Literatura cearense: questão de (falta de) opção

Disciplinas de literatura cearense não estão sendo ofertadas aos alunos do curso de Letras da UFC. Universidade explica que se trata de cadeira opcional e que não há professores disponíveis.

Justamente quando a Padaria Espiritual, um dos principais movimentos literários do Ceará, comemora 120 anos, uma preocupação toma conta do professor Sânzio de Azevedo. A de que os alunos do Departamento de Literatura do Curso de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC) passem pela graduação sem conhecer as peripécias versadas por Antônio Sales & Cia no periódico O Pão, de 1892. O motivo: a ausência das disciplinas Literatura Cearense 1 e 2 entre as ofertadas neste semestre.

A produção literária do Ceará está (estava) presente na grade curricular do curso desde 1973, quando foi instituída pelo então professor Artur Eduardo Benevides e passada para as mãos de Sânzio, que a desmembrou por achar que o conteúdo abordado era extenso demais para se limitar a apenas um semestre. Aposentado e afastado das atividades acadêmicas desde 2008, a preocupação do também poeta, ficcionista e ensaísta foi motivada pelos rumores de que a disciplina desapareceria do currículo da UFC a partir do semestre atual, 2012.2, iniciado em 8 de outubro.

De fato, quando o estudante do 5º semestre do curso de Letras-Literatura, Fernando Cavalcante, procurou a disciplina para incluir na matrícula, nem a 1, nem a 2 estavam sendo ofertadas. “Antes de tudo a gente está fazendo o curso de letras, na UFC, então essa cadeira devia ser obrigatória, ela nunca devia ter deixar de ser ofertada”, defende o aluno que quer se especializar no ensino de literatura.

Segundo a coordenadora do Departamento de Literatura, professora Edilene Ribeiro Batista, a cadeira não foi retirada do currículo do curso. “Ela é uma disciplina optativa e nós estamos com menos professores do que necessitamos para o nosso departamento. Tanto é que, pra acertar a oferta de disciplinas de 2012.2, estamos com professores cumprindo mais de 16 horas, que é o limite (de carga horária). Em função disso, nós tivemos de priorizar as disciplinas eletivas, que são as obrigatórias”, explicou ela.

 

Projeto pedagógico

Ainda de acordo com a coordenadora, mesmo que houvesse interesse do departamento em retirar a disciplina do currículo – “que não há”, reforça –, isso não seria possível porque o projeto pedagógico do curso, formulado por um colegiado de professores, teria de ser alterado. Por ser optativa, explica ela, a oferta da disciplina depende também do interesse e das condições de algum dos professores em assumir a cadeira. “Existe uma listagem de optativas e cada professor pode escolher qual (disciplina) quer e pode dar. E neste caso, neste semestre, infelizmente, ninguém se propôs”, afirmou.

Questionada sobre a possibilidade de a disciplina ser transformada em obrigatória para que não deixe de ser ofertada, a coordenadora disse que “ninguém até então havia solicitado, levantado ou cogitado essa questão”. “Eu assumi o departamento no dia 8 de agosto. Ninguém me disse nada, nem aluno veio me procurar, nos dois anos que eu estou na UFC também nunca escutei ninguém cogitando isso”.

Quem passou pelo curso e pôde fazer a disciplina atesta a importância da matéria. Caso de Nathan Matos, formado no último semestre, que estudou a Literatura Cearense com o professor Marcelo Magalhães. “Querendo ou não, mesmo sendo um leitor assíduo, tem muita coisa que eu só vi na disciplina. Porque você quer estudar grandes obras, os clássicos, alguns autores de renome nacional, e você acaba deixando e lado a história da própria literatura cearense. Pra mim, foi muito bom como formador”, ressalta.

Embora sem dar garantias de que a disciplina voltará a ser ofertada no próximo semestre, ela disse que “os que não puderam fazer este semestre poderão fazer no próximo”.

 

Saiba mais

Segundo a secretaria do Departamento de Literatura da UFC, os alunos do curso só não tiveram aula de Literatura Cearense no último semestre de 2010. Em 2010.1, as duas disciplinas foram ofertadas. Em 2011, Literatura Cearense 2 foi oferecida nos dois semestres.

Ainda de acordo com o departamento, são ofertadas entre 40 e 45 vagas para uma turma, mas a média de interessados costuma ser de 35 alunos.

O curso de Letras da Universidade Estadual do Ceará conta com duas turmas de Literatura Cearense, disciplina obrigatória lecionada pelo professor Batista de Lima na Uece. Segundo ele, são 80 alunos por semestre estudando um autor cearense cada por semestre.

 

Publicado no jornal O Povo em 31/10/2012 por Raphaelle Batista

Ana Landim

Sobre Ana Landim

Graduanda em Letras pela Universidade Federal do Ceará, também estudou Química na Universidade de São Paulo e Artes Plásticas na Faculdade Paulista de Artes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>