divide entres os palcos do Anfiteatro e do Let’s Go Bar. A programação segue para a barraca Biruta, na sexta-feira, 10, com uma noite dedicada ao metal pesado que inclui os alemães do Accept, os paulistanos do Korzus e os cearenses do In No Sense. No sábado, 18, ainda na Biruta, o destaque é o Planet Hemp, numa noite que tem ainda Supercombo (ES) e Rocca Vegas (CE).

Para Flanders, encontrar pessoas e bandas diferentes é um dos pontos altos de participar de um festival. “Tem o intercâmbio, o clima de festival. Um sentimento de coletividade”, diz o músico, que apresenta por aqui o show Beijo Estranho, baseado no último disco da banda, lançado em maio deste ano. Produzido por Rafael Ramos, o quarto trabalho do sexteto cuiabano segue o caminho do folk rock com acenos para o pop e baladas radiofônicas (E o meu peito mais aberto que o mar da Bahia é o destaque). Mantendo a linha das interpretações emocionadas, há também espaço para viagens mais filosóficas, como Homem-Deus e Pancada Dura. “Acho muito simples dizer que Deus existe. Deus se manifesta na vida de cada um de maneira única. A força do ser humano é apropria personificação de Deus. O verdadeiro milagre é o corpo. É como eu me sinto”, diz, num esforço para resumir as próprias ideias.

“Acho que é o disco que a gente mais gosta. É o primeiro que a gente fez com calma”, explica o vocalista, contando que os dois primeiros discos da banda foram gravados em três dias e o terceiro em uma semana. “Esse levou mais de 30 dias”, lembra, acrescentando que esse tempo garantiu experiências de alguns arranjos próprios e a participação de Wagner Tiso nos arranjos de cordas. Para Hélio, Beijo Estranho consegue equilibrar os extremos de positividade e negatividade percebidos nos primeiros discos. “Costumo chamar isso de amadurecimento tardio. Ao chegar aos 30 anos, tem o lado bom e o ruim de amadurecer. O lado bom é saber conviver com os demônios, e o ruim é saber que eles vão estar aí pra sempre”, avalia, citando Tom Waits: “se eu expulsar meus demônios, os anjos vão junto”.

Serviço:
XI Festival Ponto.CE
Quanto: R$ 60 (inteira), R$ 30 (meia), R$ 40 (inteira social, com 2kg de alimento não-perecível), R$ 70 (pacote para os três dias) – Preços referentes ao primeiro fim de semana. À venda nas lojas Pranchão, Kangaço e pelo site Ingressando.com.br
Telefone: 3063 6014

Programação completa:
Sexta-feira 3
Anfiteatro do Dragão Do Mar
19h30 – Lutherking
20h30 – Procurando Kalu
21h30 – Mafalda Morfina
22h30 – Vanguart

Lets Go Bar
00h15 – Gabrielle Gomes
01h15 – Vivendo Do Ócio
02h15 – Daniel Peixoto

Sábado 4
Anfiteatro do Dragão Do Mar
19h30 – Neto Inacio & A Alma Perdida
20h30 – Dot Legacy
21h30 – Trampa
22h30 – Devotos

Lets Go Bar
00h15 – Alf Sá
01h15 – Mad Monkees
02h15 – Kilotones

Domingo 5
Anfiteatro do Dragão Do Mar
18h30 – Projeto Rivera
19h30 – Medulla
20h30 – Nafandus
21h35 – Far From Alaska

Sexta-feira 10
19h – The Knickers
19h50 – Hostile Inc
21h – Accept
23h20 – Megahertz
00h – In No Sense
01h – Korzus

Sábado 18
19h – Guetto Roots
20h – Cid
20h30 – Carranca
21h – Felipe Bk
21h30 – Supercombo
22h30 – Drenna
23h – Rocca
23h30 – Giby The Comics
00h – Braza
01h30 – Planet Hemp

Marcos Sampaio

Sobre Marcos Sampaio

Jornalista formado pela Universidade de Fortaleza e observador curioso da produção musical brasileira. Colecionador de discos e biografias. Admirador das grandes vozes brasileiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *