Descubra os alimentos essenciais para garantir uma boa imunidade na terceira idade

Ao consumir os nutrientes certos na rotina, você pode ganhar mais qualidade de vida e bem-estar, ficando longe de doenças crônicas, como asma, artrite e obesidade

Se você não quer dar chance para o cansaço, insônia e, posteriormente, doenças, nada melhor do que apostar em refeições bem equilibradas, apresentando todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Conforme Camilla Dantas, nutricionista (CRN 16271), os alimentos ricos em vitaminas e minerais atuam diretamente na modulação do sistema imune, garantindo vários processos e reações orgânicas. “O consumo de alimentos que podem influenciar na modulação do sistema imune contribuem para melhorar o controle de várias doenças inflamatórias, infecciosas (causadas por bactérias e vírus) e alergias alimentares”, explica.

Por isso, selecionamos alguns nutrientes, com seus respectivos alimentos, que não podem faltar no cardápio. Confira:

Vitamina D
Presente no leite, queijo, ovo e sardinha, a vitamina D regula a produção de um antibiótico endógeno que está associado ao aumento das defesas contra patógenos (microorganismos causadores de doenças). “Estudos sugerem que altos níveis de vitamina D ajudam a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças autoimunes”, revela Camilla Dantas.

 

Vitamina B6
Fundamental na formação de anticorpos no organismo, a vitamina B6 é encontrada
facilmente em cereais, fígado e leguminosas, como feijão, grão de bico e lentilha. De acordo com Camilla Dantas, a deficiência do nutriente pode acarretar baixa resposta imune contra doenças, apresentando redução significativa na produção de anticorpos.

Vitamina C
Dentre os benefícios à saúde, o agente antioxidante é um dos mais importantes presentes na vitamina C. “O consumo alto do nutriente está relacionado à prevenção de alguns tipos de infecções, principalmente respiratórias.” Goiaba, acerola, caju, laranja e brócolis são algumas das fontes alimentares do elemento.

Zinco
Disponível nas carnes, laticínios e cereais, o zinco está diretamente envolvido no bom funcionamento do sistema imune, pois as enzimas do sistema imunológico necessitam de zinco para funcionar. “A deficiência de zinco em idosos é uma das causas que contribui para imunidade baixa.” Segundo Camilla Dantas, o nutriente é cofator de várias enzimas nas respostas antioxidantes, sendo muito eficazes no tratamento do resfriado.

Selênio
Segundo a nutricionista, o selênio melhora a função imune e reduz a morbimortalidade
causadas por várias infecções no organismo. “A ingestão do nutriente possui papel fundamental para a proteção do DNA.” No cardápio, ele pode ser consumido por meio da castanha do caju, amêndoas e sementes de girassol.

Probiótico
No organismo, os probióticos propiciam o desenvolvimento e crescimento de bactérias boas, formando o “efeito barreira” das bactérias intestinais. Ou seja, eles criam um ambiente hostil para bactérias patogênicas, responsáveis por causar doenças e infecções, como intolerância a lactose, colite, diarreia e dermatites. “Eles são adicionados a alguns alimentos, como leites fermentados e iogurtes, mas também são encontrados comercializados isolados ou em associação com várias cepas (suplementação de probióticos).”

Prebiótico
Responsáveis por reduzir o nível de colesterol e triglicerídeos no corpo, bem como ajudar no tratamento de doenças inflamatórias intestinais, os prebióticos são fibras alimentares que não passam pelo processo de digestão, sendo fermentadas pelas bactérias intestinais benéficas. “Durante a fermentação das bactérias, existe a formação de ácidos graxos de cadeia curta como o butirato, promovendo efeitos benéficos sobre as células intestinais, reduzindo o efeito inflamatório.” O nutriente está disponível nas seguintes fontes alimentares: aveia, chia, linhaça, biomassa de banana verde e batata yacon.

Ômega 3
Com propriedades anti-inflamatórias, o ômega 3 auxilia no combate de doenças crônicas como asma, artrite, obesidade e câncer, além de melhorar a produção de hormônios no organismo. O nutriente pode ser encontrado no óleo de peixe marinho, como salmão, atum, sardinha e cavala.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *