Secretaria de Saúde Municipal de Fortaleza pede ajuda à Arquidiocese no combate ao sarampo

Representantes da Secretaria de Saúde do Município de Fortaleza estiveram em audiência nesta quarta, 28, com o  Vigário Geral da Arquidiocese, Monsenhor João Jorge Corrêa Filho,  solicitando o apoio da Igreja Católica na prevenção e combate ao surto de Sarampo que está acometendo a população cearense.

Todos contra o sarampo.
Todos contra o sarampo.

Em carta entregue ao religioso a senhora Maria do Perpétuo Socorro Martins Beckenfeld, Secretária Municipal de Saúde de Fortaleza diz: “Sabemos da importância e capilaridade da Igreja Católica e portanto, das condições de disseminação que um alerta sobre esta campanha pode ter, trazendo benefícios para todas as famílias e consequentemente toda a comunidade.  No intuito de facilitar a transmissão desta informação estamos sugerindo um texto que pode ser lido como aviso nos finais das celebrações.

A Arquidiocese  se comprometeu na divulgação da campanha junto as Paróquias, Áreas Pastorais e comunidades.  A campanha da Secretaria da Saúde,  abraçada pela Igreja Católica consiste em alertar os cearenses sobre o  perigo do Sarampo e o chamamento para vacinação gratuita nos Postos de Saúde.

Segundo Monsenhor João Jorge, o texto abaixo deverá ser lido no final das celebrações da Santa Missa em todas as Paróquias da Arquidiocese de Fortaleza.

 Sobre a Campanha contra o Sarampo

No Brasil, graças às sucessivas campanhas de vacinação e programas de vigilância epidemiológica, a mortalidade não chega a 0,5%.  Contudo, em virtude do grande tráfego internacional de pessoas oriundas de países onde esta doença não foi erradicada e o contato destas, com pessoas não vacinadas no Ceará, o Sarampo veio a ressurgir após 15 anos de intensas campanhas encetadas pelo Poder Público.

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo Morbili vírus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. É uma doença altamente contagiosa e de caráter epidêmico e potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro. Seus sintomas são além das manchas avermelhadas na pele, que começam no rosto e progridem em direção aos pés, podemos citar ainda: febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite e manchas brancas na parte interna das bochechas. Otite, pneumonia, encefalite são complicações graves do sarampo. As consequências desta doença são graves, podendo levar a óbito, ou provocar cegueira.

Considerando o risco a que estão expostas a população de até 49 anos de idade, mas, sobretudo as crianças, a partir de 6 meses de idade, precisamos alertar as famílias a buscar a vacinação em nossas unidades, composta de 93 Postos de Saúde, localizados por toda a cidade de Fortaleza.

Com informações do Portal da Arquidiocese de Fortaleza. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *