O que virá depois da aprovação da maconha, eutanásia e união gay?

Maconha é uma porta de entrada para outras drogas.
Maconha é uma porta de entrada para outras drogas.

A Colômbia liberou a maconha, não demorou muito tempo e a cocaína entrou na lista de drogas liberadas e o passo seguinte foi a  descriminação do Ecstasy. Naquele país é proibido a veiculação de publicidade antidrogas na TV; o Uruguai mal aprovou a maconha militantes defendem a regulamentação da cocaína, entre eles está o ex-presidente Tabaré Vásquez.

Como diz o ditado “um abismo atrai o outro”. Quando defensores pró-vida alertam a sociedade sobre o risco de abrir  brechas como estas para coisas piores, estes militantes são rotulados de exagerados ou fanáticos. De forma alguma.  Na Bélgica, um projeto de lei nefasto estendeu a eutanásia para crianças; com a  aprovação de leis favoráveis ao aborto se tornaria ainda mais difícil nascimento de crianças com síndrome de Down ou alguma outra doença congênita.

Holanda quer acabar com as vitrines da prostituição.
Holanda quer acabar com as vitrines da prostituição.

Resta a esperança que desponta de alguns países que recuam de suas decisões liberais pois constatam o efeito devastador  destas. A Holanda, depois de liberar a maconha, recuou na venda da droga para turistas nos  ‘coffeeshops’, locais onde o comércio era liberado indiscriminadamente.

Ainda na Holanda, onde a prostituição é considerada uma profissão, a capital Amsterdam busca extinguir as vitrines do sexo, onde prostitutas ficavam expostas. “Ao custo de 25 milhões de euros, o governo municipal comprou os imóveis que abrigavam dezoito prostíbulos. Os prédios foram reformados e as vitrines agora acolhem galerias de arte, ateliês de design e lojas de artigos de luxo”.

A Austrália proibiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo. “A decisão ocorre poucos dias após a celebração do primeiro casamento gay na capital federal. Por unanimidade, o Supremo estabeleceu que ‘a lei sobre o casamento não é válida para o reconhecimento do matrimônio entre pessoas do mesmo sexo‘”, repercutiu o Jornal O Globo. A Carolina do Norte também proibiu a união de pessoas do mesmo bem como a adoção de crianças por pares gays.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *