Antônio Marcos ganha tributo indie

87466-amormaiorantoniomarcos

Está disponível para download gratuito o disco Amor maior, tributo ao cantor paulistano Antônio Marcos (1945 – 1992) que fez fama nas décadas de 1960 e 70 com um repertório passional. A homenagem reúne 17 nomes, em sua grande saídos da cena indie pop contemporânea. A maior parte é ainda desconhecida do grande público. Mas, entre eles, estão figuras de maior notabilidade como Cida Moreira, Filipe Catto e Zeca Baleiro. A iniciativa dessa turma de resgatar Antônio Marcos do completo esquecimento é mais do que louvável. Eclipsado pela figura gigantesca de Roberto Carlos, o compositor de Sonhos de um palhaço teve seu fim trágico, causado pelo alcoolismo. A marca desse problema já estava impressa também em boa parte do seu trabalho, cheio de tons pesados, fortes e tristes. Isso, no entanto, não tirava a beleza do seu cancioneiro, que, volta e meia, é lembrado por novos intérpretes. O próprio Roberto foi um dos seus mais brilhantes intérpretes. Disponibilizado gratuitamente, Amor maior pode ser baixado no site A Musicoteca.

Veja o set list de Amor Maior:

1. Como vai você (Mário Marcos/ Antônio Marcos) – Maior sucesso de Antônio Marcos, e já teve regravações famosas de Roberto Carlos e Daniela Mercury. Renato Godá aposta no clima churrascaria e aborda a balada sem medo de ser kitsch.
2. Menina de trança (Antônio Marcos) – Cida Moreira, soberba, leva o triste fim de um amor acabado para um campo mais melancólico. Só piano e uma das melhores vozes brasileiras. Trágico o suficiente.
3. Sonhos de um palhaço (Sergio Sá/ Antônio Marcos) – A versão original desta canção abusa dos excessos e hoje soa, ainda que bela, datada. Zeca Baleiro tenta economizar na interpretação, mas tropeça nos graves. O acompanhamento, feito de piano e acordeom, é bonito.
4. You never die (Mário Marcos/ Antônio Marcos/ Luiz Vagner) – Emulando um Arnaldo Baptista pós-Mutantes, Phillip Long interpreta com urgência a letra bilíngue. É muita infelicidade pra uma pessoa só.
5. Ela (Mário Marcos/ Antônio Marcos) – Filipe Catto confirma seu posto como um dos melhores intérpretes da sua geração. A canção casa perfeitamente na voz deste intérprete que sabe tratar bem os tons passionais.
6. E nunca mais eu vou deixar você tão só (Antônio Marcos) – Outros dos grandes sucessos de Antônio Marcos, presente em 10 entre 10 coletâneas. Diogo Poças dá uma cor indie brega que tem sua elegância. Parece mais uma brincadeira, é verdade.
7. Coração americano (Antônio Marcos/ Fagner) – Vanusa foi casada com o o homenageado e com ele teve Aretha, curadora deste tributo. Se sua imagem ficou negativamente marcada nas novas gerações por conta de um vídeo infeliz, aqui ela lembra a boa intérprete que marcou décadas passadas.
8. Encontro (Mário Marcos/ Antônio Marcos) – Serena Assumpção faz uma das melhores versões, sem perder de vista o DNA do pai Itamar. A voz sussurrada e a guitarra econômica garantem o charme.
9. Com carinho e saudade (Sergio Sá/ Antônio Marcos) – Membro da trupe O Teatro Mágico, o multi-instrumentista Galldino transforma um rock jovem guarda numa balada (muito) açucarada. O original tem mais personalidade.
10. Só você pode chorar por mim (Sergio Sá/ Antônio Marcos) – O original é uma balada rock, hoje tida como cafona. Cercada de violão, flautas e cello, Babi Mendes dá um banho de loja na canção, sem deixar que a tristeza da letra vá embora.
11. Nosso olhar não envelhece (Mário Marcos/ Antônio Marcos ) – Cantora e atriz, que tem no currículo o espetáculo Cazas de Cazuza, Danielle Cavallon soa como muitas outras intérpretes nessa balada apaixonada. A intenção é boa, mas a execução é sem graça.
12. Tudo que você me fez (Mário Marcos/ Antônio Marcos) – O original é um funk turbinado, no melhor estilo Tim Maia ou Gerson King Combo. Rodrigo Del Arc leva a canção para o universo do Lenine, e soa como uma cópia do pernambucano.
13. Dizem que sou louco (Mário Marcos, Antônio Marcos) – A faixa foi pescada da trilha da novela Cara a Cara, sucesso da Bandeirantes em 1979, que contou com o próprio Antônio Marcos no elenco. Daniel Mã, sem medo de errar, leva a canção para o circo e a tranforma num fox’n’roll engraçado.
14. Gaivotas (Mário Campanha/ Antônio Marcos) – A canção tem como sub-título “para Roberto carlos”, apesar de não ter sido gravada pelo homenageado. No máximo, o Rei convidou Antônio Marcos para seu programa de fim de ano. Daniel Conti limpa qualquer excesso deixando somente voz e violão emoldurando a letra.
15. Meu amigo, meu poeta, meu cantor – Perdão, mas não localizei o compositor desta faixa? Seria de Mário Marcos, irmão do Antônio Marcos, que, aqui, interpreta a faixa ao lado de Kabelo? É provável. A voz rasgada e emocionada deixa tudo incomum e bonito.
16. Você pediu e eu já vou daqui (Zairo Marinozo/ Antônio Marcos) – Aretha Marcos merece seu espaço nesta homenagem por ser filha de Antônio Marcos. No entanto, sua interpretação é protocolar. Há uma tentativa de soar original, mas morre na praia.
17. Marcas no caminho (Mário Marcos/ Antônio Marcos) – Gisele De Santi é afinada e escolheu um molho pop radiofônico na hora de recriar esta canção de 1970. Poderia entrar para a trilha da novela das 18h, sem dificuldade. O resultado é bonito, apesar de sem novidades.

Marcos Sampaio

Sobre Marcos Sampaio

Jornalista formado pela Universidade de Fortaleza e observador curioso da produção musical brasileira. Colecionador de discos e biografias. Admirador das grandes vozes brasileiras.

One thought on “Antônio Marcos ganha tributo indie

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *