A carne é fraca se o espírito é fraco

pessoa-sensitiva-1

Tenho lido e estudado um pouco das obras do grande Divaldo Franco, que são psicografias da sábia Joana de Ângeles, sua mentora espiritual.

Os livros psicografados por ele são um verdadeiro tesouro de sabedoria e repletos de conteúdos psicológicos, existenciais, metafísicos, evolucionistas e tem até conceitos da Física Quântica. São livros que podem ser lidos por qualquer pessoa, independente de qual religião siga ou mesmo se não segue nenhuma.

Farei uma breve reflexão sobre algo que para quase todas as pessoas é considerada uma verdade, mas na realidade é uma grande mentira que foi aceita como verdade: A CARNE É FRACA. Será?

Segundo as palavras da Joana de Ângeles, NÃO. E ela embasa essa afirmação com argumentos incontestáveis.

Quando pensamos que a carne é fraca, na realidade estamos nos utilizando de um dos mecanismos de defesa mais amplamente descritos e esmiuçados pelo grande Sigmund Freud em suas obras, o mecanismo da RACIONALIZAÇÃO.

O que é a racionalização? É você se utilizar de argumentos lógicos e puramente racionais para tentar justificar o injustificável. Por exemplo: você trai a sua esposa, aí diz que traiu porque a moça no trabalho passou meses fazendo cantadas, ou porque uma garota estava muito provocante e se insinuando etc etc.

Outro exemplo é a pessoa que está muito acima do peso e fica sentindo culpa por ter ido a um rodizio de pizza e se empanturrado. Ela justifica que não poderia deixar de ir porque era aniversário do melhor amigo.

Para fechar os exemplos. Imagine a clássica cena na qual um estudante não se prepara bem para um prova e tira nota baixa nela. Depois de receber vem com aquele papo: “Mas o professor fez uma prova muito difícil…”, ou “todo mundo se deu mal na prova…”. Mas ele não percebe que fulano de tal tirou um 10 na mesma prova difícil!

Deu pra entender o que é a racionalização? Levando para termos mais corriqueiros, podemos chamar também de “bode expiatório”, ou nas palavras do Raul Seixas: “É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro”.

Fiz toda essa introdução para explicar que existe uma imensa, uma absurda diferença entre espíritos evoluídos e maduros e os espíritos involuídos e mais jovens. Eu acredito profundamente que nós vivemos muitas vidas até nos tornarmos seres humanos perfeitos em sabedoria, em honra, em dignidade, em paz, em harmonia, em empatia etc. Espíritos extremamente evoluídos como Jesus, Buda ou Krishna só surgem depois de séculos ou mesmo milênios.

Todos nós um dia seremos tão luminosos quanto eles, mas nem se iluda, isso vai demorar muito, muito mesmo! eles são espíritos velhos, espíritos milenares. São essas e outras teorias que a querida Joana de Ângeles fala através do Divaldo Franco, e servem para todos nós, independente da religião que siga.

É possível se tornar um espírito forte, para que por consequência a carne se torne forte também. E a grande pergunta é? Como?

Só existe um caminho e você já sabe qual é: AUTOCONHECIMENTO.

Quanto mais eu me conheço, mais vou iluminando as minhas sombras, ou nas palavras incríveis do Carl Jung, vou integrando as minhas sombras ao meu self, de modo a conquistar cada vez mais a individuação, que é o processo e caminho até se tornar um indivíduo livre, harmonioso e sábio.

Por outro lado, as pessoas que afirmam que a carne é fraca ainda não tem no seu histórico de experiências pessoais, tantas vivências ao ponto de ter o poder de discernir o que é o melhor do que é o pior, o que é o mais prudente do que não é etc.

Nessa hora cito até mesmo o mestre Jesus, na sua época todos ficavam embasbacados de como ele conseguia se sair de tantas situações vexatórias e incriminadoras. Talvez você não saiba, mas tentaram condenar Jesus inúmeras vezes, no mínimo uma centena de vezes, mas com seus argumentos sábios e um repertório de vida absolutamente impressionante, ele sempre conseguia se sair dessas situações. Você já se perguntou o por quê disso?

A resposta é: ele era um espírito antigo, com uma sabedoria absurda, a sabedoria de um verdadeiro avatar. No seu DNA e na sua história pessoal ele já tinha passado por tantas experiências das mais variadas possíveis que ele sempre sabia que palavra dizer, com que tom, como questionar, como levar os outros a mudarem de postura etc.

Um espírito evoluído como Jesus jamais cairia na tentação da carne. Se ele fosse estimulado a roubar, jamais faria. Se fosse conduzido a trair, jamais faria etc.

Nessa hora talvez você questione. Mas Jesus era Deus? Sim! Não só era como é! Porém, a mesma centelha de divindade que existe nele também existe em você que me lê agora, ou você nunca leu na bíblia as palavras: “Vóis sois deuses”? Ou mesmo: “Vóis fareis as coisas que eu faço e as farão ainda maiores…”?

Jesus queria nos incitar a desenvolver nossa sabedoria ao ponto de também nos tornarmos cristos como ele! É fácil? Definitivamente não, mas é possível! Requer uma força e uma determinação muito grande.

Enfim! Há muito mais a ser refletido e aprofundado sobre essa temática e talvez venha a falar sobre isso em outros textos, mas fica essa mensagem principal: se o espírito é forte, a carne é forte também!

 

Isaias Costa

Sobre Isaias Costa

Isaias Costa. 28 anos. Sou Bacharel em Física e Mestre em Engenharia Mecânica. Descobri o meu amor pela escrita nas dificuldades que passei no meu caminho, aliado ao prazer de ler sobre Filosofia, Psicologia e Teologia. Este blog trata de assuntos em sua maioria filosóficos, com o objetivo de nos fazer pensar e se questionar sobre as grandes questões da vida. Também escrevo nos blogs "Para além do agora" e "Universo de Raul Seixas". www.paralemdoagora.wordpress.com www.universoderaulseixas.wordpress.com Sejam todos bem-vindos ao "Artesanato da mente"...

One thought on “A carne é fraca se o espírito é fraco

  1. A carne é fraca? Entao fortaleça o espírito e consequentemente viverá com a moral elevada. Acredito que o espírito que possui muitas vivências e a idade sideral tb influenciam em um comportamento mais reto diante das circunstâncias da vida e de relacionamentos. Qto mais buscamos conhecimento espiritual, conhecendo o nosso “Eu” com propriedade as falhas vão caindo por terra e amadurecemos. Um dia todos terão mais respeito ao próximo e aos sentimentos. VIVA o amor !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *