Morrer para viver! (Por Filipe Ramalho)

Outro dia ouvi uma música do “O Teatro Mágico” chamada “O Mérito e o Monstro”, e em determinado trecho dizia:

“Pra dilatarmos a alma
Temos que nos desfazer.
Pra nos tornarmos imortais
A gente tem que aprender a morrer.”

Olhei para o céu e sorri. Me alegro cada vez que vejo a Glória de Deus e a voz Dele manifesta nos lugares que nunca imaginaria ver. Durante muito tempo da minha vida tive uma certa dificuldade em entender a lógica do Reino: diminuir para crescer; perder para ganhar; morrer para viver…

Aprender que tenho sucesso quando estou em último lugar; que quando estou em uma posição desprivilegiada, é aí que privilegiado serei. O mais incrível e intrigante é que essa lógica não se limita à forma de agir, mas ao conceito, à essência. Essência de me colocar no lugar do outro. De me entregar por meu próximo e serví-lo, para então, simplesmente fazê-lo feliz. Vivemos em um mundo tão entregue ao culto a si mesmo e ao individualismo, que servir soa como fracasso. O Teatro Mágico conseguiu compilar em uma estrofe, duas coisas acerca do Reino que são simplesmente maravilhosas:

A primeira é que precisamos nos desfazer para dilatarmos. Nos quebrar para crescermos. Como Jesus mesmo disse: “Quem achar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.” (Mt 10:39)

A segunda é que precisamos morrer espiritualmente para encontrarmos vida, e em abundância. Precisamos nos negar todo dia, para então entendermos nossa real vida. De onde somos, por que viemos e por que cá estamos. Entendendo isso, logo poderemos chegar a uma conclusão: somos eternos!

Então, que diminuamos para Jesus crescer em nós. Que Jesus cresça em nós, até que sufoque quem desejamos ser e só sobreviva quem Jesus quer que sejamos. Que morramos para que a vida de Cristo seja a nossa e para que a nossa Eternidade se perpetue.

por Filipe Ramalho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *