ENTREVISTA EXCLUSIVA COM JEAN BUENO, GERENTE DE PERFUMARIA DO BOTICÁRIO, DIRETO DA BAIHA

FOTO

Jean Bueno, gerente de Perfumaria do Boticário, que responde pelas linhas de fragrâncias mais vendidas do Brasil

Quando Jean Bueno fala, temos de parar e escutar com atenção.  O gerente de Perfumaria do Boticário responde pelo perfume mais vendido do Brasil, o Malbec, pela linha feminina mais comercializada em nosso País, a Floratta. Isso em um mercado em ebulição. Somos o segundo consumidor de perfume, do mundo, nos perfumamos de três a quatro vezes, ao dia. Uma delícia!!!

“A partir de 2021, o Brasil será o maior mercado mundial, em perfumaria. Todos já estão de olho em nós.”, diz ele, em entrevista, durante lançamento da nova fragrância da linha Floratta, o Floratta Flores Secretas, e dos novos frascos para toda a linha, em visita que fizemos, à fábrica do Boticário, no Município de Camaçari, na Bahia, a convite do marca. O Boticário conta com 4 mil pontos de venda espalhados pelo Brasil e pelo mundo.

 

ROBERTA FONTELLES PHILOMENO – Como nasce um perfume?

JEAN BUENO – Perfume é emoção, é sentir, a pessoa tem de se conectar com o cheiro. Então, nasce de uma ideia, durante uma viagem, uma conversa com um amigo. Brinco que criei o Malbec Play para meu filho, de 10 anos, mas, na verdade, foi da observação de ver os pais indo à loja do Boticário comprar Malbec, junto com os filhos. Então pensei, por que não criar um perfume para essas crianças? Deu certo!!!

Depois da ideia, desenvolvemos o conceito, passamos para um perfumista, que tem a sua disposição uma paleta de mais de três mil matérias-primas, vem o designer para a embalagem, toda a comunicação, a distribuição e disposição nas lojas, na venda direta, e por ai vai… É algo complexo.

RFP – O que tem de ter um perfume para você considerar que ele é bom? Está aprovado?

JB – Uma boa fragrância é a mistura de produtos naturais, e seus vários modos e técnicas de extração de óleos essenciais, e sintéticos, com desenvolvimento de moléculas de cheiro que não existem na natureza. E ainda tem de atingir três objetivos bem técnicos: se tem uma boa explosão (notas de saídas), se deixa rastro (notas de coração) e se vai durar na pele (notas de fundo). Daí, nascem perfumes únicos, como: o Malbec (que usa álcool vínico) e Lily Essence (com técnica enfleurage, de extração artesanal de óleos essenciais do lírio).

RFP – E o Floratta Flores Secretas?

JB – O Floratta Flores Secretas é um floral frutal que reflete a mulher independente, com autonomia, mas que também encontra espaço em sua agenda para o romantismo, não o idealizado, mas o romance que pode acontecer a qualquer momento e que precisa de espontaneidade para ser verdadeiro. A música “Love Is in the Air “, da campanha do perfume, traduz isso, o amor inesperadamente acontecendo no beijo de um casal apaixonado.

RFP – A mulher evoluiu muito e o Floratta, que compõe a linha de perfume feminino mais vendido do Brasil, acompanhou a evolução?

JB – A marca Floratta nasceu lá nos Anos 90, em 1995. Falávamos menos de empoderamento feminino. A mulher, de certa maneira, ainda esperava o príncipe encantado com quem iria casar e viver o “felizes para sempre”. Os filmes “Casamento com meu melhor amigo” e “Uma Linda Mulher”, com Julia Robert, são bons exemplos disso.

De lá para cá, já se passaram 30 anos e a consumidora mudou. Brincamos que a mulher quer tudo, assumir o controle de tudo: trabalho, quer ser uma boa mãe, uma boa esposa, ter um bom casamento ou não, tudo bem se o relacionamento não deu certo. Um empoderamento feminino controladíssimo e tenho certeza que, às vezes, a mulher se pergunta: como tenho tempo para fazer tudo isso?

RFP – Nossa, o cheirinho do perfume é uma delícia. Qual o segredo?

JB – Todo perfume tem um segredinho e o nosso é a flor de figo que é bem interessante. Na natureza, o normal é vir a flor e depois o fruto. Com o figo é o contrário. Você está vendo esses pontinhos brancos dentro do fruto? (Jean mostra para mim). Vão virar flor. A fruta e sua flor aparecem predominantes nas notas de saída e corpo, reforçadas pela presença de frutas vermelhas, com toques aveludados de âmbar e musk ao fundo. Brincamos na perfumaria que o Floratta Flores Secretas tem a frutalidade da flor e a floralidade do fruto.

 

RFP – A barreira entre o feminino e o masculino está cada vez menor na moda. Na perfumaria acontece a mesma coisa?

JB – O mundo está realmente mudando e perfumaria está indo para isso, saindo da definição masculino e feminino para uma evolução do que a pessoa gosta. Antigamente, mulher não usava fragrâncias amadeiradas e homem não chegava nem perto dos florais. Hoje, isso não existe mais. Os perfumes cítricos, fragrância bem compartilhada, estão em alta. É bem assim: eu estava numa loja de óculos, no México, com meu filho de 10 anos, e ele perguntou ao vendedor quais eram os óculos de homem, e o vendedor respondeu: “não têm óculos de homem, têm óculos que você gosta e depois a gente vê se ficam bom em você”. É isso.

 RFP – Então podemos dizer que a queda da barreira entre o que é feminino e masculino é uma macro tendência, no mundo?

JB – Total. Daqui a um tempo não vamos mais usar for min, nem for homem, nos frascos do Boticário. Para um jovem com menos de 20 anos de idade é um estereótipo o masculino e o feminino. Essa divisão fazia sentido há 10 ou 20 anos. Hoje não. A pessoa quer levar para casa um perfume que ela gosta e pronto. Tem homem que vai gostar da cor rosa e tem mulher que vai gostar da cor azul e tudo bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *