O ministério dos esportes adverte: ser cristão faz bem ao nosso futebol

Por Euriano Sales *

Luís Fabiano e Kaká

Há uma expressão que diz: “religão, futebol e política não se discute”. Mas quando junta tudo isso numa panela só, o que acontece?

Hoje em dia o futebol se tornou mais política do que prazer, vale mais o dinheiro que se ganha nos clubes, do que a honra de vestir a camisa de sua seleção. A religião também vem ganhando destaque nesse cenário, tanto que a Fifa proibiu qualquer tipo de comemoração que exalte religião A ou B. Mas se fizermos um comparativo entre o futebol religioso x futebol político, todos os técnicos do mundo iriam querer um time de cristãos, menos o Vanderley Luxemburbo, mas ai é outra história.

O time do grêmio (RS) tem como técnico Silas, vice-presidente da associação dos Atletas de Cristo. Neste ano, Silas conquistou com muito mérito o campeonato gaúcho. O time do Ceará, que subiu de divisão ano passado e vem se destacando esse ano no Brasileirão da série A, possui mais de 50% do seu elenco convertido. O time do Fortaleza, que disputou a primeira divisão do Brasileirão em 2005 e 2006, também possuía muitos evangélicos.

Não estou dizendo que Deus irá ajudar atleta A ou B por ser cristão, mas times assim ganham destaque pelo compromisso do grupo. São jogadores que não encaram baladas, não bebem, não fumam, procuram ser exemplos para os outros e consequentemente estão melhores preparados.

O craque da seleção brasileira de Futsal, Falcão, declarou que desde sua conversão se tornou um atleta melhor, primeiro pelo fato de deixar as noitadas, e segundo por se tornar mais pacificador dentro da quadras, agredindo menos, reclamando menos e, consequentemente, levando menos cartões amarelos ou vermelhos.

A nossa seleção que disputa a copa do mundo na África pode não ser a seleção dos sonhos, mas uma coisa é certa, é bem mais focada no objetivo do que a seleção de 2006. Kaká, Luis Fabiano, Elano, Felipe Melo, Daniel Alves, Kleberson, Lúcio, Luizão, Jorginho (atual presidente dos Atletas de Cristo) entre vários outros fazem parte desse time de cristãos.

Atritos irão acontecer (como já houve no jogo passado), mas a essência do cristianismo está lá, de serem agentes tranformadores desse mundo, serem exemplos e pacificadores.

Ah, não preciso nem falar do futebol político né? O nosso algoz, França, já falou por sí só.

* Euriano Sales é publicitário, cordelista e membro da Igreja Batista Central de Fortaleza

One thought on “O ministério dos esportes adverte: ser cristão faz bem ao nosso futebol

  1. Valeu, Euriano !
    Seu artigo, foi uma aula de cultura pra mim.
    Vamos orar por estes atletas filhos de Deus, para serem cada dia melhores, principalmente no tstemunho cristão.
    No amor de Jesus Cristo.
    Dasdôres

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *