Se você anda com gambás, não consegue sentir o perfume das rosas

70213_papel-de-parede-gambas_1600x1200

Esses dias li algumas palavras do mestre Yogananda que me deixaram bastante reflexivo. Suas palavras vão bem ao encontro daquele conhecidíssimo ditado: “Diga-me com quem tu andas e te direi quem és”, ou mesmo outro ainda mais interessante que diz: “Nós somos a média das cinco pessoas que mais convivem com a gente…”.

Enfim! Farei uma breve reflexão sobre a importância de termos boas amizades na vida. Confira suas palavras!

****************

“As pessoas más não querem mudar; portanto, a melhor política é manter distância delas. Há mais bem do que mal no mundo, e mais pessoas boas do que más. Contudo, se você anda com gambás, não consegue sentir o perfume das rosas. Pode parecer que o mal é maior do que o bem, porque o primeiro é mais difícil de esquecer. Se alguém o machuca muito, você leva tempo para esquecer. Contudo, em vez de se concentrar nisso, recorde tudo o que sabe de bom sobre a pessoa que o machucou, e lembre tudo de bom que você tem na vida. Não guarde os insultos recebidos e nunca permita que nada o faça brigar, nem dê a outra pessoa a oportunidade de brigar com você. Se assim fizer, você se tornará parte do problema.”

Paramahansa Yogananda

**********************

Logo na primeira frase ele fala uma imensa verdade e que dediquei um texto inteiro só para falar sobre isso, texto esse no qual cito o meu herói favorito, o Chapolin Colorado! Se você ainda não leu, segue o link abaixo.

Os bons são maioria

Essa comparação que ele faz com os gambás é simplesmente genial, por vários motivos e vou falar apenas os que consegui captar, mas certamente ainda existem mais motivos.

1º) Eles são fedorentos, mas nem fazem ideia disso

Os gambás secretam um líquido mal cheiroso através de uma glândula localizada no ânus e toda vez que se sentem ameaçados eles a liberam.

Esse fedor para eles não incomoda nem um pouco, mas ninguém consegue chegar perto, porque é um fedor tão ácido que se torna insuportável ficar perto deles.

Eles nem tem noção de que se trata de algo tão desagradável, mas inconscientemente eles sabem que dessa maneira podem se proteger contra predadores.

Quantas pessoas não fazem a mesma coisa? Liberam seus venenos pessoais de “n” formas diferentes, quase sempre só para se protegerem, na realidade para protegerem seus próprios egos que se sentem ameaçados.

A proteção física dos gambás pode ser comparado com a proteção do EGO pelos seres humanos!

2º) Não é possível sentir o perfume das rosas

As rosas têm um perfume doce e suave, os gambás tem um veneno ácido e incômodo. É impossível sentir o perfume das rosas com gambás por perto exalando esse ácido.

O Yogananda está nos dizendo que se estamos com más companhias ficamos CEGOS e não conseguimos enxergar a beleza que há em tudo.

Um exemplo clássico são as PESSOAS RECLAMONAS. Se você ficar muito tempo perto delas, esse veneno acaba lhe atacando e você se tornando também um reclamão! É uma doença contagiosa, como já comentei em outro texto, que compartilho logo abaixo caso você queira ler…

Pessoas reclamonas

3º) O convívio com um gambá te transforma num gambá e o contato com o perfume das rosas te torna perfumado também

Aqui eu volto para a questão das amizades. Nós somos muito parecidos com as pessoas que mais convivem conosco. Essa é uma ótima maneira de saber se alguém exala um perfume de rosas ou um mal cheiro de gambá.

Sempre falo aqui sobre a lei do SEMELHANTE ATRAI SEMELHANTE. Então se você não convive com pessoas que exalam esse perfume de rosas, lhe convido a olhar bem para dentro de si mesmo e se perguntar em que pode melhorar? O que pode fazer para ser a mudança que quer ver no mundo? Parafraseando o querido Gandhi…

4º) Os gambás nos ensinam a não ser como eles

Os gambás para se defenderem secretam o líquido que sai das glândulas no ânus. As rosas deixam um perfume das mãos de quem as segura. É como diz a sábia frase atribuída ao Buda histórico: “Seja como o sândalo, que perfuma o machado que o fere…”.

Podemos retribuir toda espécie de mal com o bem, perfumando as mãos e o machado que nos feriu.

Os gambás nos ensinam que não é com o mal que se retribui um mal, mas com o bem, com um perfume suave e cativante…

Há muito mais reflexões que podem ser extraídas dessas sábias palavras do Yogananda, mas deixo com você. Fique à vontade para comentar e falar alguma concepção ou pensamento que tenha despertado em você e não falei nesse texto…

Paz e luz.

Isaias Costa

Sobre Isaias Costa

Isaias Costa. 28 anos. Sou Bacharel em Física e Mestre em Engenharia Mecânica. Descobri o meu amor pela escrita nas dificuldades que passei no meu caminho, aliado ao prazer de ler sobre Filosofia, Psicologia e Teologia. Este blog trata de assuntos em sua maioria filosóficos, com o objetivo de nos fazer pensar e se questionar sobre as grandes questões da vida. Também escrevo nos blogs "Para além do agora" e "Universo de Raul Seixas". www.paralemdoagora.wordpress.com www.universoderaulseixas.wordpress.com Sejam todos bem-vindos ao "Artesanato da mente"...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *