Dicas de etiqueta do “Templo de Salomão” recomendam uso de rendas e transparências

O manual de etiqueta do “Templo de Salomão”, prédio construído pela Universal, está chamando a atenção pelas dicas inusitadas e díspares das orientações de vestimentas para um ambiente religioso. A imagem de uma modelo com ares de sensualidade ilustra a matéria.

Fac-símile do site da Universal.
Fac-símile do site da Universal.

A linguagem utilizada para orientar as leitoras que pretendem visitar a construção usa expressões para lá de mundanas. “O importante é entender que, embora a grandiosidade do templo realmente impressione, isso não é motivo para estourar seu limite de crédito”.

O material postado no site da IURD recomenda, por exemplo, o uso de rendas e transparências. “Femininas e confortáveis, as rendas falam por si só e garantem aquele “glamour touch” à produção. As blusas transparentes, usadas com segunda peça por baixo, também propõem um visual contemporâneo. O combo com a saia mídi deixa a composição para lá de elegante, enquanto a combinação com a pantalona a deixa despretensiosa…”.

Itens relacionados à sensualidade feminina, o que não se espera em um espaço sagrado, são indicados. ” O ideal é subir no salto” e ” postura mais esguia” estão entre as recomendações. Quanto ao jeans, a Universal proíbe dentro do templo. “Jeans são megaconfortáveis, mas, para essa ocasião, não devem sair do armário”.

Bolsas grandes são abominadas: “vá com uma opção mais nobre, como  carteiras”, diz o texto. Outras amenidades são orientadas ao público feminino como o uso de “peças de texturas diferenciadas com aplicações de rendas, plumas, trançados ou pedras com discrição”. E mais, “Sandálias pesadas, ankle boots e botas na versão over the knee arrematam muito bem o look”. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *