Porta-Aviões São Paulo está de volta à ativa

O São Paulo, permite que os caças patrulhem áreas cada vez maiores, como uma base com aeroporto no meio do Atlântico. Tal patrulha tem o objetivo, não só de proteger o pais de ataques internacionais, mas também de coibir a pesca ilegal de navios estrangeiros; O São Paulo tambem é importante na proteção dos arquipélagos, Fernando de Noronha, São Pedro e São Paulo. E se necessário defender a Amazônia, posicionar de tal forma no mar, para defender nossa floresta. No mundo todo só existem nove paises que possuem navios Porta Aviões. A missão deles não é fazer a guerra, mas sim, manter a paz.
Nunca jogamos bombas em ninguém, só queremos que não cacem nossas baleias francas, que recuperamos da extinção, não queremos que façam sopas com as nossas tartarugas e não admitimos que levem plantas do nosso jardim gigante, chamado de Amazônia.
A união e harmonia entre as três forças são fundamentais; É dever também, dos administrdores do pais, garantir que as riquezas dos dois Brasis, azul e verde, como a exploração do petróleo do pré-sal e o potencial medicinal das plantas da Amazônia, sejam investidas, aqui, para diminuir a pobreza em um pais gigante e tão rico em reservas, chamado, Brasil com “S”.
Fonte: W1TV, 10 minutes.

Origem do nome

Este é o quinto navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome em homenagem ao Estado e a cidade de São Paulo. Também receberam este nome o Vapor de Transporte São Paulo (1865), o encouraçado E São Paulo (1906) que não foi concluído, o também encouraçado E São Paulo (1907) e o RbAM São Paulo rebocador que atuou na defesa do porto de Santos na Segunda Guerra Mundial.

O lema e o brasão, Non ducor, duco (não sou conduzido, conduzo), são os mesmos da cidade. Também foram usados pelo encouraçado E São Paulo (1907).

Construído na França entre 1957 e 1960, serviu à Marinha da França como porta-aviões da Classe Clemenceau sob o nome “FS Foch”, uma homenagem a Ferdinand Foch, comandante das tropas aliadas durante a Primeira Guerra Mundial.

Adquirido pelo equivalente a 12 milhões de dólares norte-americanos em setembro de 2000, foi recebido operacional pela Marinha do Brasil a 15 de Novembro desse mesmo ano, no porto de Brest, na França, quando teve passada a sua “Mostra de Armamento”.

Com 50% mais velocidade e podendo transportar o dobro de aeronaves que o antigo NAeL Minas Gerais (A-11), o NAe São Paulo (A-12) opera aviões de ataque AF-1 e helicópteros, sendo hoje a capitânia da Armada.

Fonte: Wikipedia

QUER UM AEROMODELO BOM E BARATO? MAXIMODELISMO (PRACIANO) 3294-6099 ou 8898-5340

3 comentários sobre “Porta-Aviões São Paulo está de volta à ativa

  1. É um navio de guerra relativamente funcional e moderno (mesmo para a idade dele). Reconhecido pela sua potência e velocidade de cruzeiro; necessita entretando de ser enriquecido ou suprido de MAIS e mais moderno armamento (caças).

  2. Retiico e corrijo. Não temos a intenção de jogar bombas, nem de agredir ninguém, como foi dito. Mas por outro lado precisamos estar preparados para fazer a guerra, quando, por exemplo, nossa soberania for invadida … Tem gente aí por fora de olho muito gordo no pré-sal… por exemplo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>