Jean Wyllys se diz constrangido com declaração de fé em Jesus feita por colega do Psol

O Cabo Daciolo, eleito deputado federal pelo Psol (RJ), causou surpresa ao partido socialista quando declarou em um  vídeo publicado  logo após sua diplomação que o Brasil vive uma “falsa democracia”  e ao defender a indicação de um general para o Ministério da Defesa, além de relacionar o alto índice de violência no país ao baixo contingente de militares.

Daciolo com Bolsonaro.  foto revoltou os membros do Psol.
Daciolo com Bolsonaro. foto revoltou os membros do Psol.

A surpresa maior, classificada pelos pesolistas de “constrangedora”, se deu no dia da diplomação dos deputados federais do Rio de Janeiro. O Cabo Daciolo participou com os demais membros da sigla de uma manifestação condenando a violência contra as mulheres. O ato tinha como pano de fundo as declarações de Jair Bolsonaro à deputada Maria do Rosário, interpretada pelo partido como incitação ao crime de estupro. Logo após a manifestação, o Cabo se dirigiu a Jair Bolsonaro para tietá-lo. Justamente o parlamentar arqui-inimigo do Psol. 

Jean Wyllys, deputado federal, ex-BBB e colega de legenda do Cabo já disparou uma saraivada de críticas contra o novo parlamentar, em entrevista à Revista Carta Capital.  Wyllys  se disse constrangido com a declaração de fé do cabo em Jesus e interpretou sua fala como algo que beira o fundamentalismo religioso.  “Eu já tinha visto um vídeo dele exageradamente religioso. Falando que vai estar a serviço de Jesus, quase beirando um fundamentalismo religioso. Esse vídeo já tinha me deixado um pouco constrangido”.

É notória a pouca tolerância de Jean Wyllys e do Psol com quem reza diferente da cartilha socialista, ainda mais se for membro do partido. O ex-BBB e o deputado Chico Alencar disseram à Carta Capital que cobrarão explicações do Cabo. ” Vamos conversar com ele e lembrá-lo que na sua nova função pública ele expressa a visão do partido. Ele não se elegeu sozinho”, disse Alencar.

Evangélico como demonstra ser, resta saber como agirá o partido quando o Cabo, por ventura se posicionar contra o aborto. Luís Bassuma, integrante do PT da Bahia quando se declarou contra o aborto foi sumariamente expulso da legenda. Terá o Cabo Daciolo o mesmo destino nas mãos dos intolerantes da esquerda?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *