Isto é amor, amor ao Extremo.

“Ninguém tira [a minha vida] de mim,” Jesus disse, “eu espontaneamente a dou” (João 10:18).

Seria tolo pensar que Jesus foi assassinado, ou pego de surpresa por seus malfeitores.

É tolice pensar que o carrasco estava em vantagem, sobre o Cristo moribundo e dilacerado.

Loucamente agimos se pensarmos assim.

Ele se deu, espontaneamente, livremente e amorosamente, uma entrega apaixonada, que supre a exigência, que apazigua a ira, que nos abre o céu. Não por horas, ou por alguns minutos, mas por toda eternidade.

Que amor é este? Amor ao extremo, com toda certeza.

Um amor que move os céus, logo o que poderá nos separar de tal amor?  Tribulação violenta, Angústia, perseguição, fome, nudez, perigo ou alguma arma violenta.

O que nos separará deste amor? Será algum anjo caído ou hostes infernais? Alguma potestade, problemas diversos, morte? Claro que comprovadamente nada poderá mudar o amor de Deus por nós. Pois ele é o Supremo legislador do universo, que faz as exigências, mas que amorosamente supre cada uma delas em nosso lugar.

A justiça foi cumprida, e Deus foi satisfeito, pois Ele mesmo proveu o sacrifício que espontaneamente se deu. Isto é amor, amor ao Extremo.

Por: Daniel Cristiano Silva de Almeida

One thought on “Isto é amor, amor ao Extremo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *