Esclarecimentos sobre “O que esperar do rock no Brasil e no Ceará?”

Rock Cordel 2016 será ainda mais forte que o do ano anterior ; Cartaz de divulgação
Rock Cordel 2016 será ainda mais forte que o do ano anterior / Cartaz de divulgação

Publiquei nesta quarta-feira, 13 de julho, um artigo de opinião intitulado “O que esperar do rock no Brasil e no Ceará?”. Um texto que expressa o pensamento deste que vos escreve, o repórter Ronnald Casemiro. Na publicação, algumas informações, ou falta delas, geraram críticas. Esclarecerei aqui algumas dessas informações e me desculparei por equívocos.

1. Listei alguns poucos nomes de bandas e artistas que considero ter perfil para ocupar espaços na grande mídia; bandas pop. Por isso, não citei bandas de certos estilos, como o metal, punk… Não falta capacidade a muitos grupos nesse gêneros. Aqui no Ceará, por exemplo, temos a Siege of Hate, In No Sense, Criokar, Nafandus, Facada, Obskure, Coldness

2. Falei sobre o fim de alguns festivais, como o Ceará Music, Rock Cordel e ForCaos. Sobre o Rock Cordel, falarei a seguir. Inicialmente, meu esclarecimento e, principalmente, meu pedido de desculpas vai ao ForCaos. O festival não só permanece vivo, como também ganhou ainda mais força, se comparado ao do ano passado, onde foi uma espécie de “puxadinho” do Rock Cordel.
A edição desse ano acontece nos dias 23, 24, 29 e 30 e contará com vários nomes importantes do rock cearense. (logo o blog trará mais detalhes)

3. O último ponto é o do Rock Cordel, que, sim, acabou. Acabou no formato que o fez popular. O evento que acontecia durante todo o ano, agora terá um novo nome, o Hoje é Dia de Rock, como já acontecera em 2016. (Abaixo, links sobre o evento). Do que sobrou dele, nasceu um novo evento, que, espero eu, possa ser tão importante pra nosso rock quanto o anterior.+ Precisamos falar sobre o fim do Rock Cordel
+ Nova iniciativa promete fomentar rock na periferia de Fortaleza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *