Mãe de Daniela Mercury se declara contra casamento gay

Pais de Daniela Mercury
Pais de Daniela Mercury

A união de Daniela Mercury com uma mulher foi o assunto da semana. Estampou a capa das principais  revistas semanais e de programas nacionais como o Fantástico. O fato foi tomado como um marco histórico e tomou  conotação política devido à atual situação da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara (CDHM), onde militantes ligados à causa  LGBT pedem a saída de seu presidente, o deputado e pastor Marco Feliciano (PSC).

A grande mídia não repercute na mesma medida quem é desfavorável ao casamento gay. Quem se posiciona contrário à união, denominada também de homoafetiva, é rotulada pelos manifestantes de homofóbica. Exemplo disso foi o que aconteceu com a cantora Joelma da Banda Calypso.  Ao se declarar contra o casamento gay, a cantora viu sua vida se tornar um inferno, como afirmou o Chimbinha, marido de Joelma. Já foi cancelado um filme que seria feito sobre a história da banda e militantes do Grupo Gay da Bahia tentaram boicotar a participação de uma música da Calypso veiculada no seriado global “Entre Tapas e Beijos”.

Leia também:

“Expressar opinião não é crime” diz Alexandre Garcia sobre caso Feliciano

Ativistas gays zombam de Cristo crucificado

Quem  se declarou contra a união gay foi a mãe da cantora Daniela Mercury. Dona Liliane Mercure é Vice-Reitora da Universidade Católica de Salvador (Ucsal) e segundo a imprensa baiana não aprovou o casamento da filha.  Ainda de acordo com o Bahia Notícias “Dona Liliane  teria ficado mais chateada ainda com a exposição que a cantora fez ao revelar seu relacionamento nas redes sociais”.

Resta saber se os grupos LGBT tratarão a mãe da cantora como fez com Joelma, rotulando-a de homofóbica. Averiguando o que já foi publicado o adjetivo utilizado até agora  para descrever a opinião da mãe da cantora é conservadorismo.

Compartilhar
Vanderlúcio Souza

Sobre Vanderlúcio Souza

No ANCORADOURO busco reproduzir temas do cotidiano à luz dos princípios e valores cristãos. Sou blogueiro e tuiteiro apaixonado por comunicação. Como católico busco ser um colaborador da verdade como convidou o papa emérito Bento XVI. Sou engajado na Igreja desde minha infância.

126 comentários sobre “Mãe de Daniela Mercury se declara contra casamento gay

  1. “Ain, quer dizer q se eu não concordar com o homossexualismo, sou homofóbico?” SIM, próxima pergunta

  2. Desde quando a intimidade de pessoas que você sequer conhece é algo que você possa ser “a favor” ou “contra”?

  3. Privilégio é um assunto espinhoso, especialmente para quem os tem. Ter que ouvir as dificuldades dos que são diariamente oprimidos é incômodo não porque escancara os privilégios que os privilegiados sequer percebem que têm, mas porque é uma injustiça não reconhecerem que a vida do privilegiado não é esse mar de rosas, não! A vida do privilegiado é bastante difícil sim, de forma que precisamos falar sobre suas penúrias e sofrimentos, sobre seus dramas, sobre suas dificuldades nesse mundo tão injusto.

    A vida do privilegiado é difícil, acima de tudo, porque ele é incapaz de se perceber como tal. Sozinho ele não consegue ver que ele é rodeado de privilégios, de facilidades que os outros não têm, mas que para ele não passam de coisas banais, absolutamente normais. E como ele sofre por causa disso! Ter gente dizendo o quanto ele é privilegiado enquanto ele só está andando tranquilamente de mãos dadas com a pessoa que ama: “nada de mais! eu não sou privilegiado, imagina!”. Ele sofre por nunca entender porque estão reclamando que os filmes e comerciais quase não mostram negros, afinal, ele nem tinha percebido que eles não apareciam!

    A vida do privilegiado é difícil porque ele tem imensa dificuldade de se colocar no lugar do outro. Não daquele que tem mais, do ricaço que tem lancha, mansão e conseguiu estudar no exterior, mas daquele que tem menos. Para o privilegiado, é impossível imaginar alguém que não tenha feito faculdade não por escolha, coisa que ele está acostumado a ter, mas por falta de. É sofrível para o privilegiado tentar entender que aos outros é negada a autonomia ao próprio corpo que ele mesmo tem e sempre teve. E como é difícil viver com o privilégio de sequer conseguir imaginar por que tipo de coisa tem que passar uma pessoa que tem menos que ele.

    A vida do privilegiado é difícil porque nem se esforçando muito ele consegue fracassar. Ele se ressente por ninguém falar da imensa pressão que ele sofre por poder fazer o que quiser e ser o que quiser na vida. Não é uma dureza viver em um mundo que funciona para não te deixar na pior nem se você quiser?

    A vida do privilegiado é difícil porque ele não pode sequer expôr seus sofrimentos sem ser olhado como alguém mesquinho, que reclama de barriga cheia. Quando o assunto é violência contra negros, contra gays, contra transexuais, contra mulheres, contra pobres, contra índios, o privilegiado sente-se excluído, até revoltado. Ele não consegue aceitar não ser o centro de um assunto e, em sua angústia, entra na discussão para lembrar os oprimidos: “mas e eu? vocês não ligam para o meu sofrimento?”

    A vida do privilegiado é difícil porque ninguém leva a sério o seu sofrimento. Seus reclames são transformados em piada e eles não podem nem contar com o politicamente correto (que tanto desprezam) para defendê-los dessas brincadeiras de mau gosto. O privilegiado fica, então, acuado pela insensibilidade daqueles que insistem em apontar seus privilégios e ofendê-los usando essa palavra feia.

    Ter gente lutando por coisas que para ele sempre foram tão acessíveis e bobas, isso sim, é querer ter privilégios. Ele, que mora no bairro certo, tem a cor de pele certa, tem o gênero certo e nasceu no corpo certo, é apenas alguém normal que conseguiu superar os obstáculos da vida, sem choramingar para ter privilégios. Mas ninguém reconhece isso.

    Uma lágrima desliza sobre o rosto do privilegiado quando alguém fere seus sentimentos ao lembrá-lo de seus privilégios. E então ele enfrenta mais um calvário, que é a terrível sensação de culpa que o corrói por dentro quando ele finalmente percebe que pode ser um privilegiado. Atordoado, ele grita “eu não tenho culpa! Eu não tenho culpa!”, mas, na verdade, está apenas tentando fugir de algo mais doloroso que a culpa, que é a reflexão sobre uma estrutura que sistematicamente beneficia alguns enquanto oprime outros.

    O privilegiado sofre porque ele não quer falar sobre isso. Ele não quer ouvir sobre isso. Ele quer poder continuar falando sobre seu sofrimento e dificuldades, sobre ter que pagar mais na balada, sobre ter que pagar impostos enquanto tem vagabundo (sic) recebendo ajuda do governo, sobre não saber como explicar para o filho porque dois homens estão se beijando, sobre o horror de não poder fazer piadas sobre estupro, sobre estar sofrendo censura porque fez um comentário racista que não foi aprovado num blog, sobre a empregada cheia de direitos trabalhistas que não se presta nem a fazer um mingau depois do horário de expediente, sobre ter que se apresentar ao exército enquanto as mulheres ficam na maior vida boa (embora ele, branco, de classe média e com um sargento ou coronel amigo do pai não tenha precisado servir de verdade, ao contrário daquele outro rapaz da periferia, que, mais que querer, precisava servir para conseguir sustento).

    É duro ser um privilegiado, eu sei. Por isso o privilegiado precisa de ajuda, especialmente para enfrentar a parte mais difícil: enxergar seus privilégios.

    ***

    “As crianças, por não conhecer nada de diferente, aceitam a realidade como ela é. Para a criança privilegiada, seus privilégios são tão naturais que ela pensa que todo mundo os têm.

    Então, um dia, por qualquer motivo (talvez lendo um blog), baixa aquela consciência da enormidade dos seus privilégios. De quanta coisa você tem ou teve que outros nunca tiveram.

    Em um segundo momento, consciente de todos seus privilégios, você pára de reclamar dos privilégios que não possui e, mais importante, pára de lutar por mais privilégios.

    Por fim, percebendo que somente isso não basta, mesmo que a custa de alguns sacrifícios pessoais, você começa a repassar alguns desses privilégios para quem nunca teve nenhum.

    E assim o mundo começa a mudar.”

    Da série de textos sobre Privilégios do Alex Castro. Leiam todos, de um por um. Uma, duas, doze vezes, sempre que você puder, sempre que você sentir aquela vontade incontrolável de dizer que uma minoria está “pedindo direitos demais”, sempre que surgir aquela coceirinha para dizer que os seus problemas sim, são mais graves do que os daquele grupo historicamente oprimido, sempre que você se sentir tentado a desviar o rumo de uma discussão sobre uma sociedade estruturalmente desigual para a culpa que fazem você, coitado, sentir por carregar o peso desses privilégios — até porque, como Alex Castro ainda fez questão de explicar, “ser responsável por solucionar um problema é muito distante de ser culpado por ele.”

    ***

    Você conseguiu contar quantas vezes repeti as palavras “privilégio” e “privilegiado” no texto? Para alguns, vai parecer um descuido grosseiro, “não se repete tantas vezes umas palavra assim, essa autora não sabe escrever, vou lá nos comentários corrigi-la etc”. Por incrível que pareça, isso foi cuidadosamente pensado para ter um efeito. Você sabe dizer por que fiz isso? Sim. Para que o privilégio deixe de ser uma coisa invisível. Quem sabe assim, repetindo a palavra incansavelmente, ela consiga se materializar diante dos seus olhos, ganhar textura, cor, formato, volume e que você consiga perceber os privilégios que te cercam. Que eles são palpáveis, que eles têm peso. Que eles são isso: privilégios.

  4. Aonde Daniela Merculi estar não estarei, a Ivete não teve essa cara de pau, sei que ea daniela tava perdendo espaço e sai do armario sobre holofotes , fodo-se muito mas lembre-se que a crianças

  5. Eu realmente acho que todos que vem aqui, falar mal dos homossexuais e das escolhas que eles fazem, não tem mais nada o que fazer! vão trabalhar! vão lavar um tanque de roupa suja! vão se preocupar com o que está acontecendo na CASA DE VOCÊS , NA FAMÍLIA DE VCS! Porque é muito fácil o macaco sentar no rabo e olhar o rabo dos outros! eu não sou lésbica, aliás su casada, mas sou a favo da liberdade do ser humano ser quem é! sem ter que dar satisfação a um bando de trouxas como vcs! vcs pagam as contas deles? vcs acham que é fácil assumir gostar de um mesmo sexo, quando a sociedade massacra esse ” comportamento”? vocês tem é que tomar vergonha nessas caras porca de vcs, ou vai me dizer que aqui só tem santo ou santa??? é muito fácil dizer que a bíblia é isso que o catolicismo prega isso os evangélicos pregam aquilo, mas vcs VIVEM EXATAMENTE COMO PREGAM A RELIGIÃO DE VCS?? QUEM NÃO TEM PECADO ATIRE A PRIMEIRA PEDRA!!! VÃO SE TRATAR BANDO DE RETARDADOS! E PASSEM A RESPEITAR O PRÓXIMO COMO GOSTARIAM DE SER RESPEITADOS, NÃO SE ESQUEÇAM QUE TODOS AQUI TEM TELHADO DE VIDRO!!!

  6. O que li foi um monte de intolerancia. Nem todo mundo que é contra o casamento gay é homofobico, é uma opinião dela. O lance é: A Joelma comparou gay a drogados,ou seja , a doentes,nao sei se ela sabe que drogados,são dependentes quimicos..logo doentes. Quanto ao comentario de que familia so existe entre homem e mulher,(minha opinião ) Familia é onde cada membro dela se sente bem,confortavel,protegido. Vejo montes de familias heteros que vivem num verdadeiro inferno. Resumindo : Intolerancia de todas as formas. Quando as pessoas começarem a pensar no bem estar uma das outras, e deixar de rotular , ver o ser-humano que so quer ter o direito de ser feliz,com certeza teremos um mundo melhor. Ninguem nasceu pra ser rotulado. Nascemos pra ser felizes. Que aprendamos a ver a diferença do outro,como qualidade de cada um.

  7. NADIA SILVA NÃO É PELA LIBERTINAGEM QUE VOCÊ É FELIZ
    ISSO É UMA FALSA LIBERDADE QUE MAS TARDE TRARÁ
    GRANDES CONSEQUÊNCIAS PARA VOCÊ. QUANTO A COLOCAÇÃO
    DE JOELMA ELA ESTÁ CERTA POQUE TEM CURA. PORQUE JÁ
    TEM MUITAS PESSOAS CURADAS DESSES ATOS. É SÓ PROCURAR ESPECIALISTA E VERÁ. NÃO ENTRA NESSE BARCO FURADO NÃO
    SUA MANÉ

  8. O discurso do “não sou obrigado a gostar” é totalmente ilógico… O casamento entre pessoas do mesmo sexo não fere a SUA liberdade. Não é a SUA vida. Vocês não têm nada com isso!

  9. Esse conceito de que “drogado é doente” é furado. Eles não querem mudar de vida…. se adaptaram porque gostaram. Quanto à união entre duas pessoas do mesmo sexo é, verdadeiramente ridícula. Mais ridículo aínda é quem apoia. Na realidade quem apóia não passa de “mamãe eu queria ser”. E o pior de tudo é que tem verdadeiros imbecís que acham toda essa situação muito natural. NÃO SOU OB RIGADO A ACEITAR FATOS COMO ESSE COMO SE FOSSEM NATURAIS. Verifique o Levítico 20: 13 que poderá sobrar para quem apoia.

  10. Deus criou Adão e Eva e ainda mandou crescer e multiplicar..acho uma coisa descabida e ainda querem fazer todos engolirem guela abaixo.Acham que podem tudo e ainda querem obrigar todos a ficarem calados, Cadê nosso direito de expressar? tudo agora é homofobia! ninguém é obrigado a aceitar essa depravação não, bando de libertinos.

  11. Pra que tanta exposição?
    felicidade é a dois.
    Outra coisa: Existia uma terceira pessoa ai ou estou enganado?
    Ninguem percebeu que ouve traição?
    Quanto a ela assumir,direito dela ninguem tem nada a ver com isso.

  12. A questão não se Deus é contra ou a favor, vamos deixá-Lo de fora dessas questões.
    Mão sou contra quem tem suas opções de “companheirismo”, ou seja, se um homem escolheu outro como companheiro ou se uma mulher procede de forma idêntica, isso é escolha pessoal. Agora querer dizer que isso está inserido no contexto de atos normais do Ser Humano é simplesmente dizer que anus é sexo, e isso todos nós sabemos que não é!
    Portanto, creio que nenhum pesquisador ou cientista consiga provar que anus é sexo então, não existe o termo “opção sexual”, o que existe é uma “opção de escolha de companheiro (a)”, creio que nesse ponto todos concordam.
    Quando um Ser faz opção em sua vida, tem que fazer mensurando os prós e os contras. Após o fulgor da juventude, todo Ser sente o peso da idade, momento em que a libido diminui e a vida sexual fica quase sem sentido, é o momento que nos sentimos sós e procuramos, como aminais de matilha que somos, formar uma família.
    A formação de família, indubitavelmente, passa pela união e acasalamento entre um homem e uma mulher. A ciência ainda não conseguiu que o cruzamento entre dois homens ou duas mulheres produza um novo Ser. Portanto se houve a opção da união homoafetiva entre dois seres iguais sexualmente, o que todos temos que respeitar, houve a opção também de não se querer filhos dessa união, portanto essas pessoas, no meu entendimento é claro, não tem direito de terem filhos ou mesmo constituírem família.
    Outro tema que gostaria de abordar, qual o pronome de tratamento que teremos que usar com os homoafetivos? É muito comum, quando não se sabe o nome, principalmente no nordeste, é chamar o cidadão, se ele é homem, de “macho” e quando do sexo feminino de “mulher”, como é poderemos chamar os homoafetivos? Pois quando se trada de Gay ou viado eles se ofendem. Os grupos gays organizados deveriam promover um plebiscito para definirem qual o nome que os “não gays” têm que usar, tanto para os gays masculinos quanto os do sexo feminino.
    O mundo é pra todos e todos têm o direito de se expressarem contas ou a favor, o que não pode é continuar com essa ditadura gay.

  13. GENTE, QUE PAÍS ATRASADO E POVO ALIENADO, PRINCIPALMENTE OS RELIGIOSOS QUE PASSAM A VIDA OLHANDO E JULGANDO OS OUTROS… VÃO SE PREOCUPAR COM O DE VCS!
    CADA UM ESCOLHE COM QUEM QUER VIVER!!!

  14. Engraçado… A grande maioria acredita que todos somos filhos de Deus e que não cai uma folha da árvore sem o concentimento dele. Se tudo que acontece é sob a permissão do pai, por que tanto barulho? Mais engraçado ainda é que no meio hetero existem vários homens e mulheres que adoram uma brincadeira a três e é normal. Tem muito cara casado que adora um sexozinho anal, tem até sites,blogs, comunidades e cia a respeito. No meio hetero tem muito drogado e ao que parece ser hetero e drogado é normal, mas se for gay e drogado é um agravante. Não estou fazendo comparação como essa “beleza de artista” que dispensa comentários. Vamos deiar de ser atrasados pelo amor de Deus, deixem os homossexuais em paz. Ninguém faz tanto barulho pra esse bando de vagabundos que recebem o bolsa familia, ninguém faz tanto barulho pra tanta violência, pra situação desumana dos professores no país e tantos outros absurdos. Eu pergunto: Se vocês que acham que homossexualismo é coisa do “tinhoso” que Deus esta sofrendo por isso, que é uma afronta a família brasileira por ser coisa do mal, comparado até a situação de dependência quimica pela “super artista” e inteligentissima Joelma´, é errado, como se define o congresso nacinal?

  15. A alguns anos atrás as pessoas se misturavam e viviam em paz, cada um com suas diferenças. Hoje os gays estão atacando os eteros como se todos fossem obrigados a mudarem para o lado deles. Eu respeito os homossexuais más também quero ser respeitado mesmo sabendo que a rede globo está forçando a mudança. Quero ter a liberdade de dizer em público que eu não tolero agarra agarra de pessoas do mesmo sexo até porque pessoa etero não acha isso normal mesmo e quem acha com certeza tem um grande potencial em ser gay. Sou contra essas novelas da globo que sempre incentiva gays se juntarem. Ah, pra deixar bem claro, digo isso sem ser da Igreja Universal, sou da Católica Apostólica Romana.

  16. Todos sabe que isso não é normal e é como vicio concordo com a Joelma, Deus fez homem e mulher não somos animais para se misturar. se Deus tivesse feito todos com o mesmo sexo de certo Não estaríamos aqui porque Deus não fez sexos iguais! Bioética e Direito: procriação!! isso só que tem a honra de procriar homem e mulher! e fica essa gente pensar que nasceu de uma ovelha!!

  17. Quando não se tem temor e amor a Deus, se vive totalmente longe dos princípios de dignidade do ser humano, infelizmente as pessoas estão cada vez mais alheios a realidade.

  18. Serei a favor do Homossexualismo quando duas pessoas do mesmo sexo perpetuarem ou gerar um filho naturalmente, até la sou contra.
    Temos que expressar nossa opinião sobre esse assunto, não somos obrigados a aceitar goela abaixo oque uma minoria acha que é correto, nos últimos vivemos sobre pressão para aceitar essa situação.

    Vejo que em um futuro próximo a família tradicional será uma raridade, temos que educar nossos filhos para serem críticos a esse movimento.

    Diga não ao casamento gay.

  19. SEM ACUSAR NINGUÉM NEM IR CONTRA ABSOLUTAMENTE NINGUÉM: QUERO AQUI CONDENAR A PRÁTICA E NÃO AS PESSOAS, PARA ISTO EU PEÇO QUE ANALISEM FRIAMENTE E SEM FALSAS DEMAGOGIAS…
    - DOIS HOMENS, NATURALMENTE, NÃO GERAM FILHO;
    - DUAS MULHERES, NATURALMENTE, NÃO GERAM FILHO;
    - CASAL GAY SÓ TEM FILHO “ADOTADO”, FEITO NATURALMENTE POR UM CASAL HETERO, GERALMENTE UM FILHO REJEITADO, ÓRFÃO, OU DE BARRIGA DE ALUGUEL (OUTRO ERRO)

    - A CAUSA GAY É UMA CAUSA INFÉRTIL, ALGO COMO UM TERRENO SECO, NÃO DÁ FRUTOS…

  20. Podem me interpletarem de várias maneiras, pois sou um homem maduro. A vida das pessoas só pertencem a elas, e as decisões tomadas por cada um são de responsabilidade própria, e quando se tem filhos é mais complexo ainda, pois é como se dar uma aprovação para eles. Quanto ao sexo entre pessoas da mesma sexualidade é muito controverso, uns aceitam com naturalidade outros não. deve-se tomar como base a criação do mundo, Deus quando criou o mundo pos sobre a terra para se procriarem casais de sexo opostos e entre eles o Homem e a Mulher, mas nos últimos anos o ser humano esta tentando desvirtuar tudo isso.

  21. Todos O que são contra os gays, são patéticos passam mais tempo dando um de religioso mais muitas vezes esquece dos problemas maus resolvidos de suas próprias casas. Deixem de ver a vida dos outros e cuidem das suas.

  22. essas pessoas que são contra são tudo mal amado, todos tem vontade de da o cu, so nao tem coragem, o mundo todo eh gay, todos tem curiosidade e se nao fizeram escondido, ja pensaram e se nao pensaram vao pensar agora. CASAMENTO GAY APOIADISSIMO…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>