Ex-usuário conta que maconha estava prejudicando-o fisicamente

Hoje,Wando Willes tem 21 anos, dos quais dois de engajamento na Igreja, em grupo de oração e ministério. Mantém uma rotina de trabalho, evangelização, prática de exercícios físicos e relação familiar intensa. Mas nem sempre foi assim na vida deste jovem que aos 16 anos já havia entrado para a triste estatística da dependência química.

Dudu tornou-se um novo jovem depois que abandonou o vício das drogas.
Dudu tornou-se um novo jovem depois que abandonou o vício das drogas.

“Aos dezesseis anos de idade eu já era alcoólatra,divertia-me  todos os dias com os amigos em  festas espalhadas pela cidade”, Conta Wando, conhecido entre os amigos como Dudu. Foi em uma destas festas que o rapaz experimentou e se tornou  viciado em maconha. “Eu fui convidado para um aniversário de um amigo viciado também, que logo me ofereceu maconha, e eu disse o sim. Havia muita bebida na festa, muita mulher e dinheiro fácil, então foi naquele momento que eu decidi fumar maconha”. Dudu queria impressionar as meninas mas em suas palavras “aquilo  estava só me acabando”.

Viciado no uso da maconha, logo o jovem viu as consequências em seu corpo. “Eu sentia muita fome,perdi peso…Estava me acabado fisicamente”. Ainda jovem tornou-se usuário de cocaína. “Estava em uma festa quando vi os amigos cheirando um pó branco…Fiquei curioso. Eu já embriagado decidi cheirar aquele pó que se tornou uma maldição na minha vida. Fiquei completamente alucinado”. 

Wando conta que após as noitadas de festa e uso das drogas sentia um imenso vazio interior. “Faltava-me a felicidade, a felicidade verdadeira, uma que não saísse da minha vida. Ao mesmo tempo na minha família minha mãe rezava dias e noites para que eu  saísse dessa vida mundana”.

Superação pela Fé

A irmã de Dudu sempre o chamava para o grupo de Jovens “Juventude Em Cristo”. Ele resistia, dizia  não, “até o dia em que o Espirito Santo suscitou em mim a vontade de ir”. “Fui bem acolhido pelos jovens. Eu comecei a ter uma intimidade com Deus. Daí com um tempo eu conheci a Renovação Carismática [Católica -RCC], através da  Comunidade Trindade Santa que me acolheu e me tirou do buraco”. Foi a partir desta experiência de acolhimento que até hoje o jovem resiste às drogas e trilha o caminho de uma vida nova.

Dudu participou do Renovar, um Retiro de Carnaval promovido pela RCC. Foi decisivo. A partir da experiência do Batismo no Espírito Santo passou a progredir na caminhada espiritual. Participação ativa dos sacramentos, formação intensa e serviço são o tripé que ajudam Dudu a entrar em outra estatística, à dos jovens que foram resgatados pela Igreja, do mundo das drogas. “Hoje estou renovado sou um novo homem”, testemunha. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *