Confissão – Parte I

Nós estamos num tempo propício para a confissão, um sagrado sacramento de cura. Não estou falando de uma confissão direta com Deus, porque esse tipo de confissão, para nós católicos, é insuficiente. Estou falando da confissão sacramental que passa pelos ouvidos do padre, pois só é possível escutar palavras da misericórdia e do perdão de Deus pelos lábios de um sacerdote.
Mas quem inventou a confissão? Esta lá em Mateus 16, 19: “Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus”. Ou seja, o próprio Jesus Cristo instituiu o sacramento da confissão.
Um dos princípios para uma boa confissão é não querer continuar no pecado. Por isso, quando uma pessoa está amasiada, ela não pode se confessar. Não podemos acreditar que exista vontade de querer mudar esta situação, ou seja, não existe arrependimento real. A confissão neste caso é proibida.
Existem algumas razões para se confessar. As mais conhecidas são chamadas de atrição e contrição. O medo do inferno se chama atrição, que não é o ideal para se chegar à plenitude do sacramento da reconciliação, mas já é um começo.

 A contrição é o arrependimento perfeito, não é medo de Deus, mas é a necessidade da misericórdia Dele.
Pelo menos uma vez por ano é preciso se confessar. Alguns médicos pedem exames clínicos a cada seis meses, portanto eu acredito que a alma precisa ser medicada neste mesmo tempo.
Porque pecamos? Por que temos o livre arbítrio. A liberdade de dizer o que queremos e de fazer o que queremos nos permite realizar atos contrários ao Criador.

Cinco passos para uma boa confissão:
1. Fazer um bom exame de consciência
2. Ter realmente arrependimento do pecado
3. Ter o propósito de não recair no pecado
4. Confessar ao padre sem omitir nada
5. Cumprir a penitência estabelecida pelo confessor
Continua…
Artigo escrito por Pe. Reginaldo Manzotti

2 thoughts on “Confissão – Parte I

  1. Padre Reginaldo Manzotti, você está querendo ressuscitar o judaísmo quando sustenta que a confissão tem que passar por um sacerdote, o padre. Assim você está declarando que Jesus Cristo não serve pra nada! Veja o que está escrito no livro de Hebreus 3, 1: “Por isso, santos irmãos, que participais da vocação celestial, considerai atentamente o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus”. Jesus Cristo veio até nós para nos trazer o perdão dos pecados. É a Ele que devemos nos confessar o qual nos intercederá junto ao Pai. Não precisamos de sacerdote nenhum pois Jesus Cristo é o verdadeiro Sacerdote. O homem é falho e assim foram todos os sacerdotes do judaísmo que eram cheios de pecados e por causa dessas coisas Jesus Cristo veio até nós porque Ele é perfeito e tem poder para levar nossas confissões junto ao Pai que nos perdoará. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”, conforme está escrito na Bíblia, na primeira epístola de João 1, 9. Que mentira abominável você está dizendo para os filhos de Deus quando diz: “…pois só é possível escutar palavras da misericórdia e do perdão de Deus pelos lábios de um sacerdote”. Já no capítulo 2,1, diz:”Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.” Padre Manzotti, isso que você falou não é verdade, Você está desviando o povo de Deus da verdade. Faz isso não, tem misericórdia do povo de Deus que já vive tão desanimado com charlatões da fé. Isso é manipular a verdade a favor da mentira. Abra sua Bíblia e leia ela para o povo de Deus, do jeito que está escrito. Que Deus abra seus olhos!

  2. Caro Francisco Aragão, peço que de uma olhada no link que encaminho-lhe abaixo para responder a suas acusações acima.
    Um breve trecho é:
    O sacramento da reconciliação foi instituído pelo Senhor, na tarde de Páscoa, quando apareceu aos apóstolos e lhes disse: «Recebei o Espírito Santo; àqueles a quem perdoardes os pecados serão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes serão retidos» (Jo 20, 22-23).

    link completo é: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=12688

    Será bom você ler ele todo, pois ele cita também algumas formas desencontradas que os evangelicos teêm de se justificar.
    Infelizmente para se ler e interpretar a biblia, é necessário primeiramente ter conhecimento de contextualização da época.
    Se você ler todo esse texto supracitado, te ajudará um pouco em relação a essa ignorancia demonstrada anteriormente.

    Abraços irmão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *