Concorrência direta e indireta

Semana passada tirei uns dias pra viajar e caminhando pelo calçadão de flagra pequenaCopacabana me deparei com a cena ao lado. Como a foto não está das melhores, já vou explicando: são duas placas luminosas em cima de dois bares diferentes, mas os luminosos não são dos bares. Cada placa é de uma Igreja distinta que ficava no andar superior do prédio, enquanto os dois bares ficavam no térreo. Na mesma hora pensei: concorrência direta e indireta, não resisti e fiz o registro!

Nos conceitos de marketing, chamamos de concorrentes diretos aqueles que comercializam o mesmo produto/serviço para o mesmo mercado, por exemplo, duas agências de viagem diferentes. Já os concorrentes indiretos são aqueles que comercializam produtos/serviços diferentes, mas que de alguma forma se substituem, considerando a agência de viagem, sua concorrente indireta seria um companhia aérea, por exemplo.

Se analisarmos a essência do “negócio” de cada uma daquelas quatro “empresas”, os bares são concorrentes diretos entre si, bem como as igrejas. Entretanto os quatro são concorrentes indiretos pois “vendem/oferecem” a mesma coisa: alegria, felicidade! Ainda que através de meios diferentes, com “posicionamentos de Mercado” diferentes e, convenhamos, cobrando preços diferentes, o apelo é o mesmo. Talvez a “entrega” do “produto” até aconteça, mesmo que momentânea, mesmo que só uma sensação, mas acontece.

Aquelas duas Igrejas deviam estar cheias de gente, os bares em baixo estavam cheios de gente e as ruas laterais também, porém eram cheias de mendigos dormindo nas calçadas. Muitos! Não dava pra ficar indiferente! Aquilo ficou gravado na minha mente e eu resolvi compartilhar com vocês.

Quando sentei na frente do computador para fazer isso dei “play” numa lista de músicas que tenho no notebook chamada “Aquecem minha fé”. Essas canções não são atuais, lembram minha caminhada de alguns anos com Jesus e a maioria delas canta verdades bíblicas sobre a esperança da vinda de Cristo. Isso desce como um analgésico ao meu coração quando percebo que buscar soluções práticas, procurar ajudar o próximo e me mexer diante da injustiça social do nosso Brasil não é, em si, suficiente. A certeza da vinda de Cristo, do estabelecimento de um Novo Céu e uma Nova Terra não são promessas de prosperidade hoje, falta de problemas hoje e, consequentemente, felicidade momentânea. O que me dá força na caminhada é a certeza da felicidade eterna ao lado do meu Senhor. Esse foi o meu pedido em oração diante de uma cena como aquela que ficou marcada na minha mente pelo cheiro de desesperança sentido de formas distintas no mesmo quarteirão da noite carioca. Nos bares, nas Igrejas, nas ruas…

Mas o Rio de Janeiro continua lindo! Afinal foi desenhado pelo mesmo “Autor da minha fé.” Aliás, agora mesmo escuto essa música antiga do Grupo Logos que compõe minha playlist e me lembra da verdadeira esperança enquanto diz assim:

“Eis o consolo que envolve a minha vida,
O meu senhor Jesus
Que foi morto sim, naquela cruz,
Voltará, voltará enfim…
Por isso eu canto glória
Glória, glória, ao Autor da minha fé”

Autor da minha fé – Grupo Logos

Samira Santiago

Sobre Samira Santiago

Publicitária, pós-graduada em Marketing com atuação voltada para comunicação corporativa e endomarketing. Palestrante de cursos envolvendo temas sobre a relação criatividade/comunicação e Igreja para líderes de todo o país.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>