Tirando a máscara. Muito prazer!

Houve um momento da minha vida em que fiz teatro amador. Foi muito bom, um tempo mágico. Pude aprender algumas técnicas de interpretação, decorar textos,
etc. Foram peças bem simples, apresentadas em alguns bairros e cidades do estado
de Pernambuco onde morava. Lembro-me da adrenalina na preparação dos
personagens nos camarins (na verdade, uns cantinhos improvisados) e de olhar no
buraco da cortina,vendo se já havia chegado alguém para assistir ao “espetáculo”.
Isso já faz muito tempo, foi mais ou menos 17 anos atrás. Que sensação boa! Deixou
saudades! Bom mesmo seria se esse tipo de interpretação só fosse ali, no ensaio, no
palco, feito por amadores ou profissionais na arte da interpretação. Mas não é assim.
Como disse Oscar Wild, “A vida imita a arte muito mais do que a arte imita a
vida.” A arte imitada pela vida é a de criar personagens mascarados como
antigamente, personagens fantasiados que, de tanto assistirmos, só nos lembramos
deles caracterizados e não da fisionomia do ator. Posso citar como exemplo os
fantásticos amigos de Dorothy no mundo de Oz, o Leão, o Espantalho e o Homem
de Lata no famoso O Mágico de OZ. Você lembra do rosto dos atores?

As máscaras da vida nos acompanham. Desde pequenos, somos incentivados,
para não dizer forçados, a ser quem não somos de verdade. Sempre bonzinhos,
sempre felizes, sempre bem: o orgulho dos pais, o amigo querido, o crente infalível,
etc, etc, etc. A pergunta feita todo dia, Bom dia, tudo bem?, e a resposta Bom dia, tudo
bem’ deixa bem clara a situação. Vamos ser honestos: o dia nem sempre inicia bem
e o TUDO, como diz um amigo meu, é muita coisa. O pior é que, por tanto vivermos
na fantasia da vida, a realidade deixa de ser real. Muitas vezes, nem com Deus
falamos mais sobre quem realmente somos,porque, às vezes, acreditamos que até a
Ele já enganamos. Leia com bastante atenção o que escreveu Simon Tugwell:

E assim, tal como escravos fujões, escapamos de nossa realidade ou
produzimos um falso ‘eu’ que seja admirado pela maioria, relativamente
atraente e feliz apenas na superfície. Escondemos  aquilo que sabemos ou
sentimos ser (que pressupomos ser inaceitável ou indigno de amor) atrás de
algum tipo de aparência que, esperamos, seja mais agradável. Escondemo-
nos atrás de semblantes bonitos só para agradar os outros. Com o tempo,
podemos até esquecer o que estamos escondendo e passar a acreditar que
temos, de fato, a mesma aparência das máscaras que usamos.

Temos que aprender a sair da negação e parar de dizer que não temos
problemas, que está ‘tudo bem’. É preciso assumir nossa realidade; rasgar o peito e
dizer ‘É isso que eu sou’. Depois, clamar por misericórdia, amor e restauração da
parte de Deus e dos homens, pois somos cristãos e nosso exemplo maior veio ao
mundo pelos perdidos. Mas alguns podem perguntar: Como pode alguém ser
assim?Como pode um crente ser assim?Será que não se converteu?

Por favor, leia abaixo o testemunho desse  homem:

… Sei que todos os mandamentos de Deus são espirituais, mas eu não sou.
Essa não é também a sua experiência? Sim. Estou cheio de mim mesmo –
afinal, passei longo tempo na prisão do pecado. O que não entendo ao meu
respeito é que decido uma coisa e faço outra, sendo levado a fazer o que
absolutamente desprezo. Então, se não consigo decidir o que é melhor para
mim mesmo e fazê-lo, é obvio que o mandamento de Deus é necessário.
     Entretanto, preciso de algo mais! Pois, se conheço a lei e mesmo assim não
posso guardá-la e se o pecado dentro de mim insiste em sabotar minhas
melhores intenções, obviamente preciso de ajuda! Entendo que não posso
cumpri-la. Posso desejar, mas não posso fazer. Descido fazer o bem, mas de
fato não faço. Decido não fazer o mal, mas acabo fazendo, de um modo ou de
outro. Minhas decisões não resultam em ações. Algo está muito errado no
meu interior e sempre tira o melhor de mim.
     Isso acontece tanto que já é previsível. No momento em que decido fazer o
bem, o pecado está lá para me derrubar. É a pura verdade que eu me alegro
nos mandamentos de Deus, mas é óbvio que nem tudo em mim é festa. Partes
de mim se rebelam em segredo, e, quando menos espero, elas assumem o
controle.
     Já tentei de tudo, mas nada resolve. Já não aguento mais. “Não há ninguém
que possa me ajudar?” – não é essa a verdadeira pergunta?
A resposta, graças a Deus, é que Jesus Cristo pode e me ajuda. Ele agiu para
concertar as coisas nesta vida de contradições com a qual quero servir a Deus
de todo coração e mente, mas sou puxado pela influência do pecado, e acabo
fazendo algo que não desejo.*

Descobriu quem ele é? Vou te contar: o apóstolo Paulo, Saulo de Tarso ou
São Paulo, como queira. Mas a sua definição preferida sobre si mesmo é ‘o maior
dos pecadores’. Será que um dos maiores expoentes da história cristã, chamado por Cristo
para sofrer em seu nome pregando o Evangelho e responsável por grande parte do
Novo Testamento não era gente? Não era crente? Era sim. E, além de crente, muito
“macho”, pois tem que ser muito “macho” para reconhecer e assumir suas falhas e
incapacidades para o mundo inteiro ainda hoje comentar e aprender sobre elas.
Qual a solução dada por ele?

Com a chegada de Jesus, o Messias, o dilema fatal foi resolvido. Os que estão
em Cristo não precisam mais viver numa nuvem escura e depressiva. Um
novo poder está atuando. O espírito da vida em Cristo, como um vento forte,
limpou totalmente o ar, libertando vocês de uma tirania brutal nas mãos do
pecado e da morte. Deus acertou em cheio quando enviou seu filho… *

Jesus é a solução! Sua Igreja (eu e você), seu braço e voz no mundo, precisa
ser, estar preparada, confessar, acolher e ajudar os outros, encorajando-os a viver uma vida honesta, já que, além de espirituais, como mostrou nosso amigo acima, também somos carnais. Força meu brother, força minha amiga… estamos no mesmo barco.

Que caiam as máscaras! Que se aposentem os atores da vida real!
Prazer em conhecê-lo!

* Rm 7:14-25, 8:1-3ª. Bíblia: A Mensagem, uma paráfrase, de Eugene
Peterson.

Lucas Ferreira

Sobre Lucas Ferreira

Marido de Roberta, pai do Davizinho e do Pedrinho. Amigo e servo de Jesus sendo formado por Ele através da vida e para a Vida. Profissional de TI e atualmente empresário. Servindo apaixonadamente na amada IBC.
Como definição faço das palavras do Apóstolo Paulo as minhas: “Mas de nada faço questão, nem tenho minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da Graça de Deus.” Atos 20:24

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *