As vadias e o antifeminismo

Um grupo de 300 mulheres e homens que se intitulam de “vadias” marcharam neste sábado, do posto 5, na Praia de Copacabana ao Leme, no Rio de Janeiro. Com cartazes e seios de fora as vadias militam pela  “autonomia dos corpos”, seja lá o que isto signifique.

marcha
Marcha do ano passado em Brasília.

Na Marcha do ano passado, alguns manifestantes foram escoltados pelas “vadias” enquanto masturbavam-se com crucifixo e com imagens católicas. A nota no site da organização chamou o ato de atentado ao pudor de “performance”. 

Nenhuma condenação recaiu sobre o grupo. Em 2013, integrantes da Marcha das Vadias foram recebidas pela presidente Dilma Roussef  junto com outros movimentos considerados sociais e representativos da sociedade.

Presidente Dilma recebe integrantes da Marcha das Vadias.
Presidente Dilma recebe integrantes da Marcha das Vadias.

Na contramão dos movimentos e manifestações toscas do feminismo vem crescendo, especialmente na internet, o movimento antifeminista. A Revista Isto É desta semana traz uma matéria especial sobre o assunto.

A educadora Silvania Beatriz Dedulque afirma na entrevista que “ muitas  [militantes] utilizam o rótulo de feminista para praticar atos de atentado ao pudor”.  Silvania integra o grupo de alunos do professor Olavo de Carvalho e uma das mais presentes na página Espaço Olavete. Para a educadora deve-se valorizar a diferença que existe entre os sexos. “A mulher é a mãe que deve estar presente na vida dos filhos e o homem é o chefe da família”, disse. 

Reprodução da Revista Isto É.
Reprodução da Revista Isto É.

Para a noite desta sábado está programado um Hangout com mulheres antifeministas.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=s9jLCyBDwMs[/youtube]

One thought on “As vadias e o antifeminismo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *