Se indignar é bom, se revoltar jamais

revolta_bjf_

O Brasil e o mundo todo estão passando por crises das mais diversas possíveis e um sentimento perfeitamente comum e justificável para quase todos nós é o de indignação, porém, quero fazer a partir desse texto um alerta para que essa indignação não se transforme em revolta, um sentimento bastante destrutivo.

Gosto muito de conhecer as raízes das palavras. Indignação vem da palavra DIGNO, que significa MERECIMENTO. Ou seja, indignação significa “não merecimento”.

Sempre que eu me indigno com algo é porque eu sinto que aquilo não está me fazendo bem e que estou sendo de alguma forma injustiçado. Ter esse sentimento é muito bom, é o começo de uma conscientização e possível mudança.

Porém, nessa hora, muita gente acaba se estendendo demais nesse sentimento e sem que percebam, ocorre uma mudança de sentimento, a indignação se transforma em REVOLTA, que não leva ninguém a lugar nenhum, muito pelo contrário, dificulta qualquer mudança real.

Mais uma vez me voltando para o significado das palavras. Revolta significa “voltar de novo”.

Percebe? Sempre que alguém se revolta está o tempo todo voltando para o PASSADO. E pior! Essa revolta acaba prejudicando a si mesmo. Quase todas as pessoas que se tornam revoltadas acabam descontando essa revolta em outras pessoas que não tem nada a ver com esse sentimento, entende?

Esse é o ponto principal que quero lhe levar a refletir comigo. Quando você se indigna e a partir desse sentimento toma uma atitude concreta de mudança, ótimo! Você aprendeu a lição. Agora se você demora demais nesse sentimento, ele se transforma em revolta e você se fecha em si mesmo e esse sentimento faz você se tornar amargo, agressivo, ranzinza e por aí vai.

Quem sai perdendo com a revolta? Você! Só você! A pessoa ou pessoas pelas quais você sente essa revolta estão vivendo normalmente as suas vidas. Portanto! Estou com esse texto lhe alertando para uma postura mais sábia e próspera.

Vou citar exemplos concretos. Se eu me indigno com o governo e suas medidas corruptas, em vez de me revoltar eu vou desenvolver cada vez mais em mim a ética, a retidão, a honestidade, a consciência política etc. Desta forma eu já estou iniciando uma revolução.

Se no meu trabalho o meu patrão me explora, me coloca para trabalhar horas extras semanalmente, não me valoriza, não faz reajustes de salário… eu posso sim me indignar e tomar a atitude de exigir melhorias para o meu cargo dentro desta empresa ou instituição. Se mesmo ao reivindicar eu continuar a ser desrespeitado, o que eu faço? Oras! Vou embora. Vou procurar outro emprego onde me respeitem e me valorizem.

Muitos por medo e por baixa autoestima apenas se revoltam (voltam de novo), e se submetem constantemente em empregos escravizantes. Tenha coragem! Se esse é o seu caso, dê um salto no escuro! Acredite! Muitas vezes um salto no escuro é tudo o que precisamos para crescer exponencialmente na vida, e me coloco como sendo um dos que teve essa coragem. Esse texto abaixo fala mais sobre isso e recomendo demais a sua leitura!

Sem medo de dar um salto no escuro

Outro exemplo está nos relacionamentos amorosos. Se a outra pessoa lhe desrespeita, não lhe trata com carinho, amor e atenção, não valoriza o seu crescimento, não vibra com as suas conquistas, não é parceiro(a) nos momentos mais difíceis, você tem todo direito de se indignar.

Nessa hora, o ideal é conversar amigavelmente e revelar seus sentimentos, dizem ao outro ou outra o que tem lhe desapontado, deixado triste, chateado(a) e esperar como o parceiro ou parceira vai reagir! Se essa pessoa demonstra que está disposta a mudar, a melhorar, a crescer e de fato faz isso. Maravilha! É sinal de que o relacionamento anda bem, mas se isso não acontece, não adianta nada transformar essa indignação em revolta.

Eu vejo muito isso acontecer. São os chamados “pseudocasais”. Aparentam para os outros que está tudo bem, mas no fundo sabem que não está nada bem, e ficam quase como bichos se estranhando. Um relacionamento assim não gera crescimento mútuo, só gera mais e mais desgastes.

Nessa hora, o ideal é ter a coragem de dar um ponto final nesse sofrimento, encerrando o relacionamento. Pode ser difícil a tomada dessa decisão, mas é o melhor caminho quando essa indignação já se transformou em revolta.

Esses sentimentos podem ser levados para diversas outras esferas da vida, mas deixo essas reflexões com você OK?

Em resumo é isso! É como se a indignação tivesse uma espécie de “data de validade”. Ela precisa ter um prazo para se encerrar! Senão, muito provavelmente essa se transformará em revolta e você deixará de crescer e amadurecer.

Veja só! Ao falar sobre esse tema estou falando sobre a lei universal do MERECIMENTO. Se você se sente merecedor de algo grande, de muita felicidade, de muito amor, de um emprego maravilhoso, de amigos leais e companheiros, uma família harmoniosa etc. você pode construir tudo isso, e a indignação pode lhe ajudar, mas a revolta JAMAIS.

Paz e luz!

Isaias Costa

Sobre Isaias Costa

Isaias Costa. 27 anos. Sou Bacharel em Física e Mestre em Engenharia Mecânica. Descobri o meu amor pela escrita nas dificuldades que passei no meu caminho, aliado ao prazer de ler sobre Filosofia, Psicologia e Teologia. Este blog trata de assuntos em sua maioria filosóficos, com o objetivo de nos fazer pensar e se questionar sobre as grandes questões da vida. Também escrevo nos blogs "Para além do agora" e "Universo de Raul Seixas". www.paralemdoagora.wordpress.com www.universoderaulseixas.wordpress.com Sejam todos bem-vindos ao "Artesanato da mente"...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *