Relacione-se onde você estiver

Por Jones Brandão

Jesus não morreu pelas coisas que fazemos na Igreja, mas pelas pessoas. Jesus não nos chamou a fazer coisas na Igreja, mas a ser Igreja. Jesus prometeu que edificaria a Sua Igreja (Mt 16:18) e não o seu ministério e obras ministeriais. Precisamos ter isso em mente quando sonhamos com um ministério relevante.

Um ministério relevante não se faz apenas com boas estratégias e nem tão pouco apenas para as multidões. Um ministério relevante se faz com pessoas e a partir de dois ou três reunidos no nome de Jesus (Mt 18:20).

Em Joel 2:28,29 a promessa de uma revolução se resume a pessoas cheias do Espírito. Uma revolução daqueles que um dia seriam cheios do Espírito. Crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos… Todos teriam o privilégio de serem usados por Deus para manifestarem o seu poder. Onde e como essa manifestação seria evidente? Pela presença nas programações (cultos, escola bíblica, reuniões, acampamentos, treinamentos…)? Existe um forte risco de que todas as nossas atividades na Igreja torne as pessoas dependentes de programações e não de Deus. Focadas em fazer e não em ser. Temos muitas Martas e poucas Marias. Conseqüência: não temos tempo para relacionamentos.

Esse sistema “cultocêntrico” (tudo só acontece no culto) treina (discipula) as pessoas a seguir Cristo através de eventos e atividades eclesiásticas. O cristianismo vivido no atacado (grande grupo) é menos trabalhoso que o vivido no varejo (pequeno grupo). Reconheço a relevância da coexistência dos dois. Sou fã do complemento que um causa no outro, mas alguns acham mais simples e satisfatório apenas o atacado, eu digo que pensar assim é simplório. Simples, é dedicar menos esforço em fazer Igreja (programações) e mais tempo em ser Igreja (pequeno grupo). E ser Igreja é viver relacionamentos. É fazer menos para as pessoas e fazer mais com as pessoas.

Existe uma música do Filipe Flakes (recomendo ouvir esse cara: filipeflakes.com) que diz: “talvez se saíssemos da inércia, caminhando para a atividade…”. Penso que precisamos sair da inércia de oferecer muitas coisas para a atividade de nos oferecer, como somos, para as pessoas. Jesus disse: “Eu sou o caminho a verdade e a vida” (João 14:6). A verdade é uma pessoa. E como pessoa deseja se relacionar. A verdade não é uma lei, escrita e estática. A verdade é uma pessoa e cabe a nós, Igreja, apresentarmos essa Verdade através de relacionamentos. Pois somente assim a essência desta Verdade será compreendida e aceita.

Jesus também disse: “se vocês amarem-se uns aos outros, saberão que são meus discípulos.” (João 13:35). Percebeu isso? Vão nos reconhecer como discípulos se nos verem imitando o Mestre.

Igreja é uma grande rede de relacionamentos. Deixe a diferença de lado, olhe para o que nos une (a Causa) e para quem nos faz um (Jesus). Não se distraia com as diferenças ou imperfeições. “Os opostos se distraem, os dispostos se atraem.” Teatro Mágico.

Relacione-se sempre!

Relacione-se onde você estiver!

(*)Jones Brandão é servo em tempo integral na Igreja Batista Central há 11 anos.

2 thoughts on “Relacione-se onde você estiver

  1. Próximo passo para uma prática mais parecida com a de Jesus: parar de considerar. que “pequeno grupo” é algo que só tem validade se promovido e mediado pela instituição Igreja com todas as suas necessidades de manutenção patrimonial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *