Basquete Cearense disputa o Basquete 3×3 – Desafio das Ligas

A primeira edição do torneio de clubes 3×3 terá a participação de 13 equipes do NBB, entre elas o Basquete Cearense. A competição acontecerá no Rio de Janeiro nos dias 23 e 24 de maio e também terá a participação de três equipes da Liga Ouro.

O armador Davi Rossetto, o ala Jimmy e os pivôs Sualisson e Rômulo são os atletas da equipe nordestina que entrarão em quadra no próximo fim de semana. Eles serão comandados por Espiga. “Viajamos sexta-feira pela manhã e acredito que temos tudo para fazer uma ótima apresentação neste torneio. É uma modalidade do basquete que tem crescido muito no mundo inteiro, e amplia as oportunidades para atletas, técnicos, enfim, todo mundo que é envolvido com o basquete”, acrescenta o treinador.

Espiga tem razão, de acordo com a FIBA (Federação Internacional de Basquete), o Brasil foi o país que mais realizou eventos de Basquete 3×3 em todo o planeta, no último ano, com um total de 46 competições contra 44 da Hungria e 33 da Polônia, segunda e terceira colocadas, respectivamente.

Além do Basquete Cearense, o NBB será representado pelas equipes Bauru, Brasília, Espírito Santo Basquetebol, Flamengo, Goiânia, Liga Sorocabana, Limeira, Macaé Basquete, Minas Tênis Clube, Mogi das Cruzes, Palmeiras e Unitri/Universo; enquanto a Liga Ouro terá Campo Mourão, Lins Basquete e Sport Recife. Já a Liga De Basquete Feminino terá os seguintes representantes: Americana, Brasília, Mangueira, Maranhão, Rio Claro, Santo André, São José e Sport Recife.

Sualisson foi campeão estadual com o Campinense no 3x3 em 2013. Foto: arquivo pessoal
Sualisson foi campeão estadual com o Campinense no 3×3 em 2013. Foto: arquivo pessoal

Esse tipo de torneio não é nenhuma novidade para o pivô de 2 metros do Basquete Cearense. Sualisson já participou do 3×3 em Campina Grande, sua cidade natal, no ano passado, e foi campeão pelo Campinense. “Acho que temos chance de chegar longe nesta competição. Fico feliz de poder participar de um evento que ajuda a divulgar o basquete no país e que acaba dando oportunidade para atletas mais novos poder mostra o potencial no esporte”, explica o jogador.

No último dia 5, o armador Davi foi convocado para a seleção brasileira 3×3. Motivo de inspiração para os jovens atletas companheiros de time. “O Davi é um grande exemplo pra nós, tanto no basquete 5×5 quanto no 3×3 e, sem dúvidas, isso é o ânimo a mais nos nossos treinamentos. Com força de vontade e de vitória, sei que vamos conseguir trazer o título para o Ceará”, afirma o pivô Sualisson.

Basquete 3×3 no Brasil

O conceito do Basquete 3×3 excede a quadra, mesclando o esporte à música e à dança, criando um ambiente de interação que envolve o público como parte integrante do espetáculo. O jogo é disputado em espaços indoor e outdoor, em meia quadra, com quatro jogadores, sendo três titulares e um reserva. Com as cestas valendo um ponto ou dois (nos arremessos da linha de 3 pontos do basquete tradicional), a partida acaba aos dez minutos ou quando o placar atingir 21 pontos. A modalidade praticada por 250 milhões de adeptos no mundo é atualmente uma das que mais cresce no Brasil.

No momento, o Brasil é terceiro colocado no Ranking da FIBA na categoria +18 masculino e está em quarto lugar no +18 feminino. No Sub-18 feminino e masculino, o país está entre os 12 melhores do mundo. Os brasileiros aparecem também em quarto lugar no número de atletas praticantes da nova modalidade da bola laranja com 2904 jogadores. Os Estados Unidos estão em primeiro com 4779, seguidos da Hungria (3796) e da Indonésia (3613), que sediou o último Campeonato Mundial Sub-18, em 2013.

Allana Alves

Sobre Allana Alves

Jornalista. Jogou basquete durante 11 anos e foi campeã cearense escolar, vice-campeã brasileira escolar e campeã cearense universitária. Atualmente, trabalha como Assessora de Comunicação, tem experiência como Relações Públicas e foi repórter e editora de esportes na TV O Povo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *