Mostra Retrospectiva 2016 / Expectativa 2017 vai até a próxima quarta-feira

A 3ª Mostra Retrospectiva 2016 / Expectativa 2017, no Cinema do Dragão – Fundação Joaquim Nabuco, vai até a próxima quarta-feira, 25. Até lá, serão exibidos filmes como Aquarius, Elle e Eu, Daniel Blake, que estrearam no ano passado. Dentre as novidades, estão A Cidade onde Envelheço, O Auge do Humano e Elon não Acredita […]

Continue lendo

“Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood”: uma dose fraca de nostalgia

Ícones das décadas de 1970 e 1980, os Trapalhões permanecem até hoje como representantes importantes do humor nacional. Com dezenas de filmes produzidos através dos anos, clássicos como “O Cinderelo Trapalhão”, “Os Trapalhões e o Mágico de Orós”, “A Filha dos Trapalhões”, além de diversos outros, povoaram as tardes de inúmeros brasileiros. Ao se tornarem uma verdadeira marca, com quadrinhos e derivados, o grupo formado por Renato Aragão, Dedé Santana, Zacarias e Mussum merece respeito pelo trabalho realizado em prol do cinema nacional. Continue lendo

“É Apenas o Fim do Mundo”: autoindulgência e tédio

dolan3

Vez por outra, seduzidos pela juventude do cineasta, críticos já jogam o nome do franco-canadense Xavier Dolan na lista de promessas. Aos 26, ele tem, de fato, um currículo invejável. Mas no seu sexto crédito como diretor, já houve tempo de separar joio e trigo. “É Apenas o Fim do Mundo” é mais uma mostra […]

Continue lendo

Fuga e encontro em “Docinho da América”

Com dreadlocks na cabeça, sem experiência alguma em atuação e com um grande espírito livre dentro de si, a estadunidense Sasha Lane arrebatou o Festival de Cannes de 2016. A performance da protagonista de “Docinho da América” (American Honey), que chegou recentemente à Netflix brasileira, conquistou crítica e público durante sua passagem por festivais de Cinema. Se qualificando como um road-movie, o filme se mostra como um expoente de peso do cinema independente do ano passado, ao abordar temas como liberdade e a falta de oportunidade de emprego para jovens. Continue lendo

“Desventuras em Série”: não desvie o olhar

O narrador-personagem Lemony Snicket (Patrick Warburton)

Em 2004, durante a onda de adaptações de séries de livros infanto-juvenis para o cinema após o sucesso de “Harry Potter”, uma das primeiras apostas apostas foi no sucesso da adaptação de “Desventuras em Série”, sequência de livros assinada por Lemony Snicket (Daniel Handler). Na época, 11 dos 13 romances haviam sido lançados com bom êxito […]

Continue lendo

“Sieranevada”: cotidiano, banal, hilário

Toda família devia ter uma vovó comunista

Sendo sincero, me sinto um velhinho votante no Oscar antes de assistir um filme que ultrapassa os 120 minutos. Quase todos os meus filmes favoritos têm mais de três horas de duração, mas ver aquele “180 minutos” me dá uma preguiça monstra. E esse é, sinceramente, meu sentimento inicial antes de assistir “Sieranevada”, incrível melodrama […]

Continue lendo

O assassino sem consistência de “Assassin’s Creed”

Elas acontecem todo ano e a célebre frase sempre se repete: “adaptações de videogames não dão bons filmes”. Por mais que haja esforço por parte dos estúdios para que ocorra uma mudança nesse cenário, as produções lançadas pouco conseguem fazer para quebrar o estigma. “Lara Croft”, “Prince of Persia”, “Doom”, “Alone in the Dark”, “Warcraft”. Todas franquias de sucesso (em parte) no mundo dos games, mas que não conseguiram o mesmo êxito na sétima arte. Para se juntar ao hall de filmes medíocres, “Assassin’s Creed” chega hoje aos cinemas brasileiros, apenas para se tornar mais um item nas listas de piores adaptações. Continue lendo

“Barry” antes de Barack

Barry e Charlotte (Anya Taylor-Joy)

É natural que ao fim do ciclo de oito anos de uma das figuras mais carismáticas da história política mundial, filmes resolvam desvendar alguns pontos nessa trajetória. Coincidência ou não, poucas semanas separam o lançamento no cinema de “Michelle e Obama”, de Richard Tanne, da chegada de “Barry”, de Vikram Ghandi, à Netflix. Além do […]

Continue lendo

O fôlego de “Sete Minutos Depois da Meia-Noite”

Conor e o gigante/árvore

Se eu pudesse só dizer uma coisa sobre “Sete Minutos Depois da Meia-Noite”, do espanhol J. A. Bayona, eu cumprimentaria a coragem da produção. Existe ali um purismo emocionante de alguém que, de fato, acreditava naquilo que foi filmado. Digo isso porque o filme remete diretamente ao meu questionável longa favorito, “Onde Vivem os Monstros”, […]

Continue lendo

Os melhores do ano, segundo a Associação Cearense de Críticos

"Estado Itinerante"

Nesta segunda-feira pela manhã, a Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine) divulgou sua lista de melhores do ano em cinco categorias. Com votos de 20 profissionais que atuam no Ceará, incluindo André Bloc, editor e crítico do blog Cinema às 8 e do jornal O POVO, a associação escolheu os melhores longas estrangeiro, nacional […]

Continue lendo