Teatro RioMar recebe musical em homenagem a Michael Jackson

WhosBad-0220b_Final1Durante mais de 40 anos, os fãs de Michael Jackson se acostumaram a levar sustos. Foi assim quando o cantor de Gary, cidade norte-americana do estado de Indiana, estreou ao lado dos irmãos no grupo Jackson 5 e emplacou hits como I’ll be there e I want you back. Novos sustos vieram quando o autointitulado “Rei do Pop” se lançou numa vitoriosa carreira solo que o deixaria no topo do show business durante muitos anos. Claro que nenhum susto foi maior do que ver o astro se transformando em zumbi e dançando com outros mortos-vivos no inesquecível clip de Thriller. Continue lendo

Era uma vez o Roberto Carlos

roberto-carlos-ao-vivo2014 partiu deixando a imagem de um dos maiores ídolos brasileiros mais suja do que pau de galinheiro. Mesmo estando ainda no trono brilhante da música brasileira, Roberto Carlos hoje não é mais que uma lembrança pálida do artista de outrora. E olha que ele nem precisava daquele papelão envolvendo a cinebiografia de Tim Maia para ser alvo de tantas críticas, piadas e achincalhes. Para isso, bastava observar que já tem algum tempo que ele frequenta mais as editorias de fofoca do que as de crítica musical. Continue lendo

O essencial de Sá, Rodrix e Guarabyra

FOTO - 03Chegando este fim de semana para um show que promete fazer muito marmanjo chorar, a dupla Sá & Guarabyra vai repassar sua história na turnê acústica Rock Rural – 40 anos de estrada. Nesse percurso, eles matam a saudade do amigo Zé Rodrix, que, lá no início dos 70, formou com eles um trio no estilo Crosby, Stills & Nash. E o clima é esse mesmo, muito folk, baladas estradeiras e alguns sucessos que fizeram fama nas rádios e novelas. Para quem não lembra, segue aí uma seleção particular de 10 canções fundamentais de Sá, Rodrix & Guarabyra. E, pra quem não leu o post anterior (com direito a entrevista com Luis Carlos Sá, o Sá), o show acontece na Caixa Cultural de hoje até domingo. Continue lendo

Muitos rocks rurais na Caixa Cultural

FOTO - 01Em 1972, uma Elis Regina tranquila, sentada numa cadeira de balanço, anunciou que queria tempos mais plenos, felizes e esperançosos. “Eu quero uma casa no campo onde eu possa compor muitos rocks rurais”, pedia a cantora, dando a senha para um novo momento da música brasileira. Era o grande momento rock rural, gênero que unia as melodias intimistas do sertanejo brasileiro com o peso do rock urbano, que, na época, ainda ecoava o espírito livre do Festival de Woodstock. Continue lendo

Fortaleza recebe II Festival Internacional de Violoncelos em Folia

Violoncelos em Folia - edição 2014 (3)Nem só de samba, frevo e axé é feito o Carnaval da Praia de Iracema. Começando amanhã (14) e seguindo até a quarta-feira de cinzas (18), Fortaleza se prepara para receber a segunda edição do Festival Internacional Violoncelos em Folia, com apresentações musicais e masterclasses. A programação é dividida entre o Centro Dragão do Mar e o Estoril.

Continue lendo

Discobertas relança produção oitentista de Jorge Mautner

lp-jorge-mautner-bomba-de-estrelas-14414-MLB4541416360_062013-F Continue lendo

Tem André Abujamra na Caixa Cultural

_abu2010-3653Quem conhece André Abujamra por disco ou filmes, acredita que ele não se leva muito a sério e brinca com tudo. Pois é exatamente assim que ele é. E a dose de brincadeiras aumenta ainda mais quando o ator e músico paulistano fala sobre seus muitos trabalhos. “Com arte, eu gosto de tudo. É um tesão semissexual. Quando estou trabalhando, me sinto um moleque todo sujo de barro jogando bola no campinho”, define o artista que está a caminho de Fortaleza para apresentar o espetáculo Mafaro, na Caixa Cultural.

Continue lendo

Luiz Caldas conversa sobre os 30 anos do Axé

 

DSC_0200DISCOGRAFIA – O que representa para você esses 30 anos de axé music?
Luiz Caldas –
Representa a continuidade de uma carreira dedicada à música, pois a música é a minha existência.

DISCOGRAFIA – Qual é sua opinião sobre o termo axé-music?
Luiz Caldas – Não fico preocupado com rotulações ou nomes de batismo. Tudo no mundo tem um nome. Quem está lendo essa entrevista tem um nome. Para o bem ou para o mal, o nome está na vida humana. Entendo que, por levar a força sagrada dos orixás, por conta do significado da palavra axé, esse tipo de música iniciada por mim a partir do disco Magia, de 1985, ficou mais forte e deu no que deu e já são 30 anos de muita história.   

Continue lendo